Resenhas

Resenha Os Segredos da Mente Milionária

Chave e livro simbolizando o livro Resenha Os Segredos da mente milionária
Ariane Lopes
Escrito por Ariane Lopes

O livro traz muitas dicas sobre como modificar a sua mentalidade para passar a pensar e agir como os ricos.

Resenha Os Segredos da Mente Milionária

Banner convidando para o site do Mobills

Neste sucesso de vendas, o autor T. Harv Eker, ensina importantes lições, em duas etapas, são elas: o que há de errado com a mentalidade da maioria das pessoas sobre o dinheiro e como mudar essa realidade, aplicando o que ele chama de “17 arquivos de riqueza”.

O livro traz aplicação prática desses arquivos e é crucial para quem quer aprender mais sobre a mentalidade das pessoas ricas. O próprio autor frisa que ser rico não é uma questão de nível de educação, inteligência, talento, oportunidades, métodos de trabalho, contatos ou sorte, depende prioritariamente do modelo de dinheiro que aprendemos durante nossas vidas.

Se você quer aprender qual o modelo de sucesso de Eker, ensinaremos agora todos os pontos-chave apresentados no livro. Confira mais esta maravilhosa resenha e, se possível, deixe seu comentário no final. O feedback em todos os artigos que gostarem ou não é muito importante para termos certeza que o conteúdo está sendo valioso para vocês!

Resenha Os segredos da mente milionária (T. Harv Eker)

capa do livro Os segredos da mente milionária

 

“Quem é, afinal, T. Harv Eker e por que devo ler este livro?”

Foto do autor T. Harv Eker

Na introdução, Harv começa contando como foi sua jornada até o sucesso, conta que era obcecado por riqueza, que havia estudado todo tipo de material sobre estratégias e formas de enriquecer, no entanto, os negócios que abria estavam constantemente quebrados e ele não entendia o porquê.

Um dia, um amigo milionário de seu pai lhe deu um conselho, disse que quem pensa como os ricos, obtém sucesso como estes. Harv, então, decidido a seguir o conselho, estudou tudo que podia sobre psicologia do dinheiro, do sucesso e sobre recondicionamento mental, e, usando essas ferramentas, finalmente conseguiu obter êxito nos negócios.

Ele percebeu que duas coisas o haviam impedido de chegar à riqueza antes, e não era o conhecimento de boas ferramentas para o sucesso, e sim: o pensamento de curto prazo, com urgência de resultados e consequente desmotivação quando estes não vinham; e o medo do fracasso, enraizado em sua mente pelo seu modo de pensar errado.

Ao longo do seu trajeto como replicador de suas ideias de “mentalidade de riqueza”, o autor viu (em muitos de seus seminários) pessoas que conseguiram sucesso e outras que não saíram do patamar que estavam. Ele atribui tal fato à questão de que o mais importante não é o que você aprende com ele, mas o que você está disposto a desaprender para ter sucesso.

Parte 1 – O seu modelo de dinheiro

No início da parte 1, Eker traz uma série de perguntas e afirma que a resposta delas determina seu grau de sucesso, já que demonstram como você pensa, o que se reflete no que ele chama de “regras internas para o dinheiro”.

Faça o teste e responda essas perguntas: quem é você, então? Como você pensa? Quais são as suas crenças? Quais são os seus hábitos e as suas características? Qual é a sua opinião sobre si próprio? Quanta confiança você tem em si mesmo? Como é o seu relacionamento com as pessoas? Até que ponto você confia nelas? Você realmente acredita que merece ser rico? Qual é a sua capacidade de agir apesar do medo, da preocupação, do incômodo, do desconforto? Você consegue ir em frente mesmo quando não está disposto a fazer isso?

Responda essas perguntas, pelo menos duas vezes, agora e ao final dessa resenha, depois que absorver os ensinamentos do autor.

Veja agora os princípios de riqueza apresentados:

1.“Os seus rendimentos crescem na mesma medida em que você cresce! Por que o seu modelo de dinheiro é importante?”

Pilhas crescentes de moedas

Nesse primeiro princípio, o autor compara pessoas que ganham na loteria e logo estão pobres de novo e multimilionários, como Donald Trump, que perdeu cada centavo de seus bilhões e anos depois novamente era um bilionário.

A questão-chave para o autor é: não importa quanto dinheiro você ganha, mas saber lidar com ele. Se você tem uma mente condicionada a gerar e manter riqueza você será bem-sucedido não importa o que aconteça no percurso, entretanto, algumas pessoas não estão preparadas para lidar com o dinheiro, pois falta a elas o principal: a mente milionária.

2. “Se você quer mudar os frutos, primeiro tem que trocar as raízes – quando deseja alterar o que está visível, antes deve modificar o que está invisível”

Esse princípio é explicado pelo autor pela teoria dos quatro quadrantes, na qual ele explica que nossas vidas acontecem nos mundos: físico, espiritual, mental e emocional.

O mundo físico é apenas a exteriorização dos outros três, dessa forma, se algo não está certo nele, devemos analisar em qual dos três quadrantes se encontra o erro, antes de corrigi-lo.

3. “Dinheiro é resultado, riqueza é resultado, saúde é resultado, doença é resultado, o seu peso é resultado. Vivemos num mundo de causa e efeito”

Palavra Results para simbolizar o tópico sobre resultados

Harv ensina que a falta de dinheiro é um sintoma e não o problema em si. Para tratar o problema devemos mudar nossa mentalidade sobre a riqueza e um instrumento poderoso são as declarações.

