9 erros financeiros para não cometer em 2017

Mulher com calculadora simbolizando erros financeiros para não cometer

9 erros financeiros para não cometer em 2017

Banner convidando para o site do Mobills

Gastos excessivos, poupança inexistente, compras desnecessárias. Sem nem mesmo perceber, muitas pessoas cometem vários erros financeiros. E, com tantas opções que o mercado oferece para nos desviar do foco, você (ou alguém que você conhece) provavelmente se encaixa nesse perfil, correto?

Por isso, para que você elimine tais práticas da sua vida em 2017 (ou ajude seus conhecidos/familiares) e foque em atividades positivas, listamos neste post os principais erros financeiros e como evitá-los. Então, continue lendo e garanta que seu novo ano seja repleto de sucesso no que diz respeito às finanças!

A influência negativa dos erros financeiros

Cometer erros na gestão financeira compromete resultados e acaba tornando a vida financeira uma completa bagunça. Dessa forma, a melhor maneira de evitar os erros financeiros é estabelecer um planejamento e segui-lo à risca.

Portanto, para alcançar a estabilidade nas finanças, o primeiro passo é monitorar as atividades e gastos diariamente. Trace objetivos, estabeleça metas e mantenha-se na linha.

Afinal, criar riqueza depende de esforços diários, cumprimento de regras e evitar erros. Ainda assim, contudo, algumas condutas indesejáveis podem surgir no árduo e longo caminho para alcançar os seus sonhos.

Por isso, vejamos agora quais são os 9 maiores erros financeiros e como evitá-los no seu dia a dia, garantindo o sucesso das suas finanças no ano de 2017.

1. Focar apenas no curto prazo

Se procurar saber sobre os maiores milionários do globo, você verá que cada um deles apresenta um traço em comum. Todos sabem investir e ter paciência para receber os lucros, jamais focando apenas no curto prazo.

Pois você deve fazer o mesmo ao estabelecer um planejamento para o longo prazo. É erro grosseiro não planejar o futuro nem estabelecer metas para que seus sonhos se tornem realidade.

Nesse sentido, vale a pena avaliar os riscos envolvidos em investimentos e estar disposto a aceitá-los.

Opte por aquele que parece mais rentável e adequado à sua situação, e privilegie companhias conhecidas e marcas estáveis. Para descobrir novos empreendimentos e lucrar mais, aposte na diversificação.

2. Ignorar pequenos gastos

Gastou qualquer valor? Anote! Um dos maiores erros financeiros cometidos pelo cidadão comum é pensar que as pequenas despesas não influenciam no orçamento mensal e devem, por isso, ser desconsideradas.

Para estimular o hábito, crie uma pequena planilha de bolso ou utilize aplicativos especializados no controle de finanças. Bons softwares e apps são sempre recomendados para que você conheça os caminhos percorridos pelo seu dinheiro.

3. Comprometer o salário antes mesmo de recebê-lo

Para pessoas com rendimentos fixos, pode parecer especialmente tentadora a proposta de fazer compras sabendo que serão pagas ao final do mês. Tal atitude, porém, é inconsequente do ponto de vista financeiro.

Gastar o salário antes mesmo de recebê-lo é prejudicial para as finanças, uma vez que compromete o orçamento do mês e diminui as chances de planejá-lo adequadamente.

Em outras palavras, agir assim favorece a impulsividade com os rendimentos pessoais, dificultando ainda mais o cumprimento de objetivos e metas.

Portanto, o ideal é que você receba o seu salário, pague as despesas, separe o montante a ser poupado e pense, com calma, no que vai fazer com o restante.

4. Não fazer uma reserva de emergência

De fato, imprevistos acontecem. Já pensou no que fará se perder o emprego, fechar sua empresa ou se for acometido por alguma doença? Lembre-se: mesmo pessoas com saúde perfeita estão sujeitas a emergências inesperadas.

