O Tesouro Direto é um tipo de investimento que apresenta muitas vantagens, principalmente quando comparado à famigerada Caderneta de Poupança.

Entenda o que é e aprenda como investir no Tesouro Direto em 5 passos

Um dos investimentos que ganhou muita força no Brasil nos últimos anos foi o Tesouro Direto.

Ele é um Programa do Tesouro Nacional brasileiro para venda de títulos públicos federais para pessoas físicas e foi desenvolvido em parceria com a antiga BM&F Bovespa, atual Brasil, Bolsa e Balcão (B3).

Criado em 2002, o programa foi pensado para facilitar o acesso aos títulos públicos, permitindo aplicações através da internet a partir de R$ 30,00.

Assim, o Governo consegue atrair investimentos e angariar recursos para financiar diversas de suas atividades.

Além de acessível e de apresentar opções para vários perfis de investidor, o Tesouro Direto oferece boa rentabilidade e liquidez.

Por isso, ele é considerado uma excelente opção para quem quer investir visando um bom planejamento financeiro pessoal sem complicação.

Quer conhecer melhor este tipo de investimento? Continue lendo este artigo até o final e você vai entender:

  • As vantagens dos títulos públicos;
  • Os tipos de títulos disponíveis;
  • Como começar a investir no Tesouro Direto.

Vantagens de investir no Tesouro Direto

Adquirir títulos públicos pode ser bastante vantajoso, pois é um investimento muito seguro, com bom rendimento, liquidez facilitada e baixo risco.

Não à toa o Tesouro Direto vem batendo recorde de inscritos.

Cada vez mais brasileiros querem aproveitar as vantagens deste investimento!

Veja, a seguir, quais são essas vantagens e entenda por quê o Tesouro Direto está em constante crescimento:

Segurança

Os títulos são 100% garantidos pelo Tesouro Nacional, pois o Governo Federal assegura o pagamento.

Após sua aquisição, os títulos são registrados no nome do investidor diretamente na B3, a principal Bolsa de Valores do país.

Além disso, quem gosta de ter o controle sobre seus investimentos pode acessar o site do Tesouro para ter certeza de que tudo anda bem.

O investidor pode verificar diversas informações sobre suas aplicações, checar seu extrato e acompanhar toda movimentação do seu investimento de forma rápida e segura.


Conheça os 5 melhores investimentos para iniciantes


Rentabilidade

O Tesouro Direto consegue aliar o melhor de dois mundos: ótima rentabilidade e baixo custo.

Com títulos prefixados e também com os indexados a indicadores da economia, como a taxa Selic e o IPCA, o investidor consegue realizar lucros interessantes.

Quanto aos custos, existem basicamente dois: a taxa de custódia, que é cobrada pela Bolsa de Valores, obrigatória e de 0,25% ao ano sobre o valor dos títulos, e a taxa de administração cobrada pela instituição financeira escolhida pelo investidor.

Banner convidando para pedir o cartão Méliuz

No entanto, como a taxa de administração não é obrigatória, várias corretoras isentam seus clientes dessa cobrança.

Ademais, caso deixe o dinheiro aplicado por menos de 30 dias, o investidor irá pagar IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Já o Imposto de Renda, é cobrado no vencimento do título, no recebimento de juros semestrais ou em caso de venda antecipada.

Sendo que o percentual varia de acordo com o prazo da aplicação, mas quanto maior o tempo de investimento, menor o valor a ser cobrado, conforme mostrado abaixo.

  • Até 180 dias: 22,5%.
  • Entre 181 e 360 dias: 20%.
  • Entre 361 a 720 dias: 17,5%.
  • Acima de 720 dias: 15%.

De todo modo, não se assuste!

Como eu já expliquei, algumas das taxas citadas são cobradas apenas em determinadas situações.

E, apesar da existência delas, a rentabilidade do Tesouro Direto continua sendo muito interessante, principalmente quando comparada à Caderneta de Poupança, onde infelizmente a imensa maioria dos brasileiros ainda deixa seu dinheiro, o que só faz enriquecer os grandes bancos.

