Stael Sousa: Customer Success do Mobills

Banner convidando para o site do Mobills

O Mobills tem uma equipe de colaboradores incríveis! E para você nos conhecer melhor, vamos entrevistar cada um e fazer um perfil bem legal!

Na entrevista de hoje, temos Stael Sousa que é Customer Success e o tradutor de espanhol da nossa equipe.

Ele está cursando Gestão Financeira, já fez um curso técnico em Tradução e Interpretação pela Universidade de Cardiff – Inglaterra, tem 21 anos e não esconde sua paixão por aprender novos idiomas.

Perfis dos MBs: Stael Sousa – Customer Success

 

Como surgiu a oportunidade de você ingressar no Mobills?

Foi bem interessante. Eu estava morando na Argentina e fazendo serviço voluntário pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Depois de dois anos e um mês eu estava retornando para o Brasil.

Enquanto eu estava na Argentina, mantive contato com um amigo, que se chama Lehi, e compartilhando com ele que eu queria trabalhar com o que eu já tinha aprendido por adquirir a fluência em espanhol. Então, falei que se ele soubesse de alguma coisa era para me falar.

Na primeira semana que eu cheguei no Brasil, eu lembro que deixei currículo em vários lugares, mas o Leir me enviou um cartaz do Mobills. A empresa estava precisando de pessoas que tivessem fluência no inglês e no espanhol para o suporte.

Eu não conhecia o Mobills e não tinha ideia que os donos eram da mesma Igreja que eu.

O mais engraçado é que quando enviei meu currículo para a seleção, o responsável pelo recrutamento era o Elano, que serviu comigo em Buenos Aires na Argentina, então fiquei super feliz.

Eu fiz um teste na minha entrevista de emprego e a equipe gostou muito da minha experiência com o idioma. Então, fui aprovado e estou aqui agora.

Como surgiu seu gosto por finanças pessoais e afins?

Eu sempre fui apaixonado pelo tema finanças pessoais. Os meus pais têm uma cultura totalmente diferente de controlar o dinheiro.

Meu pai não tem uma boa educação financeira, mas a minha mãe sim, então na minha casa sempre tinha aquele atrito por conta que o meu pai não pensava a longo prazo e em poupar, enquanto que minha mãe tinha uma visão diferente.

Toda essa questão familiar fez com que eu me envolvesse um pouco com as finanças, mas não tão profundo porque naquele tempo eu não tinha tanto conhecimento.

Porém, depois que fui para a Argentina, passei a tomar conta do meu próprio dinheiro, a administrar.

Além disso, tive a oportunidade de conhecer vários economistas, pessoas que já tinham uma carreira na área financeira e que também entendiam de negócios.

E por manter contato com eles e saber um pouco sobre a carreira e vida eles, escutar as experiências… acabei me apaixonando ainda mais pelas finanças pessoais e pela economia em si.

E isso me ajudou bastante a me encaixar com a ideia do Mobills.

Como foi que você começou a se interessar pela língua espanhola?

Foi bem engraçado. Na minha infância e adolescência eu sempre amei o inglês, considerava algo fantástico.

Nunca tive interesse pelo espanhol até surgir a oportunidade de fazer um serviço voluntário em Buenos Aires, na Argentina.

A partir daí, me interessei para começar a aprender e, no tempo que tive lá, consegui me tornar fluente em espanhol.

Ter um contato diário com o espanhol fez com que me aproximasse e apaixonasse pela língua.

Pelo o que parece, você gosta de aprender outras línguas. Quantas línguas você já aprendeu e quantas ainda pretende aprender?

Aprender sobre o idioma e a cultura de outros países é uma paixão que tenho hoje, e isso veio do período que morei em Buenos Aires.

Por Buenos Aires ser conhecida popularmente como uma Europa da América do Sul, ela é rodeada de vários estrangeiros. Você pode encontrar desde um irlandês a um coreano; tem de tudo lá.

Então, hoje eu sei português (minha língua nativa), inglês, espanhol, libras, crioulo cabo-verdiano e português da Guiné-Bissau. E no momento, estou estudando italiano e sempre praticando meu inglês para que eu possa me aperfeiçoar mais.

Você precisa sempre ficar praticando aquele idioma para que você possa se aperfeiçoar.

Eu tenho a meta de neste ano alcançar a minha fluência no italiano e iniciar o estudo de outros idiomas, como o alemão e o francês.

Qual foi o seu maior desafio, até agora, trabalhando no Mobills?

A gente tem desafios constantemente, isso faz parte do nosso dia a dia, então o meu maior desafio é fazer com que o nosso atendimento ao suporte possa trazer uma satisfação para os nossos clientes.

Ou seja, quando se trata de atendimento a pessoas você sempre tem que dar o seu melhor, seu máximo para que você possa, não somente agradar, mas fornecer o que elas realmente esperam, dar soluções para os problemas delas.

E muitas vezes, as pessoas, os nosso usuários em si, quando se trata de finanças eles esperam uma solução incrível, desejam que a gente possa solucionar o problema deles automaticamente, como em um toque de mágica.

