Empreendedorismo

20 fatores importantes para ajudar você a montar um negócio de sucesso

Mulher, gráficos, dinheiro, lâmpada simbolizando o tema montar um negócio
Victor Leitão
Escrito por Victor Leitão

20 fatores importantes para ajudar você a montar um negócio de sucesso

Banner convidando para o site do Mobills

Quem nunca teve vontade de criar um negócio? Seja pela vontade de ganhar autonomia, seja numa situação de desemprego, todo mundo já quis se tornar o próprio patrão.

Mas a grande maioria dos “aspirantes” a empresários joga a toalha antes mesmo de dar o primeiro passo. A razão está no medo. As pessoas temem apostar seu capital na montagem de um negócio e acabar perdendo o dinheiro que, muitas vezes, demorou anos para ser acumulado.

Se você se inclui no universo de candidatos a empreendedores que têm vontade de montar um negócio, reunimos 20 dicas, dadas por especialistas em empreendedorismo, para ajudá-lo a dar o primeiro passo e construir uma história de sucesso.

20 fatores importantes para ajudar você a montar um negócio de sucesso

1. Prepare-se: leia, busque conhecimento, estude

Ter preparo e conhecimento são condições fundamentais para garantir a abertura de um negócio. Para isso, busque leituras, faça cursos sobre empreendedorismo e gestão. O medo que o candidato a empresário tem é por causa da falta de informações.

“Muitos são marinheiros de primeira viagem e não sabem como dar seus primeiros passos. É importante estar preparado para a realidade do que é abrir um negócio. Esse conhecimento constante sobre o negócio é fundamental para o empreendedor”, diz Marcelo Cherto, presidente do Grupo Cherto.

“Identifique as áreas que você desconhece e se capacite nelas”, enfatiza Paulo Veras, ex-diretor geral do Instituto Endeavor.

“Quanto mais você se desenvolve como gestor de negócios, você fica mais seguro e preparado e isso ajuda a minimizar os obstáculos enfrentados pela empresa ao longo de sua vida”, conclui Marcos Hashimoto, coordenador do Centro de Empreendedorismo do Insper.

2. Conheça o seu próprio perfil

A primeira pergunta a ser feita é: o que eu sei fazer? Segundo o consultor Marcelo Cherto, existem três figuras nas quais o empresário pode se encaixar: operador (que executa o trabalho); gestor (que administra a empresa); e empreendedor (que toma as decisões e define o direcionamento do negócio). “É importante identificar no que eu sou bom para trabalhar, pois é difícil exercer de forma eficiente as três figuras”.

Ter ciência sobre suas limitações e explicitá-las é fundamental para delinear o caminho do negócio. “Muitas vezes, a falta de competência em algumas áreas faz com que o empresário tenha que pensar na busca de um sócio que o complemente, ou seja, que seja capacitado em outras competências importantes que garantam o sucesso do negócio”, diz o consultor.

3. Faça o que você gosta

Se você amar o seu negócio, terá trilhado uma boa parte do caminho para o sucesso. “Quem faz aquilo de que gosta tem muitas chances de se dar bem, pois é bem mais difícil ser dono de um negócio do qual você não gosta do que ser empregado numa empresa onde está infeliz. O empregado ‘desliga’ dos problemas da empresa e o empresário, não”, explica Cherto.

Marcelo Aidar, da FGV-SP, afirma que, quando o empreendedor faz o que gosta, tem melhores condições de “fazer melhor”. “O empreendedor vai se dedicar com prazer, vai procurar ficar por dentro de tudo o que envolve o mercado onde seu negócio está inserido. Ele identifica as melhores saídas, acaba colocando mais amor na construção e na condução da empresa e, buscando o melhor, o negócio tende a dar certo”.

4. Busque aconselhamento

Quando um empreendedor se vê a frente de uma grande ideia é importante que se busque aconselhamento. Os grandes empreendedores da história empresarial brasileira tiveram alguém que eles consideraram um verdadeiro “guru”.

Marcos Hashimoto diz que o empreendedor pode escolher alguém que lhe sirva de “exemplo”. “Alguém que seja um modelo de aprendizagem para ele, que seja uma rica fonte de informações. Quando você ficar em dúvida, buscar aconselhamento com alguém de renome, pode ajudar a fazer com que você perca o medo de empreender”.

Existem algumas organizações, como é o caso do Instituto Endeavor, que fazem o trabalho de aconselhamento para futuros empreendedores.

5. Trabalhe o medo de errar

“Se a pessoa nunca teve um negócio antes, toda a experiência é nova para ela. O risco sempre vai existir, mas podemos minimizá-lo. Buscar conhecimento ajuda a diminuir essa sensação de ter medo do novo”, diz Hashimoto.

