Estilo de Vida

Sem dinheiro para os estudos? Saiba como financiar sua faculdade!

Estudante simbolizando o tema financiar sua faculdade
Cecília Mesquita
Escrito por Cecília Mesquita

O financiamento estudantil pode ser uma ótima maneira para que os alunos recebam ajuda para pagar os estudos e concluam um curso de nível superior.

Sem dinheiro para os estudos? Saiba como financiar sua faculdade!

Banner convidando para o site do Mobills

Não é novidade que pagar uma faculdade privada não é nada barato e infelizmente não são todos que conseguem acesso a uma instituição de ensino superior pública.

Mas sabe o que é ainda pior? O preço da educação continua aumentando ano após ano e nossos salários não acompanham o mesmo ritmo.

O financiamento estudantil pode ser uma ótima maneira para que os alunos recebam ajuda para pagar os estudos. O problema é que nem sempre esse financiamento cobre o custo total e, dependendo da faculdade, ao se formar o aluno estará com uma dívida enorme, cheia de juros e sem a esperança de poder quitá-la tão cedo.

Então, qual é a melhor alternativa?

No meu caso, alguns anos atrás eu aderi ao Fundo de Financiamento Estudantil – FIES para financiar minha faculdade de Jornalismo, mas naquela época o destino do programa de financiamento estudantil estava bastante incerto e, por sorte, consegui entrar no programa, mas não deixei de pesquisar alternativas a ele e nosso artigo de hoje é sobre isso.

As soluções mais procuradas para financiar o ensino superior são os programas FIES e o PraValer. Porém, se você não conseguiu a aprovação nesses programas, ou por algum motivo perdeu o prazo e não quer adiar o início dos seus estudos, saiba que existem outras saídas para aliviar os custos da faculdade.

Dentre as opções, é possível tentar uma bolsa de estudos pelo Prouni, ou pela própria universidade. Vale ressaltar, entretanto, que para se garantir em alguns desses programas você precisará de uma boa média no Enem.

Em último caso, você ainda pode partir para os empréstimos estudantis, onde os bancos financiam seu curso, mas as condições e as taxas podem se tornar uma complicação, por isso é importante estudar bem suas opções.

Primeiros passos para financiar sua faculdade de maneira ideal

Estudante com mochila e livros na mão

Saiba como dar os primeiros passos para financiar sua faculdade

O primeiro a se fazer é avaliar se o financiamento é a melhor solução para o seu problema, mas não estamos falando apenas de uma solução imediata, pense a longo prazo.

O crédito privado não deve ser sua prioridade, você deve procurar outros meios antes para não acabar se afogando em juros, os quais são mais elevados em financiamentos privados.

Que outras opções você pode buscar?

  • Procure a faculdade que deseja cursar e pergunte sobre a possibilidade de conseguir uma bolsa.
  • Existe a chance de conseguir um maior salário no seu emprego ou um programa de apoio estudantil dentro da empresa?
  • Sua família pode ajudar? O orçamento pode ser reorganizado para encaixar as mensalidades da faculdade? Dá para cortar alguma despesa supérflua?

É importante procurar o máximo de alternativas possíveis, pois financiar uma faculdade é coisa séria.

A dívida estudantil poderá te acompanhar por anos, mesmo depois de formado e, infelizmente nem sempre um diploma de formação superior é sinônimo de um bom salário ou emprego imediato.

Financiamento estudantil privado

Pessoa escrevendo

Saiba como aderir ao financiamento estudantil privado

Certo, então você pesou suas opções e resolveu que o financiamento privado pode ser a melhor decisão. Se você está passando por dificuldade financeira temporária, isso pode ser verdade.

Por um lado, as empresas de crédito estudantil e bancos não oferecem taxas de juros atrativas como o FIES, mas por outro as exigências são menores e você vai encontrar certa facilidade em financiar seus estudos.

No geral, você vai encontrar dois principais tipos de crédito estudantil privado no mercado: os bancos e as empresas que trabalham especificamente com essa concessão de crédito.

EMPRÉSTIMO ONLINE: TIRE SUAS PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE O ASSUNTO

Financiamento estudantil através de bancos

As condições gerais variam. Taxas de juros e prazo para pagamento mudam de acordo com a instituição financeira que você escolher e normalmente é necessário ter uma conta no banco escolhido (ou abrir uma) para conseguir o financiamento.

O ideal é pesquisar e escolher aquele que mais combina com suas necessidades.

