Mesada: será que é realmente necessário dar aos filhos?

Como é a relação do seu filho com o dinheiro?

Este é um assunto que deveria interessar a todos os pais, especialmente em um país como o Brasil, que não é nem de longe um dos mais estáveis do mundo quando o tema é economia.

Apesar disso, falar sobre finanças ainda costuma ser um tabu para a maioria das famílias.

Geralmente, os pais têm muitas dúvidas em relação à mesada dos filhos. Se realmente deve dar, quanto dar, de quanto em quanto tempo etc.

Se você é um desses pais cheio de dúvidas, não se preocupe, pois escrevemos este artigo visando justamente  responder todos os possíveis questionamentos.

Além disso, trouxemos algumas dicas sobre a mesada de seus filhos.

Então, se você se preocupa em garantir um bom futuro financeiro para seu(s) filho(s), não deixe de ler o post até o final.

Caso goste do conteúdo, aproveite também para compartilhar com seus amigos e familiares através das redes sociais.

O que é mesada?

De maneira bem simples, pode-se dizer que é um montante de dinheiro que você dará para seu filho com o objetivo de que ele pague por conta própria pequenos gastos ou economize para outros fins.

O principal intuito da mesada deve ser começar a ensinar as crianças a lidar com o dinheiro e tomar suas próprias decisões financeiras.

Ou seja, escolher aquilo que querem fazer com o valor que recebem, comprando o que desejam de maneira imediata ou poupando para objetivos maiores no futuro.

A mesada é necessária?

mãe colando moeda num cofrinho de porquinho junto com sua filha

Caso você queira criar um adulto financeiramente consciente, sim!

Pois ela é o primeiro contato real que seu filho terá com o dinheiro e, consequentemente, com a educação financeira.

É muito importante que as crianças aprendam desde cedo a lidar com o dinheiro corretamente para que no futuro elas não se tornem adultos irresponsáveis e inadimplentes.

Afinal, para aprender a andar de bicicleta, você precisa de uma bicicleta.

E, para aprender a administrar o dinheiro, você precisa de pelo menos um pouco de dinheiro.

Ao praticar com seu próprio dinheiro, as crianças conseguem experimentar várias possibilidades – economizando para um dia de praia, priorizando metas e entendendo o conceito de gratificação – que, de outra forma, pareceriam abstratos ou irrelevantes.

Sendo assim, as mesadas dão às crianças espaço para cometer erros em um ambiente de baixo risco.

Então, sim, a mesada é necessária e, dada de maneira correta, não será prejudicial para as crianças.


Entenda como ensinar educação financeira para crianças


Quando começar a dar mesada para os filhos?

criança brincando com bolha de sabão

O momento de começar a dar a mesada depende bastante do estilo de vida da família e da maturidade da criança.

Porém, sugere-se a faixa etária entre 6 e 7 anos como o melhor período.

Até porque, nesta idade, as crianças começam a ser alfabetizadas e passam a lidar mais intensamente com números.

Você também pode oferecer quando a criança pede ou sugere.

Dessa forma, elas valorizam mais, ficam mais receptivas às orientações e sentem que estão conquistando algo. 


15 Aplicativos para ganhar dinheiro e lucrar no seu tempo livre


Quanto dar de mesada?

pessoa botando várias moedas na mão de outra

Os pais deverão observar as possibilidades do orçamento, os hábitos da criança e da família e, a partir desse ponto, buscar um parâmetro para iniciar.

No entanto, mesmo que haja a possibilidade de dar uma mesada alta, isso deve ser evitado.

Quando se trata de educação financeira, a escassez ensina mais do que a fartura e, em caso de eventual aperto financeiro da família, as crianças não sentirão tanto. 

Além disso, conversar com os pais dos amigos mais próximos dos filhos pode ser uma boa alternativa.

Vocês podem definir um valor parecido. Assim, não fica um valor exorbitante, mas também não frustra a criança com um valor muito baixo.

É importante saber também que a periodicidade e as regras de pagamento e uso devem ser combinadas, acompanhadas e respeitadas pelas duas partes. 

Lembre-se que o dinheiro do lanche escolar não deverá estar incluído na mesada, pois há o risco da criança deixar de comer para não gastar o seu dinheiro.

