Mesada: será que é realmente necessário dar aos filhos?

Como é a relação do seu filho com o dinheiro? Este é um assunto que interessa e preocupa a todos os pais, especialmente em um país como o Brasil, onde falar sobre finanças ainda é um tabu para a maioria das famílias.

Geralmente, os pais têm muitas dúvidas em relação à mesada dos filhos. Se realmente deve dar, quanto deve dar, de quanto em quanto tempo deve dar, etc.

Se você é um desses pais cheio de dúvidas, então não se preocupe, pois escrevemos um artigo respondendo todas as dúvidas e dando dicas sobre a mesada de seus filhos.

A mesada é necessária?

mãe colando moeda num cofrinho de porquinho junto com sua filha

Sim! Pois ela é o primeiro contato real que seu filho terá com o dinheiro e consequentemente com a educação financeira.

É muito importante que as crianças aprendam desde cedo a lidar com o dinheiro corretamente para futuramente elas não se tornarem adultos irresponsáveis e inadimplentes.

Afinal, para aprender a andar de bicicleta, você precisa de uma bicicleta. E para aprender a administrar o dinheiro, você precisa de pelo menos um pouco de dinheiro.

Ao praticar com seu próprio dinheiro, as crianças conseguem experimentar várias possibilidades – economizando para um dia de praia, priorizando metas e entendendo o conceito de gratificação – que, de outra forma, pareceriam abstratos ou irrelevantes.

As mesadas dão às crianças espaço para cometer erros em um ambiente de baixo risco.

Então, sim, a mesada é necessária, e dada de maneira correta, não será prejudicial para as crianças.

Quando começar a dar mesada?

criança brincando com bolha de sabão

De acordo com o especialista Álvaro Modernell, o momento de começar a dar a mesada depende bastante do estilo de vida da família e da maturidade da criança, porém, ele sugere a faixa etária entre 6 e 7 anos como o melhor período. “Nesta idade, as crianças começam a ser alfabetizadas e passam a lidar mais intensamente com números”, afirma.

Você também pode oferecer quando a criança pede ou sugere. Dessa forma, elas valorizam mais, ficam mais receptivas às orientações e sentem que estão conquistando algo. 

Qual o valor?

pessoa botando várias moedas na mão de outra

Ainda segundo Modernell, os pais deverão observar as possibilidades do orçamento, os hábitos da criança e da família e, a partir desse ponto, buscar um parâmetro para iniciar.

No entanto, ele ressalta que mesmo que haja a possibilidade de dar uma mesada alta, isso deve ser evitado. “Quando se trata de educação financeira, a escassez ensina mais do que a fartura e, em caso de eventual aperto financeiro da família, as crianças não sentirão tanto”, observa. 

Além disso, conversar com os pais dos amigos mais próximos dos filhos pode ser uma boa alternativa. Vocês podem definir um valor parecido, assim não fica um valor exorbitante, mas também não frustra a criança com um valor muito baixo.

É importante que a periodicidade e as regras de pagamento e uso devem ser combinadas, acompanhadas e respeitadas pelas duas partes. 

Lembre-se que o dinheiro do lanche escolar não deverá estar incluído na mesada, pois há o risco da criança deixar de comer para não gastar o seu dinheiro. Se a família optar por dar dinheiro às crianças para comprar lanche na escola, os valores devem ser separados da mesada e, caso a criança opte por não comer naquele dia ou se sobrar troco, deve ser devolvido aos pais. 

Também não é recomendável que a mesada esteja condicionada ao desempenho escolar. “Isso pode estimular uma mentalidade mercenária. Ademais, há muitos pais que terceirizaram ao dinheiro a responsabilidade pelo acompanhamento das tarefas e desempenho escolar, o que é bastante prejudicial à educação infantil”, explica.

Como pagar?

crianças brincando

Faixa etária: 6 aos 10

  • Frequência: semanal (semanada). Nessa idade, as crianças ainda têm dificuldade para lidar com horizontes temporais distantes. melhor forma de dar mesada aos filhos melhor forma de dar mesada aos filhos
  • Pode-se usar R$ 1 por semana para cada ano da criança. Por exemplo, se a criança tem 6 anos, será R$ 6 por semana. Porém, você precisa considerar o grau de maturidade da criança e a realidade financeira da família.
  • Atenção: parte da quantia dada deve começar a ser poupada já por volta desta faixa etária (entre 10% e 30%), para uma aquisição ou projeto da criança. melhor forma de dar mesada aos filhos 

Faixa etária: 11 aos 17

  • Frequência: pode-se estabelecer a mesada propriamente dita, com a periodicidade mensal, que será a da maioria dos ciclos financeiros que irão vivenciar na vida adulta.
  • O valor dependerá da renda familiar, mas, em média, o ideal é calcular R$ 3 a cada ano de vida do jovem, o que resulta em um valor semanal e, então, multiplicá-lo por quatro, o que dá um valor mensal. Por exemplo, um jovem de 15 anos receberia R$ 180 por mês. 
  • Atenção: recomenda-se que o adolescente continue poupando o que ganha para objetivos de curto prazo.