Vamos colocar aqui algumas informações, mas ao tomar uma decisão é importante que você pesquise mais a fundo.

Financiamento estudantil no Bradesco

Na minha opinião, essa é uma opção para aqueles que desejam financiamento por um curto período de tempo, se você perdeu o emprego no meio do curso, por exemplo.

Aqui, você terá 12 meses para pagar um semestre da faculdade e a primeira parcela válida a partir de 30 dias após assinar contrato com o banco. Sempre que um novo  período se iniciar, você poderá pedir um novo financiamento.

Mas é aí que mora o perigo, se você financiar vários semestres, pode se endividar e ter uma parcela cada vez maior para pagar.

Caso tenha interesse em fazer esse financiamento, você pode fazer uma simulação e obter mais detalhes no site Crédito Universitário Bradesco.

Outros Bancos

Atualmente, as opções estão escassas, o Itaú agora oferece financiamento diretamente através do PraValer, que vamos falar logo a baixo.

Bancos como Caixa e Banco do Brasil só oferecem financiamento através do FIES e o banco Santander só oferece a modalidade de financiamento para educação continuada hoje em dia, ou seja, mestrados, doutorados e pós-graduação.

Empresas de crédito estudantil

Como já comentamos anteriormente neste artigo, existem empresas especializadas em oferecer crédito e financiamento para o pagamento de cursos técnicos, superiores e até mesmo pós-graduação. A taxa de juros dessas empresas é bem variada.

Existem também algumas empresas que não cobram juros, mas cobram o pagamento de uma taxa administrativa para liberar o crédito.

Na maioria das vezes, o estudante pode financiar de um semestre a um ano e tem o dobro do tempo para pagar, podendo sempre renovar o contrato para novos semestres, quando precisar.

Programa de Crédito Universitário PraValer

Atualmente, o maior programa de financiamento estudantil privado é o PraValer, que pode ser utilizado por quem quer ingressar numa faculdade ou por quem já faz um curso superior.

Uma das grandes vantagens desse programa, é que ele aceita o financiamento de cursos à distância, diferente da maioria dos outros financiamentos, que não permitem essa modalidade.

O programa ainda pode ser usado para parcelar mensalidades de outros tipos de formação, como:

  • Cursos técnicos;
  • Pós-graduação;
  • MBA;
  • Mestrado;
  • Doutorado.

Para conferir os requisitos e fazer uma simulação do seu financiamento, acesse o site do PraValer.

Dicas para ficar de olho na hora de escolher um Financiamento estudantil

  • Procure saber se a sua faculdade tem convênio com alguma empresa de crédito universitário ou algum banco. Quando a faculdade é conveniada, fica mais fácil contratar o crédito.
  • Tenha certeza que você vai conseguir arcar com as parcelas do financiamento, caso contrário, você poderá ficar com o nome sujo.
  • As taxas de juros podem aumentar bastante a dívida. Procure fazer uma simulação para saber exatamente quanto e quando você vai ter de quitar o financiamento.

Será que o financiamento privado da faculdade é um bom negócio?

A grande diferença da maioria desses bancos em relação ao FIES é a taxa de juros, que pesa bastante no bolso.

Compensa escolher esse crédito em um momento de aperto, quando você sabe que logo voltará a ter renda.

Financiamento estudantil público

2 lápis sobre uma tela amarela

Conheça o financiamento estudantil público

Por mais que as regras do governo tenham se tornado mais restritivas, ainda é possível tentar conseguir uma vaga através do FIES e ter seu financiamento estudantil.

Atualmente, é o programa de financiamento mais benéfico. Enquanto estiver cursando a faculdade, o estudante precisará pagar a cada 3 meses uma parcela de valor máximo de R$ 150,00 para abater os juros do financiamento.

Depois da conclusão do curso, o estudante terá um prazo de carência de até 18 meses para começar a pagar o empréstimo. O aluno pode então quitar a dívida em até 3 vezes o tempo financiado do curso.

Mais vantajoso que os programas apresentados acima, né?

No entanto, aderir ao programa está cada vez mais complicado, pois o número de vagas começou a ser reduzido desde 2016.

Para participar do processo seletivo do FIES, o estudante precisa ter renda familiar bruta, por pessoa, de até 2,5 salários mínimos.

Além disso, também é necessário ter feito alguma edição do (Enem) a partir de 2010 e ter obtido uma nota média, entre as provas, de no mínimo 450 pontos. Outro requisito é ter tirado nota maior do que 0 na redação.