Muitas pessoas ignoram tais pensamentos, o que é erro gravíssimo. Então, calcule mensalmente suas despesas e determine o essencial para cobrir os gastos básicos. Anote absolutamente tudo.

Aliás, uma boa dica é contar com softwares especializados nessa tarefa, garantindo segurança, economia e organização no processo.

Além disso, alimente mensalmente um fundo básico até contar com pelo menos seis vezes o valor estipulado como essencial para passar o mês. Se necessitar daqueles valores, reponha-os o quanto antes.

5. Consumir mais que o necessário

Hábitos de consumo exagerado são extremamente prejudiciais para o controle financeiro pessoal. Então, garanta que suas compras sejam sempre norteadas pela prudência, tomando decisões conscientes e informadas.

Em hipótese alguma gaste mais do que você ganha. Repense sempre suas decisões e aguarde algum tempo para realizar compras mais pesadas, como eletrodomésticos e veículos.

Só assim você poderá dimensionar se a compra será útil ou se servirá apenas para satisfazer desejos pessoais de consumismo exacerbado.

6. Não planejar o futuro

Não encare suas finanças de maneira passageira. Um dos maiores erros cometidos pelos brasileiros é se esquecer de planejar a velhice. Assim, quando um imprevisto acontece ou o futuro chega, você não tem condições de arcar com os valores necessários.

Por isso, além de investir e criar um fundo para emergências, lembre-se de poupar, sempre que possível, parte do que ganha. Afinal, você não poderá trabalhar para sempre, certo?

Pense em aplicar o dinheiro poupado em um investimento que se adeque ao seu perfil e planeje sua aposentadoria desde cedo.

7. Desanimar com a crise

Sabemos que o Brasil passa por um momento de crise, e os principais setores do mercado se encontram em baixa. Mas isso é motivo suficiente para desanimar? De forma alguma!

É nesses momentos que os investidores devem estudar a situação e encontrar oportunidades para crescer. Para criar riqueza, você deve ser ponderado e saber atravessar tanto os bons quanto os maus momentos. Então, seja criativo e inovador, e jamais desanime!

8. Não aproveitar as baixas do mercado

Investir implica em conhecer e acompanhar o mercado de perto, nos momentos de altas e baixas. Quando há baixas, quem poupa e sabe em quais negócios investir com certeza lucrará ainda mais do que aqueles que o fazem em altas.

Por isso, não deixe que as emoções o guiem nem acredite que todas as ações do passado, se repetidas, funcionarão no futuro. Pense racionalmente e esteja sempre atento às notícias.

9. Não estabelecer prioridades na gestão pessoal

Muito provavelmente, você não dispõe dos recursos necessários para concretizar todos os seus desejos — especialmente quando comete um ou mais dos erros listados, mesmo que sem querer.

De fato, é errado não priorizar despesas que sejam consideradas mais importantes na gestão financeira pessoal. Um exemplo disso é quando você gasta mais do que deve com lazer e não prioriza o pagamento do aluguel, ou opta por trocar de carro quando está precisando juntar o dinheiro da casa própria.

Lembre-se: pessoas que não estabelecem prioridades alocam seus rendimentos em locais inadequados e acabam contraindo empréstimos, se endividando ou perdendo em qualidade de vida.

Leia também:

Como não gastar todo o seu salário

10 dicas simples para acabar com as dívidas e começar a acumular dinheiro

Saiba como usar o cartão de crédito a seu favor

E aí, curtiu conhecer os maiores erros financeiros cometidos? Cometia algum deles e vai corrigir seu comportamento em 2017? Já conseguiu se livrar desses erros financeiros? Compartilhe conosco e engradeça a discussão! 😀

Banner convidando para o site do Mobills

Gostou do artigo 9 erros financeiros para não cometer em 2017A sua opinião é muito importante para nós! Sugira novos temas, deixe seu comentário.

Comentários