Se a família optar por dar dinheiro às crianças para comprar lanche na escola, os valores devem ser separados da mesada.

E, caso a criança opte por não comer naquele dia ou se sobrar troco, deve ser devolvido aos pais. 

Ademais, não é recomendável que a mesada esteja condicionada ao desempenho escolar. Isso pode estimular uma mentalidade mercenária.

Há muitos pais que terceirizaram ao dinheiro a responsabilidade pelo acompanhamento das tarefas e desempenho escolar, o que é bastante prejudicial à educação infantil.

Como pagar?

crianças brincando

Faixa etária: 6 aos 10

  • Frequência: semanal (semanada). Nessa idade, as crianças ainda têm dificuldade para lidar com horizontes temporais distantes. melhor forma de dar mesada aos filhos melhor forma de dar mesada aos filhos
  • Pode-se usar R$ 1 por semana para cada ano da criança. Por exemplo, se a criança tem 6 anos, será R$ 6 por semana. Porém, você precisa considerar o grau de maturidade da criança e a realidade financeira da família.
  • Atenção: parte da quantia dada deve começar a ser poupada já por volta desta faixa etária (entre 10% e 30%), para uma aquisição ou projeto da criança. melhor forma de dar mesada aos filhos 

Faixa etária: 11 aos 17

  • Frequência: pode-se estabelecer a mesada propriamente dita, com a periodicidade mensal, que será a da maioria dos ciclos financeiros que irão vivenciar na vida adulta.
  • O valor dependerá da renda familiar, mas, em média, o ideal é calcular R$ 3 a cada ano de vida do jovem. O resultado da multiplicação seria o valor semanal. Então, basta você multiplicá-lo por quatro para encontrar o valor mensal. Por exemplo, um jovem de 15 anos receberia R$ 180 por mês. 
  • Atenção: recomenda-se que o adolescente continue poupando o que ganha para objetivos de curto prazo.

Para as crianças ficará experiências e aprendizados, com acertos e erros.

Elas terão que fazer escolhas, conviver com limites e aprenderão a controlar, pesquisar preços, poupar e planejar compras.

Muitas irão desenvolver habilidades e posturas importantes para que, quando adultas, tenham uma vida financeira tranquila e com boas perspectivas.


10 perguntas sobre dinheiro que todos deveriam fazer a si mesmos


Outras dicas/regras para a mesada dos filhos

família com seus filhos botando dinheiro no cofre

  • Sempre mostre que usar dinheiro é fazer escolhas. E escolhas são ótimas desde que possamos pensar antes sobre elas. Ou seja, se compro um jogo de videogame, não posso comprar no mesmo mês uma roupa nova, por exemplo. 
  • Mostre a importância de ganhar, guardar e doar o dinheiro.
  • Evite condicionar a mesada a hábitos e atitudes que todos devem ter. Ninguém deve receber dinheiro por respeitar a si e aos outros ou por ser honesto.
  • Habitue seus filhos desde a primeira mesada a guardar de 10% a 30% para um projeto maior.
  • Palavra, dia e valor combinados com os filhos devem ser respeitado pelos pais. A mesada não deve ser usada como moeda de chantagem.
  • Comemore as pequenas conquistas sempre! Passe confiança, seja amoroso, torne gratificante fazer escolhas, esperar para conquistar e vibre quando chegar a hora.
  • Construa com seus filhos um sonho de longo prazo (de acordo com a maturidade de cada criança). Por exemplo, para comprar um celular novo, mostre quantos meses eles deverão guardar o dinheiro e o quanto você poderá contribuir. Motive-os com frequência.

Como ter disciplina e ficar muito mais próximo de atingir seus objetivos


Tá O$$o: jogo de educação financeira

A Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF), em parceria com a TV Escola, criou um jogo de educação financeira voltado para crianças e adolescentes de 7 a 18 anos, disponível gratuitamente para Android e iOS.

Eu testei e achei super didático e divertido.

Durante todo o jogo existem várias missões que você precisa passar para ganhar dinheiro.

Todas elas são voltadas para o cunho financeiro e você só completará cada uma se conseguir ser econômico e seguir as dicas dos outros personagens.

