Conheça a Regra 50 30 20: um ótimo método de organização do orçamento
5 (100%) 2 votes

Conheça a Regra 50 30 20: um ótimo método de organização do orçamento
Banner convidando para conhecer o sistema Mobills Web

Já sentiu dificuldade em criar um orçamento, ou mesmo teve preguiça de fazer isso?

Nem todos os tipos de orçamento são iguais e esse que vou te mostrar no post de hoje é um modelo que pode facilitar bastante sua vida.

Um orçamento é muito mais do que se planejar para pagar suas contas em dia, ele também deve determinar suas prioridades e o quanto você gasta em cada categoria de despesa.

Dentro desse contexto, a regra 50 30 20 é uma maneira de orientar seu orçamento, de modo a alinhar seus gastos aos seus objetivos financeiros.

Quer entender por que este método é tão prático e como ele vai te ajudar a criar o seu orçamento? Então, não deixa de ler o artigo até o final.

Você não precisa ser um especialista financeiro para entender para onde seu dinheiro está indo e quanto você pode gastar, basta utilizar um bom aplicativo de controle financeiro e seguir a regra 50 30 20.

Método 50 30 20 de organização de orçamento

A regra 50 30 20 consiste basicamente em dividir suas despesas em três categorias:

  • Necessidades. 50% da sua renda deve ser dedicada às despesas de sobrevivência, itens essenciais para sua vida. Isso inclui, aluguel, utilidades, alimentação e transporte.
  • Desejos pessoais. 30% da sua renda deve ser usada para gastos flexíveis, ou seja, tudo que você compra, mas não precisa necessariamente (como o dinheiro gasto em filmes e viagens).
  • Poupança e/ou dívidas. 20% da sua renda deve ser dedicada a metas financeiras, ou seja, suas economias, investimentos ou pagamentos de dívidas.

Este método de orçamentação é útil porque oferece um conjunto de regras que, se seguidas, podem guiar melhor seu caminho rumo à independência financeira.

Tenha em mente que as porcentagens definidas para itens essenciais e despesas relacionadas a desejo são o teto máximo de gasto que você deve ter nessas categorias.

Contudo, caso queira economizar ainda mais que os 20%, você pode destinar mais dinheiro dessas áreas para outros objetivos financeiros.

Agora, vamos explicar de maneira um pouco mais detalhada as 3 áreas.

Necessidades e gastos essenciais

Reserve metade da sua renda para as despesas fundamentais para sua sobrevivência.

Você deve considerar todos os seus gastos para que esse número faça sentido.

As despesas essenciais são aquelas que você não pode evitar, são despesas que você tem de pagar independentemente de onde você mora, trabalha, ou planeja ir.

No geral, essas despesas incluem: moradia, alimentação, transporte e outros serviços que você tem que utilizar.

Vale ressaltar que esses gastos variam conforme o estilo de vida que você leva, mas o importante é saber que eles não devem superar 50% do seu orçamento.

Se ultrapassarem, está na hora de você fazer ajustes na sua vida. Provavelmente, você está vivendo em um padrão que não condiz com a sua realidade financeira.


Você tem o poder de mudar sua situação financeira


Desejos pessoais

Essa é a categoria dos gastos que te deixam feliz, mas cuidado!

Ela pode ser a grande causa do seu descontrole financeiro. Essas são as despesas que causam maior diferença no seu orçamento, porém, são elas que melhoram seu estilo de vida.

Para alguns, esses são gastos supérfluos e desnecessários, mas sabemos o quanto eles são importantes na nossa vida, afinal, uma diversão é boa de vez em quando.

O importante é não cair na besteira de gastar demais com luxos que não condizem com seu nível de vida apenas para esbanjar ou buscar demonstrar status para a sociedade.

Itens dessa categoria podem incluir, planos de telefonia e internet (caso não sejam uma necessidade para seu trabalho), viagens, Tv a cabo, restaurantes, cinemas, entre outros.

Neste caso, simples cortes ou adaptações (como reduzir as idas a restaurantes ou cinemas) podem fazer grande diferença no seu orçamento.


36 sites e aplicativos primordiais para quem quer viajar barato


Poupança e dívidas

Esta última categoria está relacionada a separar uma quantia para seus planos de poupança, ou para quitar suas dívidas, que podem ser: financiamento de automóvel, pagamentos da faculdade, empréstimos, ou qualquer coisa que tire seu sono quando o assunto é dinheiro.

Você deve separar esse valor logo que terminar de pagar seus itens essenciais para sobrevivência, mas antes de pensar na categoria de desejos pessoais.

Poupança é onde você pode e deve ser mais flexível para cima, ou seja, não pode guardar menos que 20%, mas se possível, guarde 25 ou 30%.

Dessa forma, você pagará suas dívidas mais rapidamente e dará um passo à frente para conquistar seus objetivos financeiros.

Mas a regra 50 30 20 realmente funciona?

Esse método ajuda a organizar suas finanças de uma maneira simples, para que você priorize pagar suas contas em dia, evite dívidas e possa realizar seus sonhos/metas pro futuro.

No entanto, o melhor é que ele ainda te permite ter um dinheiro separado para gastar com sua diversão no presente. Assim você não fica com peso na consciência de gastar com coisinhas pra você de vez em quando.

