Na maioria das vezes, são links maliciosos, usando o nome dos bancos como isca para fisgar o consumidor, roubar dados e ter acesso a cartões de crédito ou contas bancárias.

Golpes financeiros aumentam substancialmente durante o período de isolamento social. Veja como se prevenir!

Banner convidando para o Mobills

A quarentena (dos que têm a possibilidade de ficar em casa) determinada pela pandemia do novo coronavírus está sendo utilizada por criminosos para aplicar diversos golpes financeiros.

De acordo com a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), de fevereiro para março, quando iniciou o período de isolamento social, foi registrado um crescimento de 44% em ataques de phishing (prática criminosa para enganar pessoas e conseguir que revelem informações pessoais, como senhas, CPF e número de contas bancárias).

Na maioria das vezes, são links maliciosos, usando o nome dos bancos como isca para fisgar o consumidor, roubar dados e ter acesso a cartões de crédito ou contas bancárias.

Alguns exemplos de mensagens enviadas por e-mail, SMS e WhatsApp são:

  • “Com o seu cartão, você tem descontos exclusivos de até 35% em farmácias e pode comprar sem sair de casa”;
  • “Evite o bloqueio das suas senhas”;
  • “Precisa de mais tempo para pagar seus boletos, sem juros?”.

Algo em comum é que os textos são sempre seguidos de links fraudulentos por onde os criminosos roubam as informações.

Auxílio emergencial gerou muitos golpes

De acordo com a PSafe, empresa especializada em segurança digital, mais de 11 milhões de pessoas acessaram ou compartilharam links falsos relacionados ao benefício.


Aplicativos oficiais do auxílio emergencial: baixe os apps corretos e evite cair em golpes!


Ataques a celular crescem mais de 100%

O analista de segurança sênior da Kaspersky no Brasil, Fabio Assolini, afirma que os celulares são o grande alvo dos criminosos. Entre fevereiro e março, diz, cresceram 124% os phishings em plataformas móveis:

“Por esse motivo, é essencial manter antivírus no smartphone para barrar essas fraudes”, explica o analista.

Para mostrar o efeito do período de quarentena, Assolini ressalta que, em março, foram feitos 10 milhões a mais de ataques de malwares focados em roubo de dados financeiros do que em fevereiro: 68,1 milhões contra 58,8 milhões.

Segundo o diretor da Comissão Executiva de Prevenção a Fraudes da Febraban, Adriano Volpini, 80% dos golpes fazem uso de engenharia social.

Isto é, se aproveitam de uma situação momentânea e conferem à mensagem um caráter de urgência.

O objetivo é justamente levar quem está na outra ponta a clicar sem refletir.

“Eles exploram, por exemplo, o medo de ir à agência, de perder acesso à conta, ou de perder benefícios fazendo com que as pessoas se esqueçam de cuidados básicos. A orientação que sempre deve ficar é: pare, olhe com atenção e desconfie. Entre no site do banco ou fale com o gerente”, explica Volpini.


25 aplicativos legais que você precisa ter no seu celular


Bancos não mandam buscar cartão de crédito

O golpe do motoboy foi outro que voltou com força. Nele, os criminosos sugerem que houve uma compra indevida no cartão da pessoa e pedem para ela fazer um boletim de ocorrência.

Como não é indicado sair de casa nesse momento, se prontificam a mandar um motoboy buscar o cartão de crédito.

A partir daí, fazem várias compras para concluir o golpe.

Volpini alerta que as instituições bancárias nunca mandam buscar cartões e diz que não há só idosos entre as vítimas do golpe, visto que ele já ocorreu com brasileiros de diferentes faixas etárias, econômicas e culturais.

Banner convidando para pedir o cartão Méliuz

Veja as dicas de especialistas e da Febraban e não caia em golpes!

– Atenção: bancos não solicitam confirmação de dados pessoais relacionados a cartões, contas bancárias e senhas por e-mail, telefone, SMS ou por outros meios.

– As instituições também nunca enviam ninguém para retirar cartões de crédito. Sendo assim, não os entregue a ninguém. E não se esqueça: para inutilizar o cartão de crédito deve-se cortar o chip no meio, não o plástico.

– Controle periodicamente seu extrato bancário e a fatura do cartão de crédito.

– Em caso de furto, perda ou roubo de seu celular, solicite, o mais rápido possível, o bloqueio de seu chip na operadora de telefonia, bem como de cartões de crédito e débito. Além disso, registre boletim de ocorrência na polícia.

– Evite abrir e-mail e clicar em links  ou anexos enviados por desconhecidos.

– Jamais forneça dados para alguém que se identificar como operador de central de atendimento.

– Mantenha o sistema operacional de seu celular, computador ou tablet sempre atualizado. Ademais, é recomendável instalar programas antivírus, inclusive, no celular, para o bloqueio de ataques.

– Não forneça dados pessoais, informações sensíveis e senhas por aplicativos de comunicação instantânea, e-mail, redes sociais e telefone.

– Se desconfiar de alguma solicitação, entre em contato diretamente com a central de atendimento oficial do banco, com seu gerente ou verifique na página do banco.

Ajude outras pessoas, nos siga nas redes sociais e comente!

P.s.: O que achou da notícia sobre o aumento dos golpes financeiros? Se gostou, então, compartilhe esse post com seus amigos/familiares e ajude-os a se protegerem!

Quer acompanhar nosso conteúdo também no Instagram? Clique aqui e siga o @mobillsedu!

A sua opinião é muito importante para nós! Sendo assim, sugira novos temas, deixe seu comentário.


VEJA TAMBÉM:

Postado em: Notícias


Escrito por Victor Leitão

Victor Leitão, Líder de Conteúdo e SEO na Mobills. Consultor financeiro pessoal. Pesquisador incansável dos temas educação financeira e finanças pessoais. Formado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará.


Hey, o que você achou desse conteúdo?

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar de

Junte-se a mais de 239.950 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

logo-mobills-app

Baixe agora para o seu dispositivo

logo-mobills-app
logo-mobills-app
logo-mobills-app