Liquidez

Como será apresentado logo mais, existem diferentes tipos de títulos.

Tanto para quem quer investir no longo prazo quanto para quem quer receber uma renda extra.

Além disso, o investidor pode vender antecipadamente os títulos adquiridos, já que o Tesouro Nacional garante a recompra diária a preço de mercado.

O investidor que quiser vender seus títulos, pode fazê-lo todos os dias úteis, a partir das 18 horas até as 5 horas do dia seguinte.

Nos fins de semana e feriados, esta opção está disponível o dia todo.

A liquidação do título ocorrerá no dia seguinte à sua venda, sendo que nos fins de semana ou feriados a liquidação será realizada no próximo dia útil.


Aprenda a montar sua reserva de emergência e proteja-se de imprevistos financeiros


Baixo risco

Uma das primeiras preocupações do investidor é em relação aos riscos que seu capital corre.

No caso do Tesouro Direto, o risco de crédito, mais conhecido como calote, é muito baixo, pois se o governo não honrar seus compromissos o impacto será bastante expressivo na economia e, no fim, ninguém quer isso.

Também há o risco de mercado, que está associado ao fato do valor dos títulos oscilar diariamente.

Por isso, é muito importante que você compre títulos de acordo com a sua necessidade.

Existem títulos mais indicados para curto prazo e outros para longo prazo.

Dessa maneira, se você compra um título de prazo maior, praticamente só terá um risco de perder dinheiro se precisar resgatá-lo antes da data de vencimento.

Principais características de cada tipo de título

O Tesouro Direto oferece diferentes possibilidades para investir.

Os títulos disponíveis variam de acordo com o preço, o vencimento e o cálculo de rentabilidade.

Porém, eles se dividem basicamente em duas categorias:

Prefixados

Os títulos prefixados são aqueles em que, no momento da aquisição dos papéis, o investidor já sabe exatamente a rentabilidade que irá receber se esperar até o final da aplicação, ou seja, até a data de vencimento do título.

Por terem rentabilidade predefinida, seu rendimento é nominal.

Isso significa que é necessário descontar a inflação para obter o rendimento real da aplicação.

Pós-fixados

Neste caso, os títulos têm seu valor corrigido por um indexador que pode ser a:

– Selic (taxa básica de juros da nossa economia), ou

– IPCA que é um dos índices que mede a inflação.

Assim, a rentabilidade da aplicação é composta por uma taxa predefinida no momento da compra do título mais a variação de um indexador.


Como juntar dinheiro rápido, fácil e até mesmo ganhando pouco!


Conheça agora os principais títulos públicos disponíveis

Tesouro Prefixado (antigo LTN)

No Tesouro Prefixado, o investidor recebe o valor investido acrescido da rentabilidade na data de vencimento.

Se resolver resgatar antes do combinado, o Tesouro Nacional recompra o título pelo seu valor de mercado.

Contudo, o valor pago irá variar de acordo com o preço do título no momento.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (antigo NTN-F)

Esta modalidade é muito indicada para quem quer complementar a renda.

A cada seis meses a categoria faz o pagamento de juros ao investidor, como uma antecipação da rentabilidade contratada.

Ou seja, ao contrário da primeira opção, o investidor recebe a rentabilidade do investimento, com incidência de Imposto de Renda, a cada semestre de aplicação.

Tesouro Selic (antigo LFT)

Esta modalidade é pós-fixada e normalmente é bastante contratada por quem busca realizar lucros com a alta da taxa de juros.

No entanto, também é muito indicada para quem tem perfil mais conservador ou por quem não tem certeza da data de resgate, já que o valor de mercado deste título varia menos.


Como investir no Tesouro Selic na prática: 5 passos simples


 

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (antigo NTN-B)

Este título oferece rentabilidade acima da inflação, isso porque é composto por uma taxa de juros prefixada e também pela variação da inflação (IPCA).

Com isso, mesmo que a inflação oscile, o investidor vai ter uma rentabilidade total do título sempre acima dela.

Esta categoria também oferece pagamentos semestrais com incidência de Imposto de Renda.

