Imposto de Renda 2015, não deixe para a última hora!
Por favor, avalie esse Post

Imposto de Renda 2015, não deixe para a última hora!

Você já elaborou sua declaração? O prazo para entregar a Declaração do Imposto de Renda 2015 termina em 30 de abril, ou seja, falta exatamente uma semana para o fim do prazo. Se por qualquer motivo você ainda não enviou o documento para a Receita Federal, é hora de fazê-lo.

Evite deixar para a última hora: reúna os documentos necessários, baixe o programa e preencha sua declaração o quanto antes. Assim você faz tudo com cautela, evita erros e, caso tenha direito, recebe a restituição mais rápido.

Confira algumas dicas que irão facilitar a prestação de contas:

Imposto de Renda 2015

Separe os documentos necessários para a declaração

Tenha em mãos os informes de rendimentos, recibos de despesas com educação e médicas, CPF dos dependentes, dados dos imóveis alugados e lista de aluguéis recebidos, informes de rendimentos bancários e aplicações financeiras etc. Estes documentos possuem informações necessárias e importantes para o preenchimento da declaração.

Faça o download do programa gerador

Para baixar o programa gerador da declaração acesse o site da Receita (www.receita.fazenda.gov.br).

Informe TODOS os rendimentos recebidos

Não se esqueça do salário, aposentadoria, dos rendimentos com aluguéis etc. É importante, inclusive, lembrar da obrigatoriedade de informar também os rendimentos dos dependentes relacionados na declaração, mesmo quando estes não estão obrigados a declarar.

Atenção às deduções permitidas por lei

Fique atento aos limites permitidos em cada uma das possíveis deduções e informe na declaração somente as deduções de despesas que tenham documentos que comprovem o gasto. Despesas com educação têm um limite anual por titular e cada um de seus dependentes. Já as despesas médicas são ilimitadas. O fato de declarar um dependente também permite dedução por dependente declarado.

Compare os diferentes modelos de declaração

O próprio sistema da Receita permite essa comparação entre a declaração simplificada e a completa. Na dúvida, compare os modelos antes de enviar o documento. Ao contribuinte que possui muitas despesas dedutíveis, talvez seja mais vantajoso optar pelo modelo completo da declaração.

Procure ajuda especializada

Se estiver com dúvidas para elaborar a declaração, é interessante procurar um especialista. Mas atenção na hora de escolher o profissional: pesquise, busque referências e não se baseie apenas no preço. Uma escolha errada pode, ao invés de facilitar, dar muita dor de cabeça.

Quanto mais rápido, melhor!

Quanto antes a declaração for preenchida, menores as chances de erro e de atraso no envio, que podem levar ao pagamento de multa. Além disso, as declarações são analisadas por ordem de entrega, ou seja, o quanto antes você entregar, antes receberá a restituição, caso tenha direito. Declarações entregues por meio eletrônico e por idosos com mais de 60 anos têm prioridade.

Acertando as contas

O contribuinte poderá pagar o imposto ou agendar o seu pagamento, por meio de débito automático em conta corrente bancária. A opção será habilitada para declarações originais entregues no prazo e de forma eletrônica. O contribuinte deverá assinalar a opção de autorização de débito automático e informar o banco, agência e número da conta corrente onde deseja que seja realizado, mensalmente, o débito das quotas do imposto a pagar.

Restituição

As restituições do IR e o ressarcimento de valores referentes a tributos e contribuições federais só são pagos através de depósito em conta corrente ou poupança, seguindo um calendário, de junho a dezembro de cada ano.

Atraso na entrega gerará multa

O prazo final para a entrega da Declaração de Ajuste Anual é sempre o último dia útil de abril. Quem atrasar a entrega da sua declaração de Imposto de Renda estará sujeito a uma multa. Um gasto totalmente desnecessário, que denota falta de planejamento e controle de suas finanças pessoais.

A multa para quem entrega a declaração fora do prazo é de 1% ao mês. O valor mínimo é de R$ 165,74, e o máximo é de 20% do imposto devido.

Vale lembrar

Precisa entregar a declaração o contribuinte que:

– Recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 26.816,55;

– Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40.000,00; Exemplos de rendimento tributado exclusivamente na fonte: rendimentos de aplicações financeiras ou o 13º salário. Já o rendimento não tributável pode ser: rendimentos da caderneta de poupança ou uma indenização trabalhista.

– Obteve ganho de capital ao vender bens ou direitos ou investiu em Bolsa;

– Em caso de atividade rural: obteve receita bruta acima de R$ 134.082,75; vá compensar, no ano-base de 2014 ou depois, prejuízos de anos anteriores ou do ano-base de 2014;

– Teve, em 31 de dezembro de 2014, a posse ou a propriedade de bens ou direitos de valor total superior a R$ 300 mil;

– Passou a morar no Brasil em qualquer mês e nesta condição se encontrava em 31 de dezembro de 2014;

– Optou pela isenção do IR do ganho de capital na venda de imóveis residenciais, por ter aplicado o dinheiro na compra de outro imóvel residencial, em até 180 dias a partir venda do imóvel original.

Para mais informações a respeito do Imposto de Renda 2015, acesse www.receita.fazenda.gov.br

Já elaborou a sua declaração? Ainda vai elaborar? Compartilhe conosco! 

Gostou do artigo Imposto de Renda 2015, não deixe para a última hora!? A sua opinião é muito importante para nós! Sugira novos temas, deixe seu comentário.

Comentários