A regra 50 30 20 é um bom ponto de partida para quem está começando nesse mundo do planejamento financeiroNão há incertezas, as etapas são claras, existe espaço para economia e outros objetivos.

Além disso, a simplicidade torna muito mais provável que você continue a se organizar no longo prazo, até alcançar a estabilidade financeira.

Como usar o orçamento 50 30 20

A vantagem é que esse orçamento pode ser flexível dependendo da sua necessidade. Então, cabe a você decidir como vai usar.

Se você tem muitas dívidas, pode escolher priorizar o pagamento delas por hora e tirar uma porcentagem do orçamento das outras áreas.

Chegou a hora de colocar a mão na massa. Veja um passo a passo para usar a regra 50 30 20 e começar a organizar seu orçamento.

Calcule sua renda após todos os descontos

Você precisa descobrir a sua renda líquida ou renda real, que é aquela que resta após todos os descontos: impostos, taxas de movimentação bancária, descontos na folha de pagamento, seguros etc.

Se você trabalha com carteira assinada, sua renda verdadeira é fácil de descobrir, é só conferir sua folha de pagamento e subtrair os valores.

Caso você seja um autônomo, você deve subtrair da sua renda bruta (todo o dinheiro que você recebeu durante o mês) os impostos e as despesas da sua empresa.

Limite suas necessidades a 50%

Agora é hora de revisar seu orçamento.

Observe o quanto você gasta em “necessidades”, como alimentação, moradia, serviços públicos, saúde e transporte.

Como já mencionado, o valor que você gasta nessas “necessidades” não deve ser superior a 50% de seu salário total após os descontos.

O que é uma necessidade e o que não é uma necessidade?

Qualquer pagamento que afeta severamente a sua qualidade de vida, como a energia elétrica e medicamentos, são uma necessidade.

Por outro lado, qualquer outra coisa que não seja vital para sua existência ou muito importante para a sua qualidade de vida, como sua conta de tv a cabo ou uma roupa nova, não é uma necessidade. 


Você não precisa de tudo – aprenda a diferença entre desejo e necessidade


Limite seus gastos pessoais a 30%

Ok, então, trinta por cento do meu dinheiro pode ser gasto em coisas que não são minhas necessidades? Já estou procurando sapatos novos, viagens, aquele restaurante novo que abriu…

Calma aí! Não tão rápido.

Lembre-se de como fomos rigorosos com a definição de “necessidade”?

Dessa maneira, seus “desejos” devem incluir seu plano de telefonia e internet, a conta de tv a cabo da sua casa e até mesmo alguns itens cosméticos ou aquele celular último lançamento que você pode querer, mas não precisa tanto.

Às vezes, você vai comprar algo que parece uma “necessidade”, mas que na verdade é um “desejo”.

Um pão no café da manhã é uma necessidade, um hambúrguer da loja da esquina pode ser uma vontade.

Sim, ambos são classificados como “alimentação” que é uma das suas maiores prioridades, mas um deles é claramente dispensável.

Você pode estar gastando mais em “desejos” do que você pensa.

Uma quantidade razoável de roupas para o dia a dia é uma necessidade. Qualquer coisa além disso – como comprar roupas só porque estão com desconto – é qualificado como um desejo.

Guarde pelo menos 20% para poupanças ou pagamento de dívidas

Pelo menos 20% de seus rendimentos devem ser voltados para o pagamento de dívidas ou economizados para algum fundo de investimento ou aposentadoria.

Se você estiver com problemas reais relacionados as suas dívidas, pode tentar alocar alguns dos recursos das outras áreas e até aumentar o montante disponível para quitar logo seus débitos.

Caso você não tenha dívidas, mas sempre teve muita dificuldade para poupar dinheiro, algo que pode facilitar muito nessa etapa, é a automatização do dinheiro destinado à poupança.

Dessa forma, você garante que não vai esquecer de separar uma parte dos seus rendimentos para esse fim.

Conclusão

Parabéns, agora você criou ou começou a planejar um orçamento. Você deve estar ciente de quanto dinheiro você gasta em sua casa, e quanto planeja guardar para o seu futuro.

Mas não pare por aqui, seja lá o que fizer, continue aprendendo sobre dinheiro e orçamentação para começar a fazer melhores escolhas financeiras e a viver a vida que você sempre quis.

Quando se trata de dinheiro, com certeza não faltam maneiras de gastá-lo, na verdade.

É por isso que sempre batemos no mesmo ponto aqui no Mobills. Você sabe para onde está indo e para onde deveria estar indo o seu dinheiro?

Fazer o método de orçamento 50 30 20 pode ser uma boa maneira de começar a se organizar, mas não se detenha a ele, continue aprendendo novas formas de economizar e organizar suas finanças e faça um planejamento financeiro que combine com você.


LEIA TAMBÉM:

5 regras simples para organizar seu orçamento

Finanças pessoais: como organizar o orçamento em tempo de crise

Saiba como elaborar seu orçamento corretamente em 4 passos


P.s.: Gostou do artigo As regras do orçamento 50/20/30? A sua opinião é muito importante para nós! Sugira novos temas, deixe seu comentário.

Comentários