Tesouro IPCA+ (antigo NTN-B Principal)

O Tesouro IPCA+ tem disponibilidade para vencimentos mais longos, o que faz com que muitas pessoas invistam nesta modalidade pensando na aposentadoria ou na faculdade dos filhos.

Também oferece rentabilidade acima da inflação pelos mesmos motivos citados no título anterior.

Contudo, o fluxo de pagamento dele é simples.

Portanto, o investidor recebe todo o valor investido, somado à rentabilidade, na data de vencimento ou de resgate.


Ficou interessado em algum dos tipos de títulos mostrados aqui e quer se libertar da poupança pra ganhar mais dinheiro?

Veja agora 5 passos para começar a investir no Tesouro Direto!

Como investir no Tesouro Direto em 5 passos simples

1º passo – Cadastro:

Com CPF e uma conta-corrente, escolha um banco ou uma corretora para fazer o intermédio entre você e o programa levando em consideração as taxas e as facilidades que cada instituição oferece.

Após isso, faça seu cadastro junto à instituição financeira escolhida, fornecendo a documentação exigida.

Finalizado o cadastro, você terá um login para acessar a área de compra e venda de títulos do Tesouro Direto.


Desafio das 52 semanas para poupar dinheiro: veja como fazer e junte até R$ 13.780,00


2º passo – Defina seu Perfil de Investidor:

Como já foi mostrado, existem títulos para as mais diversas necessidades.

Sendo assim, é muito importante saber com clareza seu objetivo financeiro e sua disponibilidade, pois é isso que irá definir qual título é o mais indicado para você.

Você quer saber exatamente quanto receberá no dia de vencimento do título? Ou o mais importante é ter um investimento com rendimento acima da inflação?

Quem sabe suas perspectivas estejam alinhadas com uma rentabilidade próxima à Selic?

No site do Tesouro Direto há um Orientador Financeiro, que pode te ajudar a encontrar uma modalidade de título que se enquadre em suas expectativas.

3º passo – Compre os títulos

Depois de saber o seu perfil e o título que se adequa às suas necessidades, você está pronto para começar a investir de fato.

A compra pode ser feita pelo próprio site do Tesouro Direto, após realizar o cadastro.

Para ajudar o investidor a saber quanto o título escolhido irá render, o site do Tesouro disponibiliza um simulador financeiro, que permite fazer simulações de acordo com o prazo e o dinheiro a ser investido.

4º passo – Acompanhe os resultados

Um investidor inteligente não faz uma aplicação e esquece dela. É interessante acompanhar como vão os seus investimentos!

Esse acompanhamento pode ser feito através do site do Tesouro Direto.

Evite olhar todos os dias, isso pode causar muita ansiedade e fazer você fugir de sua estratégia de investimentos.

Se um outro título parece estar rendendo melhor do que o seu, não migre seu capital para lá.

Não se deixe levar por questões momentâneas, pois no fim das contas isso pode trazer mais perdas do que ganhos.

5º passo – Venda os títulos no período certo

Siga a sua estratégia inicial para vender seus títulos.

Quando a data contratada de vencimento chegar, é hora de desfrutar dos benefícios!

É possível vender os títulos antes do prazo definido, mas você corre o risco de receber menos do que gostaria.

Para evitar resultados insatisfatórios, é importante definir uma data de vencimento que seja condizente com suas metas.

Conclusão

Como você pode perceber no decorrer do texto, o Tesouro Direto é um tipo de investimento que apresenta muitas vantagens, principalmente quando comparado à famigerada Caderneta de Poupança.

Se você ainda insiste em guardar o dinheiro que ganha com tanto esforço na Caderneta, saiba que você literalmente está deixando de ganhar um bom valor a mais (especialmente se considerarmos o longo prazo).

A minha sugestão é que você já transfira hoje mesmo o valor que tem na poupança para o Tesouro Direto.

E passe a estudar mais sobre investimentos para conhecer melhor outros até mais rentáveis, como as ações, que podem multiplicar bastante seu patrimônio, se você investir com consistência e baseado em dados.