A dica dada pelo professor do Insper se resume assim: assuma esses riscos, sabendo que você vai cometer erros. “Não parta do pressuposto de que empreendedores não cometem erros. O empreendedor vai tomar decisões equivocadas, vai errar e bastante. Mas existem muitas coisas na aventura de ter um negócio próprio que não são aprendidas nas escolas ou nos livros. Portanto, para o empreendedor, cometer erros faz parte do processo de aprendizado”.

6. Mantenha a mente aberta

Ter a mente aberta é fundamental para ajudar a espantar o medo de abrir um negócio. “Isso ajuda o empreendedor a estar aberto para novas ideias que, muitas vezes, podem mudar o rumo planejado para um resultado ainda mais positivo”, diz Marcelo Aidar, da FGV-SP.

“Aceitar ideias de outras pessoas ajuda a se desprender daquilo que não sai do lugar”, ressalta Aidar. Aceitar críticas, sugestões e ideias sem restringir o campo de exploração dessas informações é o conselho dado pelo especialista. “Muitas vezes, isso ajuda a trazer à tona uma ideia que de repente pode ser inovadora.”

7. Busque negócios relacionados às suas competências, desejos e motivações

Depois de bastante tempo atuando em um determinado segmento, muitos empreendedores resolvem partir para a jornada do negócio próprio. Por que não utilizar a bagagem adquirida ao longo do tempo para montar um negócio?

De acordo com Marcos Aidar, da FGV-SP, as oportunidades vão surgir na medida em que o empreendedor tiver afinidade com o tema. “Se eu sou da área de software, é mais provável que eu encontre oportunidades para empreender nesse segmento”.

“Ao atuar em uma determinada área por um longo tempo, quando empregado, o empreendedor tem a chance de estudar com afinco o mercado, de estabelecer um laço de afinidades e, com isso, consegue ficar antenado para as oportunidades que possam surgir. Naturalmente, essas oportunidades acabam aparecendo com mais ênfase. Existem levantamentos que mostram que boa parte dos empresários teve empregos cuja área de atuação é similar ao seu negócio próprio“, conclui o professor da FGV. “O importante é não deixar de lado o aspecto da gestão do negócio”, enfatiza Hashimoto.

8. Acredite em si mesmo

Para alcançar o sucesso no comando de um negócio, ter auto-estima é condição número um para o empresário. Muitas pessoas são tomadas por uma falta de confiança em relação à sua capacidade de concretizar essa meta. E, com isso, dão um passo para trás na hora de partir para voo solo. “É necessário ter crença em si mesmo”, ressalta Marcelo Cherto, “e garra para superar as dores de cabeça, pois os obstáculos irão surgir”.

9. Comece pequeno

Ao tomar a decisão de montar um negócio, uma das perguntas que se faz é: qual deve ser o tamanho da minha empresa? Muitos empreendedores acabam pecando pelo excesso. Ou seja, investem grandes quantias, compram piso de mármore, móveis de grife, entre outros.

Marcos Hashimoto, do Insper, diz que a maioria das empresas pode começar pequena. “Por exemplo, se você quer montar um site de vendas de passagens aéreas, pode começar em um espaço pequeno, com uma modesta infra- estrutura – móveis e equipamentos mais simples –, que não demandem altos investimentos.

Outro erro é criar uma infraestrutura desnecessária somente com o intuito de atrair investidores. “Quanto menor o investimento, menor o risco e também o medo de o negócio não dar certo”, explica Hashimoto.

10. Avalie se a sua ideia não é uma ilusão

Muitas pessoas têm ideias que na prática são inviáveis, o que leva muitas empresas a fecharem com pouco tempo de vida. “Por isso é importante estudar o mercado onde vai atuar, ver se a proposta de negócio não é uma ilusão”, avalia Marcelo Cherto.

Para conseguir um acesso maior às informações, a internet pode ser uma excelente ferramenta. “Muitos empreendedores, quando abrem um negócio, não têm dinheiro para investir na realização de uma pesquisa de mercado. Por isso, sair a campo, pesquisar livros, estudos e publicações, e acessar o banco infinito de dados da internet são meios que podem ajudar o empresário a ter noção sobre como seu negócio pode ou não se encaixar no mercado”, explica Marcelo Aidar.

Para o professor da FGV-SP, o empreendedor não deve se deixar levar por suas observações pessoais a respeito do assunto. “Busque informações em fontes confiáveis, como por exemplo, no IBGE”.