Álvaro Modernell conclui que para as crianças ficará experiências e aprendizados, com acertos e erros. Elas terão que fazer escolhas, conviver com limites, e aprenderão a controlar, pesquisar preços, poupar e planejar compras. Muitas irão desenvolver habilidades e posturas importantes para que, quando adultas, tenham uma vida financeira tranquila e com boas perspectivas.

Outras dicas para lidar com a mesada em casa

família com seus filhos botando dinheiro no cofre

  • Sempre mostre que usar dinheiro é fazer escolhas. Escolhas são ótimas desde que possamos pensar antes sobre elas. Ou seja, se compro um jogo de videogame, não posso comprar no mesmo mês uma roupa nova, por exemplo. 
  • Mostre a importância de ganhar, guardar e doar o dinheiro.
  • Evite condicionar a mesada a hábitos e atitudes que todos devem ter. Ninguém deve receber dinheiro por respeitar a si e aos outros ou por ser honesto.
  • Habitue seus filhos desde a primeira mesada a guardar de 10% a 30% para um projeto maior.
  • Palavra, dia e valor combinados com os filhos devem ser respeitado pelos pais. A mesada não deve ser usada como moeda de chantagem.
  • Comemore as pequenas conquistas sempre! Passe confiança, seja amoroso, torne gratificante fazer escolhas, esperar para conquistar e vibre quando chegar a hora.
  • Construa com seus filhos um sonho de longo prazo (de acordo com a maturidade de cada criança). Por exemplo, para comprar um celular novo, mostre quantos meses eles deverão guardar o dinheiro e o quanto você poderá contribuir. Motive-os com frequência.

Tá O$$o: jogo de educação financeira

A Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF), em parceria com a TV Escola, criou um jogo de educação financeira voltado para crianças e adolescentes de 7 a 18 anos, disponível gratuitamente para Android e iOS.

Eu testei o jogo e achei super didático e divertido. Durante todo o jogo existem várias missões que você precisa passar para ganhar dinheiro.

Todas essas missões são voltadas para o cunho financeiro e você só completará cada missão se conseguir ser econômico e seguir as dicas dos outros personagens do jogo.

Claudia Fortes, superintendente da AEF-Brasil, diz que o jogo foi a forma encontrada para falar sobre um tema considerado tabu de forma mais leve.  “Muita gente relaciona o aprendizado sobre o dinheiro com um monte de conta de matemática. Não é. É comportamento puro, tem muita psicologia”, explica.

“A vida não vem com um manual, mas, sim, com opções. Ainda que a opção seja não aprender sobre como lidar com o dinheiro, isso não deixa de ser uma escolha e certamente terá impacto no futuro da criança e do adolescente”, completa Claudia. “E quanto mais cedo isso for aprendido, mais fácil mudar comportamentos”.

O jogo pode ser usado como um complemento na educação financeiro de seus filhos e como ele lidará com sua mesada

tela inicial do jogo tá osso

tela inicial do jogo tá osso

jogo tá osso

Seja o exemplo de seus filhos: gerencie seu dinheiro corretamente

Para os seus filhos aprenderem bem como lidar com o dinheiro, e melhor que isto, gostarem de fazer isto, você precisa ser um exemplo para eles.

O orçamento de sua família e o seu pessoal precisam estar saudáveis, até porque não tem como você ensinar para os seus filhos como lidar com a mesada se você mesmo não lida bem com sua renda.

Se a renda familiar ou a sua pessoal não estiver bem por qualquer motivo, procure rapidamente uma solução para não ficar com dívidas e nem devendo dinheiro para ninguém (principalmente para os bancos).

Para te ajudar nesta missão, você pode usar um aplicativo de gerenciamento financeiro que permite registrar despesas e receitas, e assim, você saberá exatamente o que está acontecendo com o seu dinheiro.

O Mobills é um destes apps e ele possui várias funcionalidades incríveis, como o Modo Viagem, Objetivos, Módulo de Investimentos, Orçamentos e muito mais! Se você ainda não é um usuário, não perca mais tempo e clique aqui.

tela inicial do mobills

Conclusão

Como você pode concluir, é necessário dar mesada para os filhos para eles aprenderem a lidar com o dinheiro e iniciarem a educação financeira.

Siga as nossas dicas e estipule um valor que vai crescendo com o passar dos anos.  Não se esqueça que o dinheiro do lanche dos seus filhos não pode estar incluído na mesada.

E você precisa ser o exemplo de seus filhos, por isso sua família precisa ter um bom gerenciamento financeiro para você conseguir ensinar seus filhos a lidar com o dinheiro. E o Mobills pode te ajudar nisso, como eu já expliquei no tópico anterior.

Ademais, gostou do artigo? Seu comentário é muito importante para nós!

*****

LEIA TAMBÉM:

Como elaborar um planejamento financeiro pessoal incrível em 13 passos simples

*****

Comentários