Em um cenário de baixa taxa de juros, conheça quais são os investimentos mais recomendados para você alocar sua reserva financeira com a Selic a 2,25% a.a.

Onde investir a reserva de emergência com a taxa Selic em 2,25

Se você possui uma reserva de emergência, aplica este dinheiro em ativos financeiros e acompanha o mercado, deve estar se perguntando neste exato momento se a renda fixa morreu.

Na última quarta-feira, 17, o Comitê de Política Monetária (COPOM) definiu um novo corte da taxa Selic.

Com isso, a taxa básica de juros da economia passou de 3% para 2,25%.

Isso significa que a renda fixa perdeu atratividade e que talvez seja hora de diversificar sua carteira de investimentos.

Mas, onde investir a reserva de emergência nesse cenário? Poupança, Tesouro Direto, CDBs, CRIs, CRAs, Debêntures, Fundos de investimento, FIIs, Ações?

Sendo utilizada para o controle na emissão, compra e venda de títulos, é importante entender quais investimentos tornam-se atrativos e quais perderam valor com base na Selic.

Tenha certeza de que acompanhar a evolução dessa taxa pode fazer grande diferença nos seus investimentos, mesmo que tenha decido dar esse passo essencial na sua vida apenas agora.

Nesse artigo, você irá aprender onde investir a reserva de emergência com a taxa Selic a 2,25, menor patamar da história.

Impacto da taxa Selic nos investimentos

Iniciamos o ano de 2020 com a taxa Selic estabelecida em 4,5% ao ano (a.a), quase menos 10 pontos percentuais se compararmos com o ano de 2015, quando ela estava à 14,25% a.a.

Banner convidando para pedir o cartão Méliuz

Em um período de altas taxas de juros, compensava bastante deixar sua reserva de emergência na renda fixa.

Entretanto, foram quatro reduções consecutivas somente neste ano, até esta data.

E com a taxa básica de juros tão baixa, quase todos os investimentos em renda fixa não compensam. Em especial àqueles atrelados à Selic e ao CDI.

Com essa nova realidade, é preciso saber quais ativos mantiveram sua atratividade, mesmo que a rentabilidade não seja o mais importante quando falamos neste assunto.

Lembre-se: O foco principal da sua reserva de emergência é suprir suas necessidades financeiras em momentos inesperados. Sabendo disso, não foque somente na rentabilidade.

Agora, com a Selic a 2,25% a.a, qual o melhor investimento para a reserva de emergência? Como se prevenir de imprevistos financeiros?

Onde investir a reserva de emergência

Por ser utilizada durante imprevistos financeiros, o ideal é que você invista sua reserva de emergência em ativos financeiros de baixo risco e liquidez diária – no máximo D+1, ou seja, você pode ser sacar o dinheiro um dia depois da solicitação de resgate.

Desse modo, fique longe de investimentos em renda variável, ativos de alto risco e baixa liquidez, como Fundos de investimento em renda variável, Fundos de Investimento Imobiliário (FII) e Ações.

Pois, se você precisar desse de dinheiro e não puder resgatá-lo assim que necessitar, o investimento não serve para esse fim.

Reconhecendo a importância dessas características, encontramos o que precisamos nos investimentos de renda fixa, cujo rendimento do capital investido é conhecido no momento da aplicação.

E, mesmo em um cenário de baixa taxa de juros, com a rentabilidade dos produtos atrelados à Selic menor, estes ativos são os recomendados para você montar sua reserva financeira.

Investimentos em renda fixa

Conheça agora os principais ativos em renda fixa e quais são os mais recomendados para você montar sua reserva de emergência com a taxa Selic baixa:

Poupança

A poupança é o investimento mais popular do Brasil e sua rentabilidade é a mesma em qualquer banco que ofereça esse tipo de aplicação.

Por ser um ativo de baixíssimo risco e alta liquidez, se você nunca investiu e ainda não possui reserva de emergência, essa pode ser sua porta de entrada no mundo dos investimentos.

Contudo, não espere utilizar a poupança a fim de multiplicar o seu capital, pois o rendimento esperado da caderneta de poupança é abaixo de 2%, inferior até mesmo à inflação esperada para este ano.

Com a Selic em 2,25%, a poupança passa a render 0,13% ao mês.

Isso significa que ao investir 100 reais hoje nesse investimento, ao final de um ano, você terá R$ 101,58 – mantendo a taxa constante. Muito pouco, não é?

Ainda assim, é um ativo de fácil acesso e de alta liquidez.

Por isso, é uma opção para quem busca montar a reserva de emergência e possui um perfil de investidor bastante conservador.

Tesouro Direto

Quando o assunto é reserva financeira, o Tesouro Selic, um dos títulos do Tesouro Direto, é uma das opções mais interessantes.

Isso porque ele também é um ativo de baixo risco e alta liquidez, características fundamentais para sua reserva de dinheiro.

Além disso, pensando a longo prazo, ele supera a própria caderneta de poupança.

Estando diretamente atrelado à taxa Selic, este investimento é garantido pelo Governo, o que garante ainda mais segurança à aplicação – acredite, o Governo é um dos melhores pagadores que existe.

Por outro lado, se você já possui sua reserva de emergência, uma boa opção disponível é o Tesouro IPCA + (outro título do Tesouro) que está atrelado à inflação.

Esse título é ideal para quem busca garantir a aposentadoria e manter seu capital investido em meio a essas variações na taxa básica de juros da economia.

CDBs

Assim como os demais investimentos mencionados anteriormente, o Certificado de Depósito Bancário, conhecido com CDB, também possui como principais características a segurança e alta liquidez.