11. Descreva suas metas

Quando o empreendedor está na dúvida e tomado por insegurança e medo sobre o caminho a seguir, esta dica pode ajudar: descreva os seus objetivos.

Colocar num papel todas as suas metas, uma a uma, para que sejam sempre consultadas, ajuda-o a ter uma visão mais clara sobre o assunto. Escrever essas metas ajuda a esclarecer os objetivos de seu projeto, ou seja, quem será seu público-alvo, quais as características do produto ou serviço oferecido.

12. Busque experiências similares

Depois que a ideia for definida, o próximo passo a ser tomado é buscar experiências similares. Para Marcelo Aidar, da FGV-SP, essa procura é fundamental para ficar por dentro dos problemas enfrentados pelo tipo de negócio e quais soluções estão sendo adotadas. “O empreendedor pode aprender com os erros dos outros aparecendo como cliente, sendo um observador externo”.

Antonio Carlos de Matos, do Sebrae, dá um exemplo de como pode ser feita essa pesquisa. Por exemplo, se você for montar uma pizzaria, saia a campo, fazendo pesquisas com 20 outras pizzarias. Se o negócio for localizado na zona zul da cidade, vá à zona oeste coletar informações.

Permaneça algumas horas na frente do estabelecimento, observe o atendimento, as pessoas que ali circulam, converse com os empregados e com os proprietários, peça dicas sobre fornecedores e clientes, entre outros.

Isso vai ajudar você a entender as condições que tornam o negócio viável, quais possíveis problemas poderá enfrentar e como solucioná-los e, com isso, você elimina o medo de partir para essa nova trajetória.

13. Saiba que não há tempo certo para empreender

Um dos medos de quem tem vontade de se tornar um empreendedor é não saber identificar o tempo certo para isso. Perguntas como “será que estou pronto para me tornar um empresário?”; “será que eu já tenho o capital suficiente para montar o negócio almejado?”; “será que meu negócio vai decolar nas atuais condições econômicas em que se encontra o país?; rondam a mente dos empreendedores.

“Se você ficar colocando desculpas e impedimentos – como falta de dinheiro, chegada dos filhos, casamento, falta de maturidade do produto e de um sócio e o não fechamento de um bom contrato, por exemplo –, aguardando a situação perfeita para empreender, esse momento nunca vai chegar. A grande maioria dos empreendedores que colecionam histórias de sucesso não estava preparada para a experiência”, afirma Marcos Hashimoto, do Insper.

14. Identifique pontos de diferenciação de seu negócio

Ao decidir montar um negócio, um ponto importante a ser analisado é: como eu posso me diferenciar dos demais? “Não vale a pena fazer mais um negócio igual ao que já existe. Se ele tiver um diferencial, algum requisito que o evidencie das demais empresas, com certeza conseguirá ser um ponto de destaque e ganhará uma fatia a mais do mercado escolhido”, diz Marcelo Aidar, da FGV-SP.

“Se você está numa multidão, nunca vai conseguir se distinguir, caso não se destaque”, diz Constantino Karacostas, proprietário da agência de turismo Class Tour, que buscou incrementar seus serviços para se evidenciar no mercado de turismo. “Nossa proposta de trabalho é fazer o cliente se tornar fã do nosso negócio”, afirma.

15. Elabore um plano de negócios realista

Para perder o medo de pisar em terreno desconhecido, uma boa arma para quem quer montar um negócio é fazer um plano de negócios. Marcelo Cherto diz que é necessário que esse plano de negócios seja realista.

“O plano de negócios tem que ser verdadeiro e o empresário tem que pensar que todo negócio demora um tempo para decolar. Por isso é fundamental ter esse planejamento, que vai servir como mola propulsora do negócio durante toda a sua vida”.

Antonio Carlos de Matos, do Sebrae-SP, destaca três aspectos importantes que devem estar contidos no planejamento inicial de montagem da empresa: preço de venda (o domínio total dos custos ajuda a definir o preço do produto ou serviço a ser vendido), volume de venda (é necessário fazer um planejamento sobre a quantidade necessária a ser vendida para pagar despesas e gerar lucro) e estrutura compatível (com o que o mercado aceita pagar em produto ou serviços.

16. Cuidado na escolha do sócio

Com a falta de capacitação em uma determinada área ou até mesmo com o intuito de agregar mais investimentos ao negócio, o candidato a empresário considera a possibilidade de montar um negócio em sociedade. Mas muitas vezes é pego pelo medo de fazer uma escolha inadequada e acabar sendo prejudicado por causa disso.

