Planejamento Financeiro

Como elaborar um planejamento financeiro pessoal incrível em 13 passos

Desenho de relógio e pilhas crescentes de moedas simbolizando o tema Planejamento financeiro
Victor Leitão
Escrito por Victor Leitão

Um passo a passo bem completo para você criar seu planejamento financeiro hoje mesmo.

Como elaborar um planejamento financeiro pessoal incrível em 13 passos

Banner convidando para o site do Mobills

Quem acompanha as postagens do Portal Mobills já sabe que para realizar seus sonhos, se livrar das dívidas ou alcançar outros objetivos financeiros é necessário um bom planejamento.

Melhorar as finanças pessoais não é “algo de outro mundo”, mas você deve sempre tentar aprimorar seus hábitos financeiros, ler sobre o assunto, ser disciplinado no controle dos seus gastos e se preocupar em analisar constantemente o seu orçamento.

Sendo assim, preparamos um texto com 13 passos importantes para ajudar aqueles que ainda não fizeram o seu planejamento financeiro.

Tente seguir esses passos e, com certeza, sua vida financeira irá melhorar. Aprenda como elaborar um planejamento financeiro agora mesmo:

13 passos para criar um planejamento financeiro pessoal incrível

 

1 – Acompanhe diariamente as suas despesas e receitas

Homem usando uma lupa

Essa primeira dica é fundamental. Você precisa acompanhar, diariamente, as suas receitas e despesas. Você poderia se perguntar: mas por que devo fazer isso?

Quando você não acompanha suas receitas e, principalmente, despesas diariamente, você estará jogando seu futuro financeiro para a sorte. Você não quer fazer isso, não é mesmo?

Entenda, quanto mais controlarmos as variáveis que envolvem o nosso sucesso financeiro, menos dependeremos da sorte para alcançar os nossos objetivos.

Dessa maneira, para facilitar o controle das despesas e receitas diárias, você deve utilizar um aplicativo gerenciador financeiro no celular, como o Mobills (baixe agora para Android, iOS ou Windows Phone), que é a maneira mais moderna e diria até a mais eficiente, pela praticidade de estar sempre com o celular em mãos; ou uma planilha no computador, que também é um ótimo recurso, mas um pouco menos prático e que pode gerar mais esquecimentos, por você não anotar os gastos e ganhos na hora que eles acontecem; ou até mesmo o caderninho, se você preferir, mas anote e acompanhe!

Obs.: Não esqueça de anotar todas as suas despesas, principalmente aquelas que você compra com dinheiro quando está na rua. Você irá se surpreender ao ver a influência dos pequenos valores no seu resultado final.

2 – Compre somente o que você realmente precisa

Ilustração de pessoas levando suas cabeças dentro de sacolas simbolizando o consumismo

Isso não é tão fácil. Cada um tem os seus pontos fracos, mas você não pode deixar se levar pelo consumismo. O importante é você saber qual é o seu ponto fraco para aprender a contorná-lo.

Uma forma de evitar que você compre mais do que precisa é elaborar uma lista de compras. Toda vez que você necessitar comprar algo, anote isso numa lista.

Isso ajuda a controlar seus impulsos consumistas e evita que você fique tentando lembrar do que precisa. A regra da lista é muito simples: só compre o que estiver escrito nela. O que não está ali não deve ser comprado.

Outra dica importante, faça a lista e tome decisões sobre as compras em casa. Os shoppings e lojas estão cheios de armadilhas para estimular o seu consumo. É a mesma coisa que ir a uma lanchonete com fome.

3 – Compare os preços antes de comprar produtos

Mulher comparando o preço de dois produtos semelhantes

Hoje em dia é muito fácil comparar os preços dos produtos, principalmente porque hoje temos a internet para nos ajudar.

Sempre verifique o preço do produto em outras lojas antes de comprá-lo. Pode parecer pouco, mas se você conseguir economizar de 10 a 20% nas compras que faz (algo que não é nada impossível), você terá de 10 a 20% a mais no final do ano. Mais um motivo para destruir o mito de que você não consegue poupar.

Existem várias formas de pesquisar preços na internet. Por exemplo, você pode utilizar o site Buscapé, porque nele além de conseguir comparar os preços dos produtos, é possível verificar as notas de cada loja. Afinal, não adianta comprar um produto por um preço muito barato se a loja não for confiável.

4 – Utilize o cartão de crédito apenas quando for benéfico

Mão segurando um cartão de crédito

Uma vantagem do cartão de crédito é que você pode parcelar suas compras em várias vezes. Isso é vantajoso quando você quer comprar um produto em uma loja que não lhe dá desconto à vista, mas possibilita que você compre a prazo em várias vezes sem juros.

Se você não paga juros, vale a pena comprar parcelado, porque você poderá aplicar seu dinheiro em outros investimentos e ter algum rendimento.