O autor convida os leitores a declararem em voz alta cada um dos princípios de riqueza pelo menos duas vezes ao dia, para que sirvam como reforço positivo no recondicionamento de suas mentes.

4. “A sua programação conduz aos seus pensamentos; os seus pensamentos conduzem aos seus sentimentos; os seus sentimentos conduzem às suas ações; as suas ações conduzem aos seus resultados”

Através desse resumo, o autor explica o chamado “processo de manifestação”. E alerta sobre os perigos da programação verbal enraizada em nossos subconscientes desde crianças, o chamado modelo de dinheiro que nos foi passado está velado em frases repetidas ao longo do nosso crescimento, como: não temos dinheiro para isso, dinheiro é ruim, ricos são gananciosos, entre outras.

ENTENDA COMO ENSINAR EDUCAÇÃO FINANCEIRA PARA CRIANÇAS

Outra programação enraizada em nosso subconsciente são os exemplos, o próprio autor descobriu que o motivo de fracassar diversas vezes antes de obter o sucesso (após o conselho recebido do amigo de seu pai) era que inconscientemente repetia o exemplo fracassado de negócios de seu pai.

Há ainda, os episódios específicos. No livro, Eker cita uma história interessante, de uma enfermeira que viu o pai dela morrer de enfarto, o senhor morreu em meio a uma discursão sobre dinheiro e isso a marcou negativamente. Assim, dinheiro para ela era associado com dor e, por esse motivo, ela não conseguia ser financeiramente bem-sucedida.

Depois de abordar detalhadamente cada uma das três programações negativas, ensina como se livrar dessas. São quatro passos a serem seguidos: conscientização, entendimento, dissociação e recondicionamento (feito através de declarações positivas, repetidas duas vezes ao dia em voz alta). Esquematizamos as dicas do autor para melhor visualização e prática.

Tipo de ProgramaçãoConscientizaçãoEntendimentoDissociaçãoReprogramação/declaração
VerbalEscreva as frases que ouvia sobre dinheiro e riqueza quando era criança.Escreva sobre como elas afetam sua vida financeira hoje.Entenda que pensar desse modo é uma opção e opte por não adotá-la.As coisas que eu ouvia sobre dinheiro não são necessariamente verdadeiras. Escolho adotar novas formas de pensar que contribuam para a minha felicidade e o meu sucesso.
Agora diga:
Eu tenho uma mente milionária!
ExemploPense no modo de ser e nos hábitos dos seus pais em relação à riqueza e ao dinheiro. Liste por escrito em que aspectos você se considera igual a cada um deles ou o seu oposto.Escreva sobre o efeito que esse exemplo vem causando na sua vida financeira.Entenda que pensar desse modo é uma opção e opte por não adotá-la.O exemplo que tive a respeito do dinheiro era o modo de agir dos meus pais. A minha maneira de fazer as coisas nessa área sou eu que escolho.
Agora diga: Eu tenho uma mente milionária!
Episódio específicoPense num episódio emocional específico a respeito de dinheiro que você tenha vivido quando criança.Escreva sobre como esse episódio pode ter afetado a sua vida financeira atual.Entenda que pensar desse modo é uma opção e opte por não adotá-la.Eu me liberto das minhas experiências passadas negativas com dinheiro e crio para mim um futuro novo e rico.
Agora diga:
Eu tenho uma mente milionária!

Para fechar a parte 1 do livro, Harv propõe uma autorreflexão sobre o modelo de dinheiro de cada um, a fim de descobrir se seu condicionamento está te levando por um caminho de sucesso ou fracasso.

Para responder essa questão, além dos passos mostrados na tabela, ele sugere mais algumas análises, que devem ser feitas nos seus resultados, renda, investimentos, entre outros. Isso ajudará você a saber qual é a sua programação em relação ao modelo de dinheiro.

De posse dessa informação, cabe a você “zerar” esse modelo e começar a reprogramá-lo para obter cada vez mais sucesso.

Parte 2 – Os 17 arquivos de riqueza

Várias notas de dinheiro em um quarto

A partir desse ponto, o autor passa a explicar quais são e como colocar em prática os arquivos de riqueza. Antes, porém, ele reforça que os seres humanos são como um imenso arquivo e a maior parte das decisões que tomamos no dia a dia são automáticas e baseadas em padrões.

Por esse motivo, devemos substituir algumas concepções e modelos por outros que trarão sucesso e riqueza. E reitera que, para que o livro seja efetivo, as lições devem ser colocadas em prática o mais rápido possível.

Arquivo nº 1: “Eu crio minha própria vida”

Você precisa estar no controle de sua vida, caso contrário, nada vai diferenciá-lo de um apostador de loteria que não tem estratégia nenhuma para riqueza, sua filosofia será baseada em deixar as coisas acontecerem.

Esse descontrole traz uma característica muito comum: o vitimismo. Ele se apresenta em três faces distintas e igualmente prejudiciais para o sucesso financeiro. O primeiro sintoma é culpar a tudo e a todos, menos a si próprio.

