Dar mesada para seus filhos é um erro? Saiba tudo sobre o assunto
Por favor, avalie esse Post

Dar mesada para seus filhos é um erro? Saiba tudo sobre o assuntoBanner convidando pra conhecer o Mobills Web

Como é a relação do seu filho com o dinheiro?

Este é um assunto que interessa e preocupa a todos os pais, especialmente em um país como o Brasil, onde falar sobre finanças ainda é um tabu para a maioria das famílias.

Se você pretende aderir a um sistema de mesadas para seus filhos, então é bom entender algumas coisas primeiro.

Por que uma mesada?

Para aprender a andar de bicicleta, você precisa de uma bicicleta. E para aprender a administrar o dinheiro, você precisa de pelo menos um pouco de dinheiro.

Ao praticar com seu próprio dinheiro, as crianças conseguem experimentar várias possibilidades – economizando para um dia de praia, priorizando metas e entendendo o conceito de gratificação – que, de outra forma, pareceriam abstratos ou irrelevantes.

As mesadas dão às crianças espaço para cometer erros em um ambiente de baixo risco.

Se o seu filho de 8 anos não pode ir ao cinema com a família de um amigo, porque ele gastou toda a mesada com doces, ele pode ser mais propenso a planejar com antecedência quando receber a próxima mesada.

Pense nisso desta maneira: Ensine seu filho as armadilhas de gastar por impulso.

Dessa forma, é mais provável que quando ele conseguir o primeiro cartão de crédito daqui a alguns anos, ele não se afogue em dívidas.

Atribuir tarefas domésticas ao dinheiro?

Criança brincando - Mesada para crianças

Você quer que seu filho entenda que fazer parte de uma família exige fazer algumas tarefas, as quais você não  recompensa, obrigações pessoais como, lavar a louça e mantendo seu quarto limpo.

No entanto, você pode dar um bônus para trabalhos que não sejam domésticos e que fiquem além das expectativas.

Qual é a melhor idade para começar?

Entre 5 ou 6 anos é onde normalmente se inicia. Alguns pais começam ainda antes disso, enquanto outros esperam até 10 anos ou mais.

Não há uma data de início mágica, é uma questão de tato, o melhor momento é quando seu filho começa a entender que o dinheiro pode comprar as coisas que ele quer.

Saber lidar com dinheiro não é uma tarefa fácil nem para nós, imagine só para uma criança.

Até que a gente compreenda quais são os limites e como devemos usar melhor o dinheiro, é uma caminhada longa.

Quanto é razoável?

Primeiro, você deve considerar os recursos financeiros da sua família, o custo de vida onde você mora e seu próprio nível de conforto.

Muitas famílias gostam de usar uma fórmula correspondente à idade, como R$ 1 para cada ano de vida, assim uma criança de 5 anos, ganharia R$ 5 por semana.

Usar uma fórmula tem certas vantagens, é uma quantidade fixa, as crianças recebem um aumento automático em seus aniversários, então tira de questão o aumento da mesada e também corta brigas de irmãos, porque o filho mais novo pode entender por que o irmão mais velho ganha mais.

Outra forma de calcular o valor, é descobrindo o que você espera que a mesada pague, serão lanches na escola ou quem sabe um brinquedo novo?

A partir daí você pode encontrar um valor razoável. Então, à medida que seu filho envelhece, faça esse valor abranger compras maiores, coisas que você faria normalmente.

Você pode, por exemplo, permitir que um adolescente administre os R$ 300 que você guardou para roupas novas e se o seu filho tem gastado o dinheiro muito rápido, comprando muitos lanches, deixe que ele experimente as consequências e faça com que ele leve apenas frutas para a escola até a próxima mesada.

Devo saber no que a mesada é gasta?

Você pode estar pensando que o dinheiro que você dá para seu filho pode ser mal gasto, ou gasto em coisas perigosas, como fogos de artifício…

A dica para se livrar dessa preocupação é fazer uma lista de itens proibidos, dessa forma, seu filho saberá que pode perder a mesada caso descumpra as regras.