Além disso, alguns tipos de cartões dão milhas. Assim, tudo que você comprar com esses cartões será revertido em pontos que lhe permitirão fazer viagens. Quem tem muitos gastos mensais e utiliza o cartão para pagá-los, consegue vários pontos.

Alguns locais também oferecem outras vantagens para determinados cartões, como direito a descontos em shows, cinemas, acesso a salas VIP. Enfim, você tem que verificar quanto é a anuidade do seu cartão. Se todos os benefícios que ele lhe dá compensam a anuidade, ele pode ser interessante.

Por exemplo: se você vai ao cinema 2 vezes por mês e economiza 20 reais/mês utilizando o desconto que o cartão lhe dá, não haveria problema em pagar uma anuidade de até 240 reais por ano.

Entretanto, você deve sempre lembrar de negociar a anuidade, nunca pague o valor cobrado, pois em muitos casos é excessivo. Cabe ressaltar que alguns cartões nem cobram anuidade, então procure as melhores opções.

5 – Pague à vista quando tiver desconto

Pessoa segurando várias cédulas de 20, 50 e 100 reais

Pagar à vista quando tiver desconto sempre é vantajoso, porque é uma forma de você comprar o produto a um preço mais barato.

Além disso, não haverá parcelas nos próximos meses, o que ajuda você a não se endividar pelo acúmulo de prestações.

6 – Tenha metas bem definidas no seu planejamento financeiro

Vários alvos e um dardo atingindo um deles simbolizando metas

Você precisa ter metas bem definidas para alcançar seus objetivos. As metas são muito importantes, porque você transforma em números os seus resultados e consegue verificar se tudo está indo conforme o planejado ou não.

Imagine um grupo de amigos que resolveu fazer uma dieta de controle calórico para alcançar um determinado percentual de gordura.

Desde que começaram eles controlam toda quantidade de carboidratos, de proteínas e de gorduras que ingerem diariamente, além da qualidade dos alimentos ingeridos. Também fazem uma avaliação física periodicamente, o que permite que eles verifiquem se tudo está indo de acordo com o planejado.

Agindo assim, é muito difícil que eles não tenham sucesso, pois eliminaram ao máximo as chances de fracasso. Estão controlando o maior número de variáveis possíveis, fazendo metas e verificando se tudo está funcionando como deveria.

Com as suas finanças o processo não é diferente. Você deve fazer um planejamento financeiro, segui-lo e verificar periodicamente os resultados obtidos. Até para saber como contornar desvios que possam vir a ocorrer.

7 – Analise os seus objetivos mensalmente

Homem marcando vários quadrados representando objetivos alcançados

Você já pensou o que aconteceria se uma pessoa fosse fazer uma viagem para uma distância muito longa e não analisasse se a rota estava sendo seguida como ele planejou? Pois é, a maior parte das pessoas não faz isso com os seus objetivos financeiros.

Por isso, quando fizer um planejamento financeiro para um prazo muito longo, não se esqueça de fazer metas de curto prazo. As metas de 20 anos podem ser transformadas em metas de 10 anos, depois em metas de 5 anos, 1 ano, 3 meses e assim por diante.

8 – Viva de acordo com a sua condição financeira

Homem pedalando na orla

A maior parte dos brasileiros gosta de viver o momento presente. Muitas pessoas querem distância da palavra economizar e amam ir ao shopping fazer compras, preferem viver de aparências, mesmo que elas não sejam sustentáveis no longo prazo.

Pense nisso: qual o percentual da sua renda que você gasta com seu carro e com outros bens? Uma coisa é um multimilionário ter um carro extremamente caro (que corresponde a menos de 1% do dinheiro dele), outra coisa é uma pessoa que compra um carro que não consegue bancar, porque o carro consome 50% do salário dessa pessoa.

A mensagem essencial é: viva de acordo com o seu padrão de renda. Caso contrário, você pode se complicar bastante em relação às suas finanças.

Lembre-se: os juros compostos a seu favor são excelentes, mas contra são extremamente danosos. Portanto, evite se endividar a qualquer custo!

9 – Busque informações sobre investimentos

Ilustração de aperto de mãos e várias colunas de moedas simbolizando investimentos

Quanto mais cedo você começar a ler sobre investimentos, mais rápido poderá pôr em prática o que está aprendendo.

O tempo que você investe é algo que influencia fortemente no seu resultado. Alguém que começa a investir 10 anos antes de outra pessoa está muito na frente, porque potencializou os juros compostos (juros sobre juros).

Além disso, ao estudar sobre investimentos, você poderá entender melhor sobre onde deve colocar seu dinheiro e onde obterá melhores resultados.

10 – Trace objetivos realistas

Mão desenhando uma escada com um homem no último degrau

É muito importante que você seja realista sobre o rendimento dos seus investimentos. Se você acha que vai ganhar 10% ao ano, considere um rendimento de 9% ao ano nos seus cálculos.

