Finanças Pessoais

Finanças pessoais para universitários: como melhorar a situação financeira

Mulher, livros, cofrinho e moedas simbolizando Finanças pessoais para universitários
Victor Leitão
Escrito por Victor Leitão

O estudante pode planejar a vida de tal maneira que não tenha que passar por maus bocados ou depender do dinheiro dos pais para a balada do fim de semana.

Finanças pessoais para universitários: como melhorar a situação financeira

Banner convidando para o site do Mobills

O pensamento que se consolidou sobre os estudantes universitários é que são aqueles indivíduos sem dinheiro, dependentes dos pais e sempre com dificuldades financeiras.

Será que isso é verdade? Muitas vezes pode até ser, mas esse estereótipo não precisa se confirmar.

O estudante pode planejar a vida de tal maneira que não tenha que passar por maus bocados ou depender do dinheiro dos pais para a balada do fim de semana.

Para isso, é necessário que o universitário tenha objetivos claros a respeito do dinheiro. Dívida é uma situação que deve ser evitada ao máximo.

Obviamente que existem as dívidas saudáveis, ou seja, aquelas assumidas para a educação e até para o negócio próprio.

Outras situações, no entanto, devem ser bastante analisadas, pois podem gerar frustrações, conflitos e até problemas familiares.

Você não se enquadra nem quer se enquadrar no estereótipo? Então, separamos algumas dicas para ajudá-lo a ter controle sobre suas finanças pessoais e até mesmo para que você consiga juntar dinheiro durante o período da faculdade. Confira:

Finanças pessoais para universitários: melhorando a situação financeira

 

Investimentos

Uma das formas de organizar o presente e assegurar o conforto futuro é investir parte da renda. Mesmo que o dinheiro que você tem à disposição não seja muito, deve-se separar pelo menos 10% dele para investir.

Um erro bastante comum é tentar guardar o que sobra, pois muitas vezes não sobra nada, ou pior: falta.

Reserve o valor antes e adapte os gastos aos 90% restantes. O segredo é a racionalização do consumo.

O café em casa sai mais barato do que na cantina. A marmita preparada na cozinha do apê sai mais em conta do que o almoço fora de casa.

Claro, você pode jantar fora ou curtir aquele sanduíche delicioso de vez em quando. Mais uma vez: o segredo é a racionalização.

O estudante deve buscar investimentos de renda fixa e baixo risco, preferencialmente que tenham um rendimento melhor do que a poupança.

Para citar apenas alguns exemplos, há os CDBs e LCIs. O ideal é uma conversa franca com o gerente do banco para auxiliar sobre a melhor opção para o estudante, de acordo com a sua renda.

Cartão de crédito: o calcanhar de Aquiles das finanças dos estudantes

Diversos levantamentos indicam que o grupo que mais se complica com os cartões de crédito são os estudantes.

Deixar passar o vencimento pode acarretar juros altíssimos. Realizar apenas pagamento mínimo da fatura é outra atitude que leva ao estouro das finanças.

Por isso, disciplinar-se é muito importante e você deve se atentar para:

Conhecer a data de vencimento do cartão;
– Pagar a fatura do cartão em dia;
– Preferir comprar à vista e pagar com dinheiro;
– Não tratar o limite da conta como dinheiro grátis;
– Se, por motivo de força maior, houver problemas no pagamento, não hesitar em tentar fazer um acordo, antes que vire uma bola de neve.

CARTÃO DE CRÉDITO: 21 DICAS PARA NÃO PERDER O CONTROLE DO SEU

Mantenha uma reserva para emergências

É importante também juntar um valor para cobrir gastos de emergência, que podem ser uma manutenção predial; manutenção do carro, se você tiver um; gastos com remédios, se você ou alguém próximo ficar doente e precisar da sua ajuda.

Com a reserva para emergências, dificilmente você terá um grande problema com as suas finanças.

Sem esse “seguro”, esses problemas podem devastar o seu planejamento de gastos e fazê-lo passar “apertado” durante um longo período, até que consiga se estabilizar novamente.

Ainda não guarda nenhum valor para imprevistos? Aprenda como formar sua reserva de emergências clicando aqui.

Aplicativos de finanças pessoais e educação financeira

Não é necessário recorrer a nenhum economista ou consultor pessoal caríssimo para melhorar suas finanças.

Existem diversos aplicativos de finanças pessoais, como o Mobills, capazes de ajudar a colocar as contas em ordem e orientar o controle e a educação financeira. É uma forma muito prática e segura.

E claro, para acelerar o processo de acúmulo de dinheiro e melhora da situação financeira, é importante que o universitário estabeleça renda o mais rápido possível por meio de estágio profissional.

*****

LEIA TAMBÉM:

4 dicas para economizar com os lanches na faculdade! Comece agora!

Sem dinheiro para os estudos? Saiba como financiar sua faculdade!

Estudante de Direito fatura R$ 900 por dia na praia com geladinho de vodca

Banner convidando para o site do Mobills

Gostou do artigo Finanças pessoais para universitários: como melhorar a situação financeira? A sua opinião é muito importante para nós! Sugira novos temas, deixe seu comentário.

*****

Comentários