Depois, vem a justificativa. Sempre existe uma justificativa que na maioria das vezes é: “o dinheiro não é tão importante”. O autor chama a atenção para o perigo dessa frase, já que aquilo que não é importante para nós é descartável em nossas vidas, ou seja, se pra você o dinheiro não é importante você nunca o terá.

E a terceira e última face é a queixa, essa é verdadeiramente um problema, pois além de afastar as pessoas de você, ainda atrai outros queixosos e malsucedidos.

Harv propõe um exercício, que segundo ele mudou a vida de milhares de pessoas que assistiram suas palestras, não se queixar por 7 dias inteiros.

Conclui afirmando que essas três atitudes são como pílulas, já que apenas aliviam a dor do fracasso. No fundo, tem-se consciência de que a culpa é individual, que o dinheiro é sim importante e que a queixa é uma forma de demonstrar uma insatisfação interior.

Não seja uma vítima, vítimas nunca serão verdadeiramente ricas!

Declare: “Eu mesmo crio o meu próprio grau de sucesso financeiro”.

Arquivo nº 2: “As pessoas ricas entram no jogo do dinheiro para ganhar”

Ter uma mentalidade vencedora é crucial, por isso entrar pra vencer não é o mesmo de entrar no jogo para não perder.

Seu sucesso depende do que você almeja, se deseja uma vida confortável é isso que terá, mas se busca por riqueza você pode alcançar uma vida ricamente confortável.

Declare: “A minha meta é ficar milionário e mais ainda”.

Para transformar essa declaração em realidade é necessário seguir dois passos. Primeiramente, liste por escrito seus objetivos financeiros com prazos realistas e, em seguida, vá a um restaurante caro e escolha um prato sem olhar para coluna dos preços.

Assim, você estará treinando sua mente para agir como as dos milionários.

Arquivo nº 3: “As pessoas ricas assumem o compromisso de serem ricas”

Quem não quer ser rico? Porém, poucos têm a força interior e a determinação para chegar até lá.  Essa é a questão central, querer todos querem, mas é preciso firmar um compromisso consigo mesmo para alcançar o objetivo.

Para isso, é necessário extirpar de nossos cérebros as ideias contraditórias, já que a maioria das pessoas tem arquivos conflitantes quando o assunto é se tornar rico. Por exemplo, você pensa no que a riqueza pode trazer de bom, mas logo em seguida sua mente diz “isso dá trabalho”, “isso é difícil”, “você precisa de uma chance única que pode nunca acontecer”, “você já trabalha demais” e, assim, sua mente sabota sua atitude vencedora. Isso atrapalha o processo de construção de riqueza.

Neste ponto, pode-se incorrer novamente no erro das justificativas, procurando motivos para enquadrar a riqueza como problema.

A fim de reconhecer se está realmente focado em ser rico, você deve reconhecer se: quer ser rico, se escolhe ser rico e, finalmente, se você se compromete a ser rico.

O compromisso, entretanto, deve ser incondicional. Você deve estar disposto a dar tudo de si e se jogar sem reservas nos desafios que aparecerem no percurso, lembre-se: você está jogando para ganhar! E deve estar verdadeiramente e plenamente determinado a fazer fortuna.

Declare: “Eu me comprometo a ser rico”.

Depois, escreva em poucas palavras o que te motiva a cumprir esse compromisso, procure uma pessoa próxima e declare o que escreveu, colocando datas para o atingimento dessa meta.

Arquivo nº 4: “As pessoas ricas pensam grande”

Lâmpada simbolizando o tópico pensar grande

A sua remuneração é proporcional ao valor que você agrega ao mercado, dentro dessa lógica, quatro fatores são importantes: oferta, demanda, qualidade e quantidade.

O foco é oferecer produtos e serviços que tenham alta demanda, baixa oferta, excelente qualidade e em alta quantidade. Quanto mais pessoas você atingir com seu trabalho melhor.

Pense grande, o mundo já está cheio de pessoas medíocres, se você não atender as demandas, quem atenderá? Transforme suas metas em propósitos de vida e se comprometa com elas.

Declare: “Eu penso grande. Escolho ajudar milhares de pessoas.”

Após essa declaração, liste seus talentos e atividades nas quais se destaca. Descreva como pode usar essas ferramentas a seu favor, principalmente, em sua vida profissional.

E, então, faça uma sessão de “brainstorm” com outras pessoas para listar estratégias para aumentar em dez vezes o número de pessoas que você atinge hoje. Alavancagem é a palavra-chave.

Arquivo nº 5: “As pessoas ricas focalizam oportunidades”

Nesse tópico, o autor faz mais uma comparação do modo de pensar dos ricos e dos pobres. Para ele, os pobres estão sempre pensando no lado negativo, no que pode dar errado, ao invés de tomarem para si a responsabilidade de fazer dar certo.

O que falta a essas pessoas é confiança, o que acaba fazendo-as “marcarem passo” quando surge uma oportunidade. Como isso acontece? Simples, quem tem medo e não confia em si está sempre esperando estar mais bem preparado, quer estar pronto para tudo, quer entrar em um ramo como “expert” e, assim, nunca se sentem prontos para o sucesso.

Diferente destes, os ricos agem. Estudam os riscos e o ramo do negócio, mas sabem que é impossível obter todas as informações de antemão. Usam o princípio: “preparar, fogo, apontar”. Assim, eles se preparam, de maneira rápida e incisiva, depois partem para ação e, se algo der errado, eles consertam no percurso.