Para conferir mais detalhes e datas de inscrição, acesse o site do FIES.

Tente uma bolsa de estudos

A concorrência entre as próprias instituições de ensino fez aumentar o número de bolsas oferecidas por elas, sem o FIES, a quantidade de alunos entrando diminuiu, então, nós podemos aproveitar um pouco.

É possível fazer faculdade com descontos de até 70% no valor da mensalidade. O QueroBolsa é um portal que reúne dezenas de faculdades com centenas de opções de bolsas.

E o melhor de tudo? O processo é inteiramente online. Você escolhe o curso, faz o cadastro, vê as condições de bolsa e faz a matrícula online, basta acessar.

Bolsa de estudos no ProUni

Outra opção é o programa de bolsas do ProUni, ele também funciona através da nota do Enem, mas a maior vantagem é que você vai conseguir um financiamento completo dos seus estudos e não vai ter que pagar nada no final do curso.

Basta manter uma boa média e seguir os requisitos do programa, para mais informações acesse o site.

Financiamento através da própria faculdade

Algumas instituições de ensino, além de bolsas, também oferecem um programa de financiamento.

Normalmente, eles funcionam igual ao financiamento bancário, onde se divide o valor das mensalidades pelo dobro do tempo, então, vale a pena simular com sua instituição, se essa modalidade faz sentido para você.

A empresa onde você trabalha oferece uma ajuda de custo?

Se você está trabalhando atualmente, uma das possibilidades de financiar sua faculdade é saber se a empresa onde você trabalha possui algum programa de benefício para pagamento de um curso superior.

Esse tipo de ajuda é comum em algumas empresas. O funcionário paga uma metade da parcela e a empresa a outra. Há também empresas que oferecem uma ajuda de 100% caso o funcionário permaneça no trabalho durante todo o período do curso.

Mas vale lembrar que nesses casos, o estudante geralmente precisa fazer um curso relacionado ao trabalho que já desenvolve dentro da empresa, além de ter que permanecer no emprego por um período preestabelecido após conclusão do curso, afinal, também é benéfico para a empresa ter um profissional mais capacitado.

Como escolher o financiamento estudantil

Constatou que não vai conseguir aderir ao FIES neste período e não quer adiar seus estudos? Pese todas as possibilidades antes de escolher.

Lembre-se que em alguns casos o financiamento estudantil é semestral, então você deve estudar seu orçamento para saber se terá condições de quitar as parcelas.

Lembre-se também que fazer uma faculdade inclui vários outros custos que vão além das mensalidades, como gasolina para ir de carro ou passagens de ônibus, além de alimentação, livros etc.

Escolha o financiamento que melhor se adeque às suas necessidades. E não importa qual for a opção escolhida, leia com muita atenção o contrato.

Pesquise bem antes de fechar contrato

O crédito estudantil é bem melhor do que os demais tipos de crédito, como o cheque especial e empréstimos bancários tradicionais, as taxas de juros são menores e o prazo para pagamento da dívida pode ser negociado.

Muitas universidades mantêm convênios com instituições financeiras que oferecem mais facilidade e condições melhores aos alunos. Vale a pena pesquisar e conhecer esses planos.

Se você pretende ingressar no ensino superior, é melhor que se prepare com antecedência, as melhores formas de dar continuidade aos estudos são as faculdades públicas, porém, com a quantidade de vagas limitadas e horários complicados para pessoas que trabalham, fica mais difícil.

Portanto, se você ainda tem tempo, se prepare para o Enem. Conseguir uma bolsa no Prouni ou uma vaga no FIES pode ser menos difícil do que você pensa, mas se o problema é mais imediato, procure pesquisar todas as formas de financiamento ao seu alcance.

Só não vale ficar endividado! Lembre-se que faculdade é um investimento para sua vida profissional e não apenas uma despesa extra. Logo, dedique-se ao máximo e faça seu futuro melhor.

Vídeo do canal Mobills no Youtube sobre o tema financiar sua faculdade

*****

LEIA TAMBÉM:

4 dicas para economizar com os lanches na faculdade! Comece agora!

Descubra quais são os 13 erros financeiros que você comete sem perceber

5 dicas para empreender com games

*****

Curtiu as dicas de como financiar sua faculdade? Tem outras dicas que não listamos aqui? Compartilhe conosco!

Banner convidando para o site do Mobills

Comentários