Emitido por bancos com o intuito de gerar recursos para financiar suas atividades, ao investir em CDBs, você está emprestando seu dinheiro a estas instituições, que lhe retornam seu capital investido com juros ao final da aplicação.

Nesse caso, esses ativos possuem garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Porém, eles geralmente exigem um investimento mínimo maior – como R$500,00 ou mais, o que pode significar muito para quem é iniciante.

Fundos DI

Os fundos DI são aplicações em renda fixa.

Possuem 95% da sua alocação em títulos públicos ou privados de baixo risco e o restante é investido de acordo com a legislação para fundos de curto prazo.

Além dessa rentabilidade mais estável, eles possuem liquidez diária, sendo uma ótima alternativa de investimento para a reserva de emergência – e ainda rendem mais do que a poupança.

Vale ressaltar que este tipo de fundo conta com a incidência de Imposto de renda (IR) regressivo e Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Assim, quanto mais tempo o seu patrimônio ficar investido, menor será a taxa cobrada.

CRIs, CRAs e Debêntures

Estes ativos de renda fixa fazem parte do mercado de crédito privado e são bastante recomendados em uma época de juros baixos, uma vez que possuem retornos mais elevados.

Contudo, tanto os Certificados de Recebíveis Imobiliários como os Certificados de Recebíveis do Agronegócio e as Debêntures são investimentos para o médio e longo prazo.

Ou seja, mesmo com rentabilidade atrativa, não são recomendados para quem deseja montar a reserva de emergência.

Como se prevenir de imprevistos financeiros

Com certeza você já passou por alguma necessidade financeira e, se por acaso isso ainda não aconteceu, como imagina o seu orçamento pessoal após um imprevisto?

Por exemplo, nesse período de pandemia e quarentena, milhares de pessoas perderam sua principal fonte de renda e tiveram que arcar com despesas médicas que não estavam nos seus planos.

Neste caso, uma quantia de dinheiro reserva evitaria que essas pessoas tivessem que recorrer às dívidas, como a do cheque especial ou a empréstimos, quando necessitaram de produtos e serviços não planejados.

A grande questão é que situações inesperadas podem acontecer a todo momento, por isso, você precisa estar preparado.

Logo, uma reserva financeira é o que lhe garantirá tranquilidade e estabilidade financeira diante desses imprevistos.

Montando a reserva de emergência

Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, montar uma reserva financeira não é algo complicado.

No entanto, exige sim um planejamento financeiro eficiente.

Além disso, é uma regra válida e importante que se aplica a todos, independentemente do seu atual nível financeiro ou renda mensal.

Quanto poupar e quando utilizar

Uma boa reserva de emergência deve ser capaz de suprir pelo menos 6 meses das suas despesas mensais em situações imprevistas.

E você deve utilizar essa reserva financeira somente nos momentos em que estiver realmente necessitando.

Ademais, saiba que você não pode deixar esse dinheiro parado, guardado debaixo do colchão, pois assim você estará perdendo dinheiro para a inflação, por exemplo.

Saiba tudo sobre como montar sua reserva de emergência lendo o artigo: Aprenda a montar sua reserva de emergência e proteja-se de imprevistos financeiros.

Conclusão

Assim como se planejar e saber quando utilizar a reserva de emergência é importante, estar por dentro do que acontece no mercado financeiro nos permite fazer melhores alocações do nosso dinheiro.

Nesse caso em especial, a busca por alta rentabilidade é o menos importante.

Preze sempre pela segurança e liquidez dos seus ativos financeiros quando este assunto estiver em foco.

E para um melhor controle e gerenciamento financeiro, utilize uma ferramenta que te auxilie nas suas conquistas, como o Mobills, a maneira mais simples de gerenciar suas finanças pessoais.

Desse modo, será muito mais fácil organizar seu dinheiro e conquistar seus maiores ideais, como por exemplo sua reserva para imprevistos.

Esse quantia será o seu porto seguro para imprevistos financeiros.

Utilize-a quando necessitar e não esqueça de alimentá-la novamente quando suas finanças estiverem equilibradas.

Comente, nos siga nas redes sociais e compartilhe este post!

-> O que achou deste artigo sobre onde investir a reserva de emergência com a taxa Selic em 2,25?

Se gostou, então, cadastre-se em nossa newsletter para receber as novidades em primeira mão e compartilhe esse post com seus amigos e familiares que possam se interessar.

Quer acompanhar nosso conteúdo também no Instagram? Clique aqui e siga o @mobillsedu!

Não deixe também de acessar o canal do Mobills no Youtube.

A sua opinião é muito importante para nós! Sendo assim, sugira novos temas, deixe seu comentário.


VEJA TAMBÉM:

Postado em: Investimentos


Escrito por Larissa Brioso

Estudante de Economia na Universidade Federal do Ceará e assistente de Marketing na Mobills. Cresci com o desejo de possuir a minha independência financeira e aos 17 anos me tornei estudante incansável das técnicas de gerenciamento financeiro e investimentos. Ler, escrever e praticar atividades físicas é o que eu gosto de fazer. Estou sempre sorrindo, mas quer me ver ainda mais feliz? Certamente estarei viajando ou conhecendo um restaurante novo.


Hey, o que você achou desse conteúdo?

Inscreva-se
Notificar de
guest
1 Comentário
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Rafael
Rafael
19 dias atrás

Muito obrigado, Larissa adorei sua publicação parabéns

Junte-se a mais de 239.950 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

logo-mobills-app

Baixe agora para o seu dispositivo

logo-mobills-app
logo-mobills-app
logo-mobills-app