Harv, conta ainda uma história interessante, sobre como pesquisou uma área na qual queria atuar. Ele pretendia colocar um café 24h, começou sua pesquisa visitando as lojas do ramo, mas percebeu que ver os negócios de fora não era uma boa.

Então, começou a trabalhar como assistente de garçom e, nessa função, teve acesso a todo o funcionamento da empresa. No final, percebeu que não gostava daquele ramo e não adiantava insistir em algo com o qual não se identificava.

Entretanto, um amigo desse antigo emprego ligou para Harv um tempo depois e ofereceu para ele a oportunidade que o fez ganhar seu primeiro milhão. O que se pode tirar disso? Todo tempo investido em algo de seu interesse nunca será tempo perdido.

O autor aconselha que o leitor entre no que ele chama de “corredor” e esteja pronto para reconhecer as oportunidades (portas) que se abrem à medida em que se vai passando.

Nessa história, pode parecer que o fator sorte foi determinante, mas, como diz o autor, não há sorte sem ação. Se ele não tivesse agarrado a oportunidade, que, diga-se de passagem, seu amigo que lhe apresentou o negócio não fez, ainda estaria marcando passo.

Declare: “Eu focalizo as oportunidades e não os obstáculos.”

Para colocar esses ensinamentos em prática o autor aconselha que o leitor: pense numa situação ou num projeto que tenha tido vontade de começar e comece agora, de onde está, a partir do que você tem; pratique o otimismo, tudo o que alguém considerar problema ou obstáculo, reclassifique como oportunidade; faça uma lista de 10 coisas pelas quais você se sente grato e leia-a em voz alta durante os próximos 30 dias, se não se sentir feliz com o que escreveu comprometa-se a mudar de atitude.

DESCUBRA QUAIS SÃO AS 10 ATITUDES COMUNS EM PESSOAS BEM-SUCEDIDAS

Arquivo nº 6: “As pessoas ricas admiram outras pessoas ricas e bem-sucedidas”

 

A questão aqui é não se ressentir da riqueza e do sucesso dos ricos, pois isso causará uma série de sentimentos negativos e você nunca se tornará aquilo que despreza. Eker conta histórias de como ele mesmo já passou por situações de “ódio contra os ricos” e de como já sentiu esse sentimento em relação aos outros.

Porém, ressalta que as pessoas ricas que ele conhece são maravilhosas, solidárias e humildes. Cita vários exemplos de projetos sociais desenvolvidos por seus amigos, inclusive, neste ponto, pode-se fazer um paralelo bem claro com uma das lições de “Pai rico, pai pobre”, aquela que fala sobre dar para receber. (Leia também: Resenha Pai Rico, Pai Pobre.)

O importante é estar atento aos pensamentos tóxicos que podem envenenar sua mente e te afastar da riqueza.

Declare: “Eu admiro as pessoas ricas. Eu abençoo as pessoas ricas. Eu amo as pessoas ricas. E vou ser uma pessoa rica também.”

A fim de que essa declaração tome conotações mais reais, faça o que o autor propõe: pratique a filosofia de abençoar aquilo que você quer, escreva e envie uma breve carta ou um e-mail a alguém que você conheça (não necessariamente em pessoa) que seja extremamente bem-sucedido em qualquer campo, dizendo-lhe o quanto você o admira e respeita por suas realizações.

Arquivo nº 7: “Pessoas ricas procuram a companhia de pessoas ricas e bem-sucedidas”

Mulheres pulando na praia para representar pessoas bem-sucedidas

Esse princípio é um complemento do anterior, pois ensina que se deve usar os ricos como fonte de inspiração e agradecer por eles terem conseguido sucesso, pois assim é possível copiar as suas estratégias e formas de pensar para trilhar o mesmo caminho.

Dessa forma, além de não nos ressentirmos pela riqueza alheia, devemos nos aproximar dos detentores dessas riquezas e aprender com eles.

É igualmente importante manter-se longe de pessoas negativas ou, pelo menos, transformar a negatividade dessas em modelos mentais de como não ser. Entretanto, cuidado para não começar a julgar e criticar e tornar-se tão tóxico como seu exemplo negativo.

Assim, Harv nos ensina que em vez de desdenhar das pessoas ricas, devemos imitá-las. Em vez de evitá-las, conhecê-las. Em vez de apenas achaa-las o máximo, usá-las como inspiração para entender que: se elas podem, você também pode. No fim, quando você quiser tocar um milionário, bastará tocar a si mesmo.

Declare: “Eu imito as pessoas ricas e bem-sucedidas. Eu busco a companhia de pessoas ricas e bem-sucedidas. Se elas podem, eu também posso!”

Depois, siga esses quatro passos para aplicação prática:

  1. Leia a biografia de pessoas bem-sucedidas e aprenda sua história e seu modo de pensar.
  2. Frequente um local que os ricos frequentam, pode ser o bar de um hotel cinco estrelas ou um clube. Procure se sentir a vontade nesse meio e fazer contatos.
  3. Afaste-se de pessoas negativas ou diminua o contato com elas.
  4. Pare de assistir a bobagens na televisão e fique longe de conversas destrutivas.

Arquivo nº 8: “As pessoas ricas gostam de se promover”

A autopromoção é fator fundamental de sucesso. Como as pessoas saberão que você tem um produto ou serviço de sucesso se não lhes forem oferecidos?