Como posso ensinar meu filho a guardar e a dividir?

Você pode querer que o seu filho se responsabilize sobre o quanto ele gasta, economiza e compartilha.

Tudo bem se preocupar com esses ensinamentos, mas saiba que ele certamente aprenderá com seus próprios acertos e erros.

Emprestar o dinheiro da mesada?

criança segurando moedas

Vocês estão em um passeio e seu filho implora por um brinquedo dizendo que pagará o valor com o dinheiro que tem guardado em casa.

O que você deveria fazer?

Enquanto você estiver confortável com o brinquedo e o valor dele, fazer um empréstimo a curto prazo pode ser uma boa lição para seu filho. Mas tenha atenção a alguns pontos.

Que tal fazer um recibo e pedir a assinatura do seu filho? Apenas no caso dele desenvolver amnésia repentina sobre o acordo.

Não dê o brinquedo até que ele lhe dê o dinheiro.

Se ao chegar em casa, ele descobre que ele não tem o suficiente para pagar, guarde o brinquedo até que ele ganhe ou economize o dinheiro.

Se o dinheiro nunca vier, sinta-se livre para ser criativo: na próxima vez que você entregar a mesada, inclua uma “conta” para o brinquedo.

E quanto a dar um adiantamento?

O melhor amigo de seu filho convida-o a ir ao cinema, mas ele já gastou toda a mesada.

Você deve adiantar a mesada da próxima semana?

Se seu filho é responsável com o dinheiro, você pode ceder, mas não deixe que isso se torne um hábito e ensine ele a sempre ter uma quantia guardada para situações assim.

Se você não acha que ele seja responsável o suficiente, pode pedir um item penhorado, mas nem pensar no brinquedo que está pegando poeira, precisa ser algo que ele vai querer de volta e vai se esforçar para.

Claro, você sempre pode dizer não, especialmente se esses pedidos estão se tornando comuns.

Seu filho pode ficar triste por não ir ao cinema, mas ele vai aprender sobre a importância de construir um fundo para essas ocasiões.

Você dá uma mesada ao seu filho de forma diferente da sua filha?

Meninos e meninas devem ser tratados da mesma forma, não vamos criar barreiras e limitações para as crianças, certo?

Disso o mercado profissional já está cheio e ter essa diferenciação por gênero pode afetar negativamente sua família.

Mas por que se incomodar de dar uma mesada?

O dinheiro é uma ferramenta para aprender.

Nós não arrancamos livros de crianças ou materiais de arte quando eles não terminam suas tarefas (ou não as fazem bem, ou reclamam ao fazê-las), então também não devemos tirar o dinheiro.

Algumas famílias dão mesadas semanalmente, outras fazem isso duas vezes por mês ou mesmo mensalmente. O importante é criar uma consistência.

Crie um calendário para te ajudar a lembrar, assim você evita cobrança e lágrimas do seu filho.

Por outro lado, não se sinta preso – se a fórmula que você está usando atualmente simplesmente não está funcionando, você sempre pode se sentar com seu filho e criar um plano diferente.

Hora de tomar uma decisão

Muitas vezes é a própria criança que vai determinar o timing em que a educação financeira deverá ser abordada. Por exemplo, quando ela pedir para comprar um brinquedo ou um lanche em um momento inoportuno.

Caso ela quebre um brinquedo, os pais não têm a obrigação nem devem rapidamente substituí-lo por outro, dessa forma, a criança começará, aos poucos, a dar valor ao dinheiro gasto com coisas que a fazem feliz.

Ainda em dúvida sobre os valores?

Se não consegue decidir entre 5 ou 10 reais por semana, a melhor escolha é optar pelo menor valor. Parece injusto?

Calma, acontece que é muito mais fácil subir o valor da mesada do que reduzi-lo, desafie sua criança dando poucos recursos, ela pode acabar te surpreendendo.

*****

LEIA TAMBÉM:

Por que e como ensinar finanças pessoais para seus filhos

*****

Comentários