*Conteúdo publicado originalmente por Folha de S.Paulo

Banner convidando para o site do Mobills

Ao tentar alugar um apartamento no Rio, o representante comercial Alberto Lopes, 56, descobriu ter alto risco de dar calote.

Sem dívidas e com nome limpo, tentou entender por que sua nota de crédito era tão baixa (–272), em uma escala que vai até 1.000.

“Tenho nome limpo, sem dívida pendente, mas não consigo comprar a prazo por causa da nota. Disseram que não dá para fazer nada, que a pontuação sobe com o tempo”, afirma.

“O critério é tão falho que minha filha, que não tem nem uma bicicleta ou renda, tem pontuação três vezes melhor”, critica.

A única mancha no histórico dele foi há 10 anos, quando foi negativado por não pagar uma dívida. Isso, porém, basta para que bancos, lojas e birôs de crédito considerem que ele ofereça mais risco do que outros consumidores.

O score é basicamente um raio-x do consumidor, com informações sobre pagamentos em dia, quanto da renda é comprometida com dívidas se usa o cheque especial ou paga o mínimo do cartão de crédito, por exemplo.

“Quem fica negativado, mesmo que limpe o nome, é considerado de médio risco. Isso impede que seu score [pontuação] melhore. A lógica é que ele pode voltar a ficar negativado”, explica Pablo Nemirovsky, superintendente de serviços ao consumidor da Boa Vista SCPC.

Para calcular a nota, birôs usam variáveis como estado civil, idade e renda presumida, que ajudam a determinar a probabilidade de pagamento, diz a economista Marcela Kawauti, do SPC Brasil.

DÍVIDAS: COMO SABER SE SEU NOME ESTÁ SUJO

Cadastro atualizado

Ter score elevado aumenta as chances de se obter crédito e pode reduzir os juros cobrados pelo banco. E melhorar a pontuação, às vezes, demanda pouco esforço.

Até atualizar o cadastro junto a credores e birôs de crédito, por exemplo, ajuda a aumentar a credibilidade.

“Quanto mais atualizada for a informação, melhor dá para prever o comportamento do consumidor. A tendência de inadimplemento é maior entre aqueles que não atualizam o cadastro”, diz Nemirovsky, da Boa Vista SCPC.

Pagar contas em dia é importante, assim como organizar o orçamento para não entrar no cheque especial ou no rotativo do cartão de crédito.

Em relação aos empréstimos, a dica é não ultrapassar o limite de comprometimento de renda considerado saudável, que é em torno de 30%.

Até ter um emprego formal ajuda, pela ideia de previsibilidade de renda.

Por outro lado, ter o nome consultado muitas vezes nos birôs de crédito acende a luz amarela. “A procura por bancos ou financeiras num curto período pode indicar que a pessoa está com algum descontrole e pode vir a ficar inadimplente”, diz Nemirovsky.

E para quem já teve nota baixa, um alerta: elevar o score pode levar tempo. O resultado pode aparecer após um ano, afirma Vander Nagata, da Serasa Experian.

Segundo a Serasa, 54% dos inadimplentes que regularizaram sua situação voltaram a ter o nome sujo no ano seguinte. Hoje o país tem 61 milhões de inadimplentes, segundo o birô de crédito.

COMO LIMPAR O SEU NOME: ENTENDA AQUI

Régua de risco

Veja o que bancos e birôs de crédito consideram ao classificar clientes

Notas de agências:

0 a 200 pontos

  • Dificilmente o consumidor obtém crédito em bancos
  • Ficou com nome sujo mais de uma vez nos últimos 5 anos
  • Potencial alto de calote

201 a 400 pontos

  • Obtém crédito a uma taxa de juros mais elevada
  • Risco elevado de dar calote
  • Teve o nome sujo ao menos uma vez nos últimos 5 anos

401 a 600 pontos

  • Consegue crédito, mas a uma taxa de juros ainda salgada
  • Risco médio de dar calote
  • Não teve o nome sujo

601 a 900 pontos

  • Tem facilidade em obter crédito e a uma taxa de juros menor
  • Risco baixo de dar calote
  • Não teve o nome sujo

+ de 900 pontos

  • Paga as contas em dia
  • Não teve o nome sujo
  • Chance baixíssima de ficar inadimplente

Cadastro positivo

O que é

Banco de dados com histórico dos consumidores

Quais informações tem?

  • Data em que o empréstimo foi concedido ou a dívida foi emitida
  • Valor do crédito ou dívida

Vantagem

  • Juros menores para quem for considerado bom pagador
  • Identificar consumidores que têm menor chance de não pagar suas contas e conceder juros mais atrativos

Dicas para ajudar a limpar o nome

Renegociação é primeiro passo

Descobrir credor

Com consulta a centrais de crédito, descobrir se está com nome sujo e qual credor

Estudar proposta

Fazer as contas de quanto pode pagar antes de partir para negociação

Procurar credor

Sabendo sua capacidade de pagamento, procure o credor e faça a proposta que cabe no seu bolso

Pagar acordo

Se o acordo for para mais de uma parcela, o pagamento da primeira prestação já fará seu nome ficar limpo

O que melhora o score

  • Pagar as contas em dia
  • Manter as informações atualizadas no banco ou no birô de crédito
  • Ter menos de 30% da renda comprometida com dívidas
  • Cadastro positivo

UM BREVE GUIA SOBRE COMO SE LIVRAR DAS DÍVIDAS

O que piora o score

  • Empréstimos e dívidas atrasados
  • Ter elevado comprometimento da renda com dívidas
  • Estar com o nome sujo
  • Não fazer parte do cadastro positivo

*****

LEIA TAMBÉM:

Bancos prometem liberar crédito para comprar carro em 15 minutos

10 dicas simples para acabar com as dívidas e começar a acumular dinheiro

Como elaborar um planejamento financeiro pessoal incrível em 13 passos

Conheça 7 hábitos benéficos para as finanças pessoais

Caixa suspende crédito mais barato para casa própria, mas BB pode ser opção

*****

Banner convidando para o site do Mobills

Comentários