Dessa forma, o autor revela que pessoas ricas são ótimas com marketing pessoal e vendas. Elas não têm medo de exposição, pois não temem o fracasso e a rejeição, além de acreditarem no que estão promovendo, seja a si ou seus produtos e serviços.

Declare: “Promovo o meu valor com paixão e entusiasmo”

Agora siga esses dois passos para obter sucesso com esse princípio: primeiro dê uma nota de zero a dez para o produto ou serviço que você oferece, se a nota for entre sete e nove, veja o que pode melhorar, se for inferior a sete desista desse ramo e procure algo novo, você não confia no seu produto; torne-se um especialista em marketing e vendas.

Arquivo nº 9: “As pessoas ricas são maiores que os seus problemas”

O autor abre os olhos do leitor para sua perspectiva sobre os problemas, ensinando que eles só são reais quando são maiores que sua força de caráter e determinação, dessa maneira, na verdade, não é que os problemas sejam grandes é você quem é pequeno. Assim, quanto maior se tornar diante deles, menores ou até insignificantes os problemas se tornarão.

As pessoas fracassadas e de mentalidade pobre, quando se deparam com problemas, perdem tempo e energia praguejando, se queixando e raramente encontram soluções criativas para amenizar a dificuldade, muito menos para que ela não volte a surgir.

Já os ricos não fogem das adversidades, não se esquivam nem se queixam delas. São guerreiros financeiros.

Assim, se você aprende a lidar com problemas e a superar qualquer obstáculo, o que pode impedi-lo de alcançar o sucesso? A resposta é: nada. E, se nada pode detê-lo, você não para nunca. E, se jamais para, que opções possui na vida? A resposta é: todas.

Declare: “Sou maior do que os meus problemas. Posso lidar com qualquer problema.”

Para praticar essas ações, siga os passos ensinados no livro:

  1. Sempre que você se sentir perturbado por um “grande” problema, aponte para si mesmo e diga: “Pequeno, pequeno, pequeno! Em seguida, respire fundo e declare para si mesmo: “Posso lidar com isso. Sou maior do que qualquer problema”.
  2. Registre por escrito um problema que você tem. Depois liste 10 medidas possíveis para resolvê-lo ou, pelo menos, para melhorar a situação. Assim, você deixará de pensar nesse obstáculo e começará a solucioná-lo. Além disso, se sentirá muito melhor.

Arquivo nº 10: “As pessoas ricas são excelentes recebedoras”

Nesse tópico, o autor critica a maneira com que muitas pessoas não se sentem merecedoras das oportunidades que surgem em suas vidas. Isso é gerado pela quantidade de respostas negativas e comentários depreciativos que escutamos ao longo do tempo.

Contudo, para fortalecer a mente milionária temos que ser bons recebedores, aceitar de braços abertos o que o universo tem para nos oferecer. Se negarmos repetidamente as dádivas, elas deixarão de vir.

Harv frisa que ao nascermos não fomos carimbados como “merecedores” e “não merecedores”, tudo isso é ilusão de nossas mentes, todos somos merecedores.

Por isso, declare: “sou um excelente recebedor. Estou aberto e propenso a receber grandes quantidades de dinheiro na vida.”

E siga os passos:

  1. Pratique ser um excelente recebedor. Toda vez que alguém o elogiar por qualquer motivo, diga apenas: “Obrigado”. Não retribua a gentileza na mesma hora, garanta à pessoa que o elogiou a alegria de lhe dar esse presente sem ter o desprazer da devolução.
  2. Absolutamente todo dinheiro que você achar ou receber deve ser festejado com muito entusiasmo. Vá em frente e declare em alto e bom som: “Eu sou um ímã que atrai dinheiro. Obrigado, obrigado, obrigado”. Lembre-se: o universo está programado para apoiá-lo. Caso você continue declarando que é um ímã que atrai dinheiro – e especialmente se você tem uma prova disso -, o universo dirá apenas “Certo” e lhe enviará mais.
  3. Pelo menos uma vez por mês, tome uma atitude especial para agradar a você mesmo e ao seu espírito. Faça coisas que lhe permitam se sentir rico e merecedor. Mais uma vez: a energia vibracional que você emite nesse tipo de experiência enviará ao universo a mensagem de que a abundância está presente na sua vida.

Arquivo nº 11: “As pessoas ricas preferem ser remuneradas por seus resultados. As pessoas de mentalidade pobre preferem ser remuneradas pelo tempo que despendem”

Ilustração de relógio simbolizando tempo dispendido

Mais uma vez o medo e a segurança são as chaves para manter-se pobre, pois ao aceitar ser remunerado de forma fixa e mensal, pelas horas trabalhadas, isso retira de você o foco de querer ganhar mais, de ser melhor, de gerar riqueza e tudo isso enraizado em quais sentimentos? Isso mesmo, medo e insegurança. Os ricos acreditam em si e assumem os riscos dos ganhos variáveis, sabendo que ganharão mais desse modo.

Quem troca tempo por dinheiro está quebrando a regra número um de riqueza, que afirma que não devemos colocar um teto para nossos recebimentos, pois estes serão inevitavelmente impedidos de crescer, já que o tempo é limitado, limitando, assim, seus ganhos.