O Tá O$$o pode ser usado como um complemento na educação financeira de seus filhos. Veja alguns prints do aplicativo abaixo.

tela inicial do jogo tá osso

tela inicial do jogo tá osso

jogo tá osso

Seja o exemplo de seus filhos: gerencie seu dinheiro corretamente

Para os seus filhos aprenderem bem como lidar com o dinheiro, e gostarem de fazer isso, você precisa ser um exemplo para eles.

O orçamento de sua família e o seu pessoal precisam estar saudáveis.

Até porque não tem como você ensinar para os seus filhos como lidar com a mesada se você mesmo não lida bem com sua renda.

Se a renda familiar ou a sua pessoal não estiver bem por qualquer motivo, procure rapidamente uma solução para não ficar com dívidas nem devendo dinheiro para ninguém (principalmente para os bancos).

Para te ajudar nesta missão, você pode usar um aplicativo de gerenciamento financeiro.

Assim, você saberá exatamente o que está acontecendo com o seu dinheiro.

O Mobills é um destes apps e ele possui várias funcionalidades incríveis, como o Modo Viagem, Objetivos, Módulo de Investimentos, Orçamentos e muito mais!

Se você ainda não é um usuário, não perca mais tempo e clique aqui.

tela inicial do mobills

Conclusão

É necessário sim dar mesada para os filhos.

Desse modo, eles começam a aprender a lidar com o dinheiro e iniciam a jornada da educação financeira.

Então, se você é um pai ou mãe que se preocupa com o futuro de suas crianças, a sugestão é que siga nossas dicas.

Não se esqueça que o dinheiro do lanche dos seus filhos não pode estar incluído na mesada.

Lembre-se também que você precisa ser o exemplo de seus filhos.

Logo, sua família deve ter um bom gerenciamento financeiro para que você consiga ensiná-los a lidar com o dinheiro.

Por fim, como eu já expliquei no tópico anterior, o Mobills pode te ajudar bastante nessa tarefa.

View this post on Instagram

Quais são os seus objetivos financeiros de curto prazo? ⠀ Uma dica válida para todos aqueles que estão entrando agora no mercado financeiro, na fase inicial dos seus investimentos, é garantir uma certa estabilidade financeira num curto prazo, para então se dedicar a sua liberdade financeira no longo prazo. ⠀ Um objetivo de curto prazo é uma tarefa cujo prazo estabelecido para conclusão se dá entre 1-24 meses, ou seja, você tem até dois anos para cumprir seus objetivos financeiros estabelecidos para o curto prazo. Logo, fica claro que, estabelecer prazos para conclusão de metas financeiras é tão importante quanto defini-las. ⠀ Montar a sua reserva de emergência é um dos passos mais importantes dentro desse período, para tal, é preciso criar um planejamento financeiro, cujo orçamento mensal caiba dentro dele e lhe possibilite a melhor forma de economizar dinheiro para direcionar aportes mensais para o seu objetivo principal. ⠀ Ao mesmo tempo, organizar-se financeiramente para pagar dívidas, ou mesmo pequenos débitos, irá agregar uma maior tranquilidade a sua vida. Por isso, COMECE hoje a cuidar das suas finanças pessoais para então ver a mudança que deseja na sua vida financeira. ⠀ O que VOCÊ FAZ para alcançar a LIBERDADE FINANCEIRA? ⠀ Siga @mobillsedu e @mobillsapp ⠀ 👉Se inscreva na nossa lista VIP do nosso curso PLANEJAMENTO FINANCEIRO NA PRÁTICA e garanta 50% de desconto já na inscrição, entre outros benefícios. LINK NA BIO. 😎 Marque um amigo para ver esse post. ❤ Se gostou, deixe seu like e comentário, isso é muito importante para nós. ⠀ #mobillsedu #aprendizmb #educaçãofinanceira #dinheiro #mentalidademilionaria #metasfinanceiras #inteligenciafinanceira #financas #controlefinceiro #rico #riqueza #economizar #renda passiva #reservadeemergencia #orcamento #debitos

A post shared by Mobills Educação Financeira (@mobillsedu) on


LEIA TAMBÉM:

Como elaborar um planejamento financeiro pessoal incrível em 13 passos simples