Assim, você irá se prevenir contra eventuais problemas. Pode ser que a taxa de juros caia ou que qualquer outra coisa aconteça. É necessário ser prudente.

Muitas pessoas se dão mal nos investimentos porque acreditam que vão ganhar muito dinheiro facilmente ou passaram a poupar menos quando melhoraram seus rendimentos.

Enfim, tome muito cuidado quando começar a fazer seu planejamento financeiro. Mantenha o foco.

Como manter a saúde do planejamento financeiro?

Agora que você já sabe como criar um planejamento financeiro, é legal conhecer outras medidas que você pode passar a utilizar no dia a dia.

Primeiramente, você tem de pensar que o seu dinheiro não vai durar para sempre. Logo, você deve planejar no longo prazo em relação aos seus investimentos e bens materiais — para sua vida ser equilibrada.

Entretanto, é cada vez mais comum as pessoas não pensarem no amanhã e sim no agora. Com isso, a possibilidade de contrair dívidas é maior, dificultando o planejamento financeiro.

O que fazer quando isso acontece? Ter consciência é o primeiro passo para você manter a saúde das finanças pessoais.

A lógica é simples, já que o seu salário deve atender às suas necessidades básicas e de lazer. Gastar o que é necessário e extrapolar quando dá é permitido, mas você precisa ter consciência dos seus gastos e das suas prioridades.

Portanto, veja o que você deve fazer no seu dia a dia para organizar as finanças pessoais:

11. Regra 50-15-35 no planejamento financeiro

Já ouviu falar da regra 50-15-35? A saúde financeira depende de como você vai gerenciar os gastos e as despesas. Estima-se que a regra é essencial para você ter como equilibrar os custos.

Funciona assim: 50% do seu salário deve ser destinado aos pagamentos dos itens essenciais e básicos, como conta de luz, telefone, água, condomínio, parcela do carro, aluguel.

Apenas com 15% você deverá quitar (aos poucos) as dívidas que tiver em bancos ou agências. Os outros 35% serão destinados ao lazer e a atividades extracurriculares (academia, passeios, viagens). Dessa forma, é possível estabilizar-se e fazer um bom planejamento financeiro na prática.

12. Diga não ao cartão de crédito

Mesmo que o cartão de crédito seja algo muito útil e prático, é a partir da utilização desse objeto que as metas financeiras podem sair do caminho.

O orçamento de cada cartão é limitado, e geralmente os juros são altos — principalmente se você parcela em muitas vezes.

Logo no começo dos ajustes financeiros, o recomendado é aposentar o cartão de crédito. Assim, você também consegue perceber quais são as suas prioridades.

Como já dito acima, pesquisar os valores dos produtos e serviços que você precisa é uma das formas de economizar e fazer um planejamento financeiro eficiente.

Se compensar pagar com o cartão de crédito, faça-o, mas analise tudo com cuidado.

13. Reserve

Outra forma de manter o planejamento financeiro é fazendo uma reserva de emergências, retirando do seu salário uma porcentagem pequena em caso de imprevistos, como acidentes, despesas com hospitais, etc.

Tendo essa reserva, você não utilizará o dinheiro guardado para outros fins, facilitando o gerenciamento das suas contas.

Essas dicas serão responsáveis por deixar seu planejamento financeiro mais equilibrado, fazendo do seu futuro, um lugar mais concreto e previsível.

Com algumas atitudes, você consegue ir muito longe, e é possível conquistar seus sonhos. Dinheiro não traz felicidade por completo, mas ajuda você a construir, bloco por bloco, um futuro promissor.

Bônus -> E-book sobre planejamento financeiro

Banner convidando para baixar o e-book sobre Planejamento Financeiro

*****

Leia mais:

Saiba como usar o cartão de crédito a seu favor

Descubra 12 hábitos dos milionários que, se praticados, irão mudar sua vida

Como cortar gastos supérfluos que podem atrapalhar o seu planejamento

O que achou das nossas dicas sobre como elaborar um planejamento financeiro? Se motivou para fazer seu planejamento financeiro agora? Compartilhe conosco!

Banner convidando para o site do Mobills

Gostou do artigo Como elaborar um planejamento financeiro pessoal incrível em 13 passos? A sua opinião é muito importante para nós! Sugira novos temas, deixe seu comentário.

Comentários

Sobre o autor

Victor Leitão

Victor Leitão

Victor Leitão, coordenador de marketing e especialista em finanças pessoais do Mobills, além de ser o editor-chefe do Portal Mobills. Formado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará - UFC e técnico em informática pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE. Pesquisador incansável dos temas educação financeira e finanças pessoais. Principais hobbies: assistir filmes/séries, jogar futebol/Dota 2 e viajar.

Deixe um comentário