As alternativas apresentadas pelo autor são: abrir um negócio próprio, trabalhar por comissão ou receber uma porcentagem da receita, dos lucros ou das ações da empresa. O importante é assegurar-se de criar uma situação que lhe permita ganhar com base nos seus resultados.

Outra opção é trocar o emprego por uma relação contratual. Se o seu empregador estiver disposto, ele pode contratar a sua empresa em vez da sua pessoa para realizar basicamente as mesmas atividades que você executa.

Declare: “Prefiro ser remunerado com base nos meus resultados.”

Para praticar o princípio você deve:

  1. Criar e depois propor ao seu empregador um plano de remuneração que lhe permita receber, ao menos parcialmente, com base nos seus resultados pessoais, bem como nos resultados da empresa. Caso você tenha um negócio próprio, estabeleça um plano de remuneração que permita aos seus colaboradores e fornecedores receberem basicamente pelos resultados que produzem e pelos resultados da sua empresa.
  2. Abrir um negócio próprio, ainda que em tempo parcial. Uma opção é oferecer serviços independentes de consultoria, recebendo por desempenho e resultados, e não apenas pelo seu tempo.

Arquivo nº 12: “As pessoas ricas pensam: ‘posso ter as duas coisas’.”

O autor adverte que em nenhuma outra área o pensamento de que podemos ter “as duas coisas” é mais importante do que no campo financeiro. As pessoas de mentalidade pobre acreditam que devem optar entre a riqueza e os demais aspectos da vida, por isso racionalizam a posição de que o dinheiro não é tão importante. Fazendo-as repelir a riqueza ao invés de gerá-la.

O dinheiro é importante, pois funciona como um lubrificante, que lhe permite “deslizar” pela vida, em vez de “se arrastar” por ela. Proporciona liberdade para você comprar o que desejar e fazer o que quiser do seu próprio tempo.

Com ele, você tem condições de desfrutar o que há de melhor e também a oportunidade de ajudar outras pessoas a satisfazer as suas necessidades básicas. Acima de tudo, ser rico faz com que você não precise gastar a sua energia se preocupando com a falta de dinheiro.

Caso deseje viver de fato uma vida sem limites, deixe de lado o modo de pensar excludente e mantenha a intenção de ter as duas coisas.

Declare: “Eu sempre penso: ‘Posso ter as duas coisas’.”

Para atingir essa forma de pensamento milionário:

  1. Pratique pensar em ter “as duas coisas” e crie maneiras de conseguir isso. Sempre que se encontrar diante de duas alternativas, pergunte-se: “Por que não posso ter ambas?”
  2. Pense em si próprio como um exemplo para os outros – mostrando que é possível ser bondoso, generoso, afetuoso e rico.

5 MOTIVOS PARA DESENVOLVER A SUA INTELIGÊNCIA FINANCEIRA

Arquivo nº 13: “As pessoas ricas focalizam o seu patrimônio líquido”

Foto de um imóvel luxuoso com piscina

Neste princípio, aprendemos que a verdadeira medida da riqueza é o patrimônio líquido e não os rendimentos.

O patrimônio líquido é calculado como sendo o valor de tudo o que uma pessoa tem (some o valor de todas as coisas que você possui – dinheiro, ações, títulos, imóveis, o seu negócio atual, a sua casa – e depois subtraia tudo o que deve).

O autor explica que o patrimônio líquido é oriundo de quatro fatores determinantes, quais sejam:

  1. Rendimentos: existem dois tipos de rendimentos, os ativos e os passivos. Os ativos são os valores que se ganha pelo trabalho, já os rendimentos passivos são aqueles recebidos sem que se precise trabalhar diretamente.
  2. Poupança: é quanto dos rendimentos são guardados para se transformarem em investimentos.
  3. Investimentos: é a maneira mais rápida de aumentar o patrimônio.
  4. Simplificação: simplificar o padrão de vida e de consumo para potencializar a geração de riqueza dos itens anteriores.

O autor aconselha um monitoramento contínuo do patrimônio líquido, uma vez que ao se concentrar nele esse patrimônio crescerá, já que aquilo em que a mente focaliza se expande. E alerta ainda que essa lei vale para todos os aspectos da vida: tudo aquilo de que você cuida cresce.

Declare: “Estou concentrado na construção do meu patrimônio líquido.”

Aplicação prática envolve:

  1. Manter-se concentrado nos quatro fatores do patrimônio líquido: aumentar os seus rendimentos, engordar a sua poupança, elevar o retorno dos seus investimentos e diminuir os gastos pessoais, simplificando o seu estilo de vida.
  2. Criar um extrato do seu patrimônio líquido. Atualize em reais tudo o que você tem (os seus ativos) e subtraia o valor de tudo o que deve (o seu passivo). Comprometa-se a monitorar e revisar trimestralmente esse extrato.
  3. Contratar um consultor financeiro bem-sucedido que trabalhe para uma firma conhecida e conceituada. A melhor forma de encontrar um excelente especialista nessa área é pedir referências a amigos e parceiros.

Arquivo nº 14: “As pessoas ricas administram bem o seu dinheiro”

O autor nos ensina que antes de gerir uma grande fortuna, é preciso adquirir o hábito e a capacidade de administrar pouco dinheiro. Lembre-se: somos criaturas de hábitos.

Portanto, o hábito de administrar o dinheiro é mais importante do que a quantidade de dinheiro que você tem. Não importa se você tem uma fortuna ou praticamente nada. O essencial é começar já a administrar o que está em suas mãos. Em pouco tempo, você ficará impressionado com os resultados.