“Cuidado com a escolha do sócio”, alerta Marcelo Cherto. Para o consultor, a escolha de pessoas conhecidas e próximas nem sempre pode ser o melhor negócio.

Na visão de Paulo Veras, ex-diretor geral do Instituto Endeavor, o sócio ideal é aquele que tem a capacidade de fazer a empresa ir muito mais longe do que o empresário sozinho.

17. Capital: tenha sempre uma reserva

Um dos aspectos que mais assombram a cabeça de quem tem vontade de montar um negócio é perder dinheiro. Por isso, os especialistas recomendam ter sempre uma reserva mínima para dar início ao negócio.

“Ter esse capital é importante, pois dificilmente um negócio funciona como o planejado. Esse capital de reserva vai ajudar a resolver os imprevistos, que sempre acontecem nessa fase de criação do negócio”, diz Cherto.

18. Focalize os objetivos, não os obstáculos

Um dos problemas de muitos empreendedores é a falta de foco em seus objetivos, vislumbrando somente os pontos negativos, ou seja, os empecilhos que podem fazer a empreitada não ter sucesso. “O empreendedor pode escolher dois caminhos: ter uma visão otimista ou uma visão pessimista a respeito de sua decisão. Quem olha pelo lado positivo, enxerga possibilidades. Já na visão pessimista, as limitações ganham destaque”, diz Marcos Hashimoto.

Marcelo Cherto destaca que a visão está ligada à questão da atitude do empreendedor. “O obstáculo é parte do projeto, é uma dificuldade que você tem que curtir, pois é uma grande oportunidade para você aprender e também para se diferenciar dos demais. A sensação de vitória é fantástica”. O segredo é ter persistência e foco no objetivo.

19. Explore múltiplas ideias de negócios

“O empreendedor tem que aproveitar e explorar novas ideias, abrir seu leque de opções para minimizar os erros na criação da proposta de seu negócio”, ressalta Marcelo Aidar, da FGV-SP. Pensar em canais de venda diferenciados ou em um público-alvo pouco explorado pode ser uma boa saída para o futuro negócio. “Isso agrega valor ao negócio”.

Marcos Hashimoto, do Insper, diz que explorar múltiplas ideias é uma forma de o empreendedor não ficar com apenas uma resposta. “Quanto mais opções, mais fácil fica a escolha”. Ter uma ideia a mais traz conforto para escolher o caminho certo. “Eu ficaria mais confiante se tivesse mais de uma ideia para poder comparar e escolher”.

20. Avalie a mudança de vida com objetividade

Muita gente sai do modo “empregado” para o modo “patrão” e não faz essa análise de forma racional. “Sair da posição de empregado para a de patrão envolve uma série de modificações, principalmente no que diz respeito ao status”, afirma Cherto.

Isso impacta até no lado pessoal, incluindo a família, que tem que estar junta no novo caminho. Mas ele precisa acreditar que essa troca vale a pena. “No curto prazo, a mudança vai pedir esse sacrifício, mas, lá na frente, ele poderá ter o retorno em abundância”, afirma Cherto.

Para assumir o papel de “dono”, é necessário que o empreendedor aprenda a depender de si próprio. “Como empregado, ele espera que alguém defina o comportamento que ele tem que ter. Mas como dono, é o empreendedor quem vai tomar as decisões”, diz Cherto.

*****

Você sabia que estamos postando 2 textos novos por dia (de segunda a sexta-feira)?  Não perca a oportunidade de ler artigos incríveis, acesse o Portal Mobills diariamente e aprenda cada vez mais sobre todos os temas relacionados às finanças pessoais, empreendedorismo, dicas de produtividade e muito mais!

Leia mais:

Quer empreender? Veja 15 exemplos de negócios para abrir em casa!

5 negócios excelentes para abrir no seu bairro

As lições de bilionários para quem está buscando o sucesso nos negócios

Pensando em montar um negócio de sucesso? Já começou a avaliar esses fatores? Compartilhe conosco! 

Banner convidando para o site do Mobills

Gostou do artigo 20 fatores importantes para ajudar você a montar um negócio de sucesso? A sua opinião é muito importante para nós! Sugira novos temas, deixe seu comentário.

Comentários

Sobre o autor

Victor Leitão

Victor Leitão

Victor Leitão, coordenador de marketing e especialista em finanças pessoais do Mobills, além de ser o editor-chefe do Portal Mobills. Formado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará - UFC e técnico em informática pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE. Pesquisador incansável dos temas educação financeira e finanças pessoais. Principais hobbies: assistir filmes/séries, jogar futebol/Dota 2 e viajar.

Deixe um comentário