Mas infelizmente existem as nossas limitações também. Por exemplo, às vezes, não existe uma funcionalidade muita específica que apenas determinada pessoa busca e a gente não pode fornecer isso do dia para a noite.

Portanto, isso seria um dos maiores desafios, fazer com que a gente possa oferecer uma solução absolutamente completa para os problemas de todas as pessoas, considerando também que o Mobills não está somente no Brasil, mas em mais de 138 países.

Como o Mobills te ajudou, tanto profissionalmente, como pessoalmente?

O Mobills é uma escola, eu tenho isso para mim. Ele me ajudou profissionalmente simplesmente por esse fato de estar aprendendo constantemente.

Tanto profissionalmente, como pessoalmente, o Mobills me ajudou a desenvolver as habilidades e os meus talentos que estavam ocultos dentro de mim.

Eu tenho a oportunidade de fazer vídeos para o canal do YouTube, de fazer traduções e de exercer e praticar alguns idiomas que eu tenho conhecimento.

Isso é algo que está me ajudando a melhorar cada vez mais.

Qual o diferencial do Mobills?

O diferencial do Mobills é a qualidade que ele oferece, além da capacitação e o potencial. E isso não é somente para os funcionários, mas também para cada usuário.

Eu tenho me capacitado e aprendido bastante. Hoje, o Mobills oferece várias oportunidades para que cada colaborador possa se capacitar mediante cursos, palestras e ao próprio sistema do Mobills.

Ademais, o Mobills está criando uma biblioteca onde a gente pode ler e adquirir mais conhecimento.

Então, eu diria que o maior diferencial do Mobills é pensar em melhorar a vida dos clientes e também de todos os colaboradores da empresa.

Como é a sua relação com os colegas de trabalho?

Para quem me conhece, sabe que eu sou uma pessoa bastante comunicativa, então não tenho besteira com ninguém e a minha relação com os meus colaboradores de trabalho é ótima, eu acho.

Eu falo com todos, gosto de dividir meu tempo com cada um e gosto sempre de estar perguntando (sou bem curioso, rss) um pouco mais sobre a carreira profissional de cada colaborador, como eles fazem para vencer os desafios que têm e aprender mais para continuar se qualificando.

Sendo assim, eu sinto que a minha relação com os MBs é bem especial.

O que mais te deixa feliz no Mobills?

O que me deixa mais feliz no Mobills são os próprios colaboradores. Os momentos que passamos aqui são bem gostosos, onde a gente não somente trabalha, mas também se diverte. A convivência nos permite conversar e aprender constantemente.

Além disso, como estou na área internacional da empresa, tenho a oportunidade de conhecer várias pessoas de diversos lugares.

Dessa maneira, o que eu acho mais legal aqui é que eu estou falando com um chinês, depois com um chileno, depois com um boliviano e por aí vai. Estou falando com pessoas de diversas partes do mundo sem sair do Mobills.

Aprendo novos costumes e novas culturas e, ao mesmo tempo, estou praticando o que eu sei fazer de melhor.

O que você diria a um cliente do Mobills?

Muito obrigado por confiar no nosso serviço e pela constância de utilizar o Mobills. E eu também pediria paciência em relação tanto ao atendimento, quanto às funcionalidades que eles pedem que não estão disponíveis ainda.

Que eles possam continuar perseverando e que dentro de pouco tempo o Mobills vai se tornar a solução financeira que eles desejam.

O que você espera do futuro em relação ao Mobills?

Espero que o Mobills possa se tornar uma multinacional. Que ele possa se tornar a solução financeira para todas as pessoas e que possa estar presente, fisicamente, em diversos países para atender uma maior necessidade das pessoas ao redor do mundo.

Conte uma história (real) que tenha relação com o Mobills.

Essa história foi muito engraçada, mas foi um momento difícil que a gente passou. Aqui em Fortaleza – não somente em Fortaleza, mas em todo o Brasil – estava ocorrendo as greves de ônibus.

Eu lembro que na nossa saída para voltar para casa não tinha nenhum ônibus, então eu, o Luciano e o Wolp fomos até o centro da cidade à pé.

Chegando lá, a gente estava com a esperança de ter algumas outras opções de ônibus ou, pelo menos, o metrô, mas não tinha nada funcionando. Olhamos para o lado e nada de transporte, apenas uma multidão de pessoas. Um cenário muito louco, caótico mesmo.

Então, a gente foi até o Shopping Benfica à pé (para quem não mora aqui, é bastante longe ir à pé até lá) e chegando lá estava aquela outra multidão e, apesar de meio desesperador, foi bem cômica aquela situação que a gente passou e isso fortaleceu a nossa amizade.

No final, o Luciano e o Wolp voltaram de carona com um amigo e eu tive que ligar para o meu pai para ele vir me buscar na moto. Foi um dia muito tenso.

*****

LEIA TAMBÉM:

Carlos Terceiro: Fundador do Mobills

Victor Leitão: Coordenador de Marketing do Mobills

Yago Sampaio: Líder do time de Customer Success do Mobills

Stefane Oliveira: Customer Success do Mobills

Géssica Passos: Designer do Mobills

*****

Banner convidando para o site do Mobills

Comentários