A regra que Harv ensina para administrar o dinheiro corretamente é a seguinte: separe todo e qualquer ganho em seis contas. Da seguinte maneira:

  1. 10% para conta da Liberdade Financeira – esse dinheiro não deverá ser gasto em hipótese nenhuma, ele será usado para investimento e os rendimentos desses investimentos serão os valores que poderão ser gastos, nunca o principal.
  2. 10% para a Conta da Diversão – já esta, deve ser “zerada” todo mês. Exatamente. Você deve “torrar” mensalmente todo o dinheiro que tiver depositado, de um modo que o faça sentir-se rico. Imagine-se, por exemplo, passando um final de semana em um hotel de alta classe. Essa conta é essencial por dois motivos, primeiro ela fortalece o princípio de ser bom recebedor e, em segundo lugar, compensa seu esforço para seguir um plano financeiro. Se essa compensação não for feita, você pode se sabotar por não estar satisfazendo seus desejos de consumo.
  3. 10% para a Conta de Poupança para Despesas de longo Prazo;
  4. 10 % para a Conta da Instrução Financeira;
  5. 50% para a Conta das Necessidades Básicas;
  6. 10 % para a Conta das Doações.

Declare: Sou um excelente administrador de dinheiro.

Para colocar o princípio em prática:

  1. Abra as contas ensinadas.
  2. Crie na sua casa o Pote da Liberdade Financeira e guarde uma quantia qualquer ali todos os dias. Podem ser R$ 5 ou R$ 10, um único real, um centavo que seja ou todo o seu dinheiro trocado. Isso deixará a sua atenção diariamente concentrada na sua liberdade financeira. E, como você sabe, onde a atenção se fixa os resultados aparecem.
  3. Independentemente de quanto dinheiro você possui, comece a administrá-lo agora.

Arquivo nº 15: “As pessoas ricas põem o seu dinheiro para dar duro para elas”

O autor afirma, nesse tópico, que de fato é necessário trabalhar muito para ganhar dinheiro. Para as pessoas ricas, no entanto, essa é uma situação temporária. No caso de quem tem uma mentalidade pobre, é permanente.

Os ricos entendem que é necessário suar a camisa somente até que o seu dinheiro comece a trabalhar duro o bastante para ocupar o seu lugar. Eles acreditam no seguinte: quanto mais o seu dinheiro trabalha, menos eles terão que trabalhar.

Em outras palavras, a meta é tornar-se financeiramente livre tão rápido quanto possível. A definição de liberdade financeira é simples: é a capacidade de viver o estilo de vida que você deseja sem precisar trabalhar nem depender do dinheiro de alguém.

O rendimento sem trabalho é chamado de rendimento passivo. Para vencer no jogo do dinheiro, o objetivo é ter um rendimento passivo que dê para pagar pelo estilo de vida desejado. Em suma, você se torna financeiramente livre quando o seu rendimento passivo excede as suas despesas.

Os rendimentos passivos podem ser investimentos, quando o dinheiro trabalha para você, ou podem ser os negócios que trabalham para você. Estes últimos, são os rendimentos contínuos de negócios cuja operação não depende do seu envolvimento pessoal, como aluguel de imóveis, royalties de livros, músicas e programas de computador; licenciamento de ideias; franqueamento de marcas; propriedade de depósitos; e marketing de rede, ou multinível, para citar alguns. Isso também inclui montar qualquer negócio que esteja sistematizado para operar sem a sua presença.

O segredo para alcançar os rendimentos passivos é instruir-se. Aprenda sobre o mundo dos investimentos. Familiarize-se com os vários tipos de investimento e instrumentos financeiros, como imóveis, hipotecas, ações, fundos, letras de câmbio, moeda estrangeira, tudo o que esteja ao seu alcance. Escolha uma área para se especializar. Comece a investir nesse campo e depois diversifique.

Resumindo esse tópico, pode-se dizer que as pessoas que pensam pequeno dão duro, gastam todo o seu dinheiro e precisam trabalhar muito para sempre; quem é rico trabalha duro, poupa e investe o dinheiro para nunca mais ter que trabalhar.

Declare: “O meu dinheiro trabalha para mim e se multiplica.”

Para que a declaração se torne real:

  1. Instrua-se.
  2. Mude o foco: do rendimento “ativo” para o “passivo”.
  3. Não espere para adquirir imóveis. Compre-os e espere.

Arquivo nº 16: “As pessoas ricas agem apesar do medo”

Mulher sentada no topo da montanha para simbolizar a superação do medo

O medo, a dúvida e a preocupação são alguns dos maiores obstáculos não apenas ao sucesso como também à felicidade. Por esse motivo, uma das maiores diferenças entre as pessoas ricas e as de mentalidade pobre é que as primeiras estão sempre dispostas a agir apesar do medo, enquanto as últimas deixam-se paralisar por ele, pois buscam o conforto. A ação é peça chave para o sucesso, uma vez que ela faz a ponte entre o mundo interior (pensamento e intenção) com o mundo exterior (resultados).

Sendo assim, é imperativo superar o medo, pois, embora nunca ninguém tenha morrido de desconforto, a aspiração ao conforto matou mais ideias, oportunidades, ações e crescimento do que qualquer outra coisa neste mundo. O conforto aniquila. Se a sua meta na vida é se sentir confortável, eu lhe garanto duas coisas: primeiro,  você nunca ficará rico; segundo, jamais será feliz.