Outra sugestão muito bacana é que você use um aplicativo de controle financeiro como o Mobills, pois assim você verá onde pode cortar gastos e conseguirá poupar mais para aumentar os investimentos mensais.

Não deixe para amanhã o que pode começar hoje, tome o controle da sua vida financeira e invista no seu futuro a partir de agora!

P.s.: Gostou do artigo “Entenda o que é e aprenda como investir no Tesouro Direto em 5 passos”? Então, compartilhe com seus amigos e familiares através das redes sociais.

P.s.2: A sua opinião é muito importante para nós! Sendo assim, sugira novos temas, deixe seu comentário.

View this post on Instagram

VOCÊ CAIU NO CONTO DE QUE NÃO VALIA A PENA PAGAR ALUGUEL? ⠀ É muito comum ouvir brasileiros dizerem que pagar aluguel não compensa, já que poderiam estar pagando o financiamento da casa própria, um bem que vai ser seu, um "investimento", enquanto que pagar aluguel é só gastar dinheiro. ⠀ No entanto, quase todo mundo que diz isso não tem maiores conhecimentos sobre matemática e educação financeira, ou melhor ainda, sobre o grande poder dos juros compostos. ⠀ Acredito que com os exemplos numéricos apresentados na imagem ficou mais fácil entender que quem pensa assim está redondamente enganado. ⠀ Se essas pessoas soubessem o poder de economizar, ao invés de financiar, aí sim deixariam de gastar muito mais dinheiro, conseguiriam comprar a casa própria à vista (se realmente fosse necessidade) ou se manteriam investindo e alcançariam a independência financeira bem mais rápido. ⠀ A verdade é que o aluguel é um ótimo negócio se comparado com a compra por meio de financiamento, basta que você tenha disciplina para investir o restante do valor que comporia a parcela. ⠀ Na situação de aluguel você também tem mais mobilidade e possibilidades. ⠀ Considerando um casal jovem, recém-casado e sem filhos, se eles adquirem um imóvel e se fixam ali, ficam desestimulados a oportunidades de mudança em alguma situação na carreira. ⠀ Além disso tudo, a compra de um imóvel é, muitas vezes, a maior feita por uma pessoa ao longo de sua vida. Logo, é fundamental planejar minuciosamente esse passo tão decisivo. ⠀ MARQUE seu amigo ou familiar que está pensando em financiar, não deixe ele cometer esse erro! ⠀ Siga @mobillsedu ⠀ 📲 Ative as notificações!⠀ 💙 Gostou? Deixe seu like e comentário, isso é muito importante para nós. 📌 Se não tem tempo para ler agora, salve este post para ler depois. ⠀ #mobillsedu #dicas #dicasfinanceiras #aprender #rico #riqueza #inteligenciafinanceira #mentemilionaria #planejamentofinanceiro #educacaofinanceira #imovel #casa #financiamento #aluguel

A post shared by Mobills Educação Financeira (@mobillsedu) on


LEIA TAMBÉM:

15 despesas mensais para cortar e economizar dinheiro


Banner convidando para o Mobills

Postado em: Investimentos


Escrito por Victor Leitão

Victor Leitão, Líder de Conteúdo e SEO na Mobills. Consultor financeiro pessoal. Pesquisador incansável dos temas educação financeira e finanças pessoais. Formado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará.


Hey, o que você achou desse conteúdo?

4
Deixe um comentário

avatar
2 Tópicos de comentários
2 Respostas do tópico
0 Seguidores
 
Comentários mais recentes
Tópico de comentários mais quente
3 Comentários do autor
Victor LeitãoRodrigoValter p felix Comentários recentes do autor
  Inscreva-se  
mais novos mais antigos mais votados
Notificar de
Valter p felix
Visitante
Valter p felix

Legal gostei bem apresentado

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Excelente… Parabéns por duplicarem esses conhecimentos.

Junte-se a mais de 239.950 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

logo-mobills-app

Baixe agora para o seu dispositivo

logo-mobills-app
logo-mobills-app
logo-mobills-app