A felicidade não é obtida com uma vida mais ou menos satisfatória, em que ficamos o tempo todo nos perguntando o que mais poderia ter acontecido. A felicidade surge como resultado de estarmos no nosso estado natural de crescimento e vivendo o máximo do nosso potencial.

Declare: “Eu ajo apesar do medo. Eu ajo apesar da dúvida. Eu ajo apesar da preocupação. Eu ajo apesar da inconveniência. Eu ajo apesar do desconforto. Eu ajo quando não estou com vontade de agir.”

A fim de concretizar sua decisão:

  1. Liste os três maiores medos ou preocupações que você tem a respeito de dinheiro e riqueza. Para cada um deles, escreva o que faria se a situação temida efetivamente acontecesse.
  2. Pratique sair da sua zona de conforto.
  3. Observe a si próprio e os seus padrões de pensamento. Acolha somente aqueles que contribuam para a sua felicidade e o seu sucesso.

Arquivo nº 17: “As pessoas ricas aprendem e se aprimoram o tempo todo”

Harv ensina que ou se é rico ou se sabe tudo, já que as pessoas de mentalidade pobre estão sempre tentando provar que estão certas. Elas usam a máscara de quem já sabe tudo e justificam seu fracasso financeiro como sendo um golpe de má sorte ou um probleminha passageiro.

Pessoas de mentalidade pobre não admitem seus erros e não aprendem com eles, assim, desperdiçam a dádiva de aprender continuamente e evoluir, ao invés de serem deixados para trás. O autor traz um impactante conceito para corroborar sua linha de raciocínio, quando diz que: a definição de insanidade é fazer sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.

A ideia é você se aprimorar para se transformar em alguém bem-sucedido. O seu mundo exterior é apenas um reflexo do seu mundo interior. Você é a raiz, os seus resultados são os frutos.

Outra razão pela qual é obrigatório você se instruir e se qualificar continuamente é que para ganhar o máximo, você tem que ser o máximo.

Portanto, o autor sugere que o leitor dedique muita atenção e energia a aprender continuamente e, ao mesmo tempo, a escolher com cuidado a pessoa que lhe fornecerá conhecimentos e conselhos.

Aprenda com quem apresenta resultados concretos, você não deve investir com um corretor que nunca fez isso, já que a melhor maneira de aprender é vivenciar experiências, se o corretor só conhece o mercado na teoria ele é tão inexperiente quanto você. Se você se instruir com quem não vai bem, sejam consultores, orientadores ou planejadores, a única coisa que irá aprender é como fracassar.

19 LIVROS QUE VOCÊ DEVE LER SE QUISER SE TORNAR RICO

Declare: “Eu me comprometo a aprender e crescer o tempo todo.”

E, comprometa-se com o seu crescimento. Todo mês, leia pelo menos um livro ou participe de um curso ou seminário sobre dinheiro, negócios ou desenvolvimento pessoal. O seu conhecimento, a sua confiança e o seu sucesso agradecerão.

Por último, o autor aconselha que os exercícios sejam feitos do modo como é ensinado e que o livro seja lido todo mês por um ano inteiro, com objetivo de solidificar a nova programação.

O que fazer com toda essa informação?

O objetivo do livro é a reprogramação do seu modelo de riqueza, começando por identificar e substituir os pensamentos negativos de forma consciente por outros que o fortaleçam. E onde você encontra esses modos de pensar? No livro. Todas as declarações contidas neste artigo são modos de pensar que transmitem força e êxito.

Adote todas essas maneiras de pensar e ser e também essas atitudes como suas. Decida agora mesmo que a sua vida será melhor se você optar por pensar da forma como foi sugerida aqui em vez de permanecer com os hábitos mentais autodestrutivos do passado.

Determine que, de hoje em diante, os seus pensamentos não mais o governam, você é quem os governa. A partir de agora, a sua mente não é mais o capitão do navio: você é o capitão e a sua mente está sob as suas ordens.

Lembre-se: Você pode escolher os seus pensamentos.

Para finalizar, mais uma vez quero pedir que se você gostou ou não do texto, deixe o seu comentário. Ele é muito valioso para que possamos saber se vocês estão aprovando o conteúdo que estamos oferecendo!

*****

LEIA TAMBÉM:

8 erros que milionários não cometem

Descubra 12 hábitos dos milionários que, se praticados, irão mudar sua vida

4 decisões indispensáveis para que você possa se tornar um milionário

*****

Curtiu a Resenha Os segredos da mente milionária? Quer ver a resenha de qual livro? Compartilhe conosco!

Banner convidando para o site do Mobills

 

Gostou da Resenha Os segredos da mente milionária? Compartilhe nas redes sociais! A sua opinião é muito importante para nós! Sugira novos temas, deixe seu comentário.

Comentários

Sobre o autor

Ariane Lopes

Ariane Lopes

Ariane Lopes, redatora do Portal Mobills. Formada em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará - UFC e Pós-graduanda em Gestão Pública pela Universidade Católica Dom Bosco - UCDB. Pesquisadora incansável dos temas educação financeira e finanças pessoais. Principais hobbies: assistir documentários, ler, organizar eventos e viajar.