Como investir em ações e quais erros você não pode cometer!

O que são ações?

Uma ação representa a menor parcela em que se divide o capital de uma empresa organizada em forma de sociedade anônima (S.A.).

Ao ter suas ações na bolsa de valores, a empresa passa a ter valor oscilante, para mais ou para menos, de acordo, dentre outros fatores, com a oferta e a procura.

Investimento em ações

Investir em ações é como se tornar sócio da empresa, participando dos lucros e dividendos da corporação, além da valorização do preço de suas ações.

Se, por exemplo, a empresa enfrentar dificuldades em sua lucratividade, seu retorno também será impactado e fará com que o valor das ações diminua.

Por que investir em ações?

Investir na bolsa é uma oportunidade para se proteger contra o aumento da inflação e alcançar maiores retornos, se compararmos com títulos e propriedade.

Esta é uma coisa que você quer fazer (principalmente por causa do momento fraco da renda fixa), mas não está certo por onde começar?

Este post é para você. Confira até o final!

Vamos mostrar 8 pontos fundamentais para quem quer saber como investir em ações e também os principais erros que você não pode cometer.



Como investir em ações: 8 pontos essenciais

1. Conheça o mercado de ações

Conhecimento é uma das partes mais importantes quando se decide investir em ações na bolsa.

Os filmes retratam este tipo de investimento como uma montanha-russa extrema, onde fortunas são ganhas e perdidas a cada instante.

No entanto, na realidade, este não é o caso.

Sim, o mercado de ações tem altos e baixos, e está envolto em riscos.

Acontece, que se você conhecer o mercado e fizer boas pesquisas, será capaz de fazer investimentos mais seguros.

2. Flutuação de mercado

Um aspecto importante ao se decidir por investir em ações é saber que os seus preços flutuam para cima e para baixo.

Porém, quanto maior a duração do investimento, maiores as chances de ganho de capital.


Veja onde investir 5 mil reais e ter uma boa rentabilidade


3. Busque informações

Com o crescimento do acesso à internet, está cada vez mais fácil buscar e conseguir informações qualificadas.

É importante que você se informe ao máximo antes de se decidir por algum aporte.

Alguns sites como o da B3, antigo BM&F BOVESPA, são extremamente úteis para acompanhar as cotações.

Jornais e revistas também são importantes ferramentas para saber sobre o desempenho do mercado e da economia.

4. Escolha uma corretora

As ações são comercializadas através das corretoras, e não são difíceis de serem encontradas no mercado.

Para começar as suas operações é necessário que você abra uma conta em um desses locais.

De forma que você consiga fazer as suas transações através de DOC’s ou TED’s.

Caso uma corretora “quebre”, o único dinheiro que você perde é o que está custodiado por eles, pois, os títulos, ou seja, os “pedacinhos” de empresa que você está comprando esperando que dê lucro, ficam assegurados como sua propriedade.


Saiba quais são as 10 melhores corretoras de valores do Brasil


5. Negocie seus títulos

Já há algum tempo que a compra dos títulos em épocas em que as perspectivas de valorização são boas, e a venda destes no intuito de obter lucro, podem ser feitas através da internet com o chamado “Home Broker“.

Através do código fornecido pela corretora, por meio do respectivo site, é possível:

  • Acompanhar gráficos;
  • Verificar a possibilidade de venda e compra imediata;
  • E diversas outras informações que auxiliarão na sua decisão.

6. Tenha uma abordagem de investimento disciplinada

A volatilidade nos mercados faz com que os investidores percam dinheiro.

No entanto, os investidores que colocam dinheiro sistematicamente, nas ações certas e fazem investimentos pacientemente demonstram resultados melhores.

Por isso, é prudente ter paciência e seguir uma abordagem de investimento disciplinada.

Além de manter um quadro amplo, diversificado e de longo prazo em mente.


Como ter disciplina e ficar muito mais próximo de atingir seus objetivos


7. Invista qualquer quantidade

É possível que mesmo valores pequenos sejam investidos em diferentes modalidades de ações.

A mais comum e mais procurada por quem está começando são os chamados “fundos”, que são um meio mais seguro para quem ainda não compreende bem o mercado e deseja começar a investir já.

8. Compare as corretoras

Assim como qualquer outro produto ou serviço que você esteja pesquisando, é importante que antes de começar a investir, você faça uma comparação entre as corretoras.

Os valores de comissões e taxas de administração praticadas no mercado divergem de uma empresa para outra.

O mercado de ações é algo que exige cautela e o máximo de informações sobre as modalidades disponíveis.


Easynvest: tudo que você precisa saber sobre essa corretora


Como investir em ações: 10 erros para não cometer

Vender quando o mercado está em queda, ter pressa para ganhar dinheiro ou comprar quando a Bolsa está em alta.

Esses são alguns dos principais erros de quem começa a investir em ações.

Quem investe na Bolsa de Valores sem o devido preparo, age como aquela pessoa que fica olhando todo mundo se divertir na balada e só resolve entrar às 5 da manhã.

Ou seja, chega no fim da festa e, provavelmente, ainda vai pagar a conta.

Por isso, antes de colocar dinheiro na renda variável, o investidor deve se informar sobre o funcionamento do mercado de ações e utilizar simuladores para entender as oscilações da Bolsa.

Outro fator importante, é começar aplicando pouquíssimo dinheiro – “1% da renda disponível para investimentos, no máximo”, para sentir como é ganhar e perder.

O aumento da exposição à renda variável deve ser gradual.

Ademais, o investidor também deve estabelecer limites de perda e de ganho para comprar e vender as ações, obedecendo a esses limites com disciplina.

Contudo, para definir limites, é preciso aprender a analisar ações e você pode fazer isso basicamente de duas maneiras.


Onde investir 10 mil reais e aumentar seu patrimônio


Como analisar ações

A primeira é através do modelo da análise gráfica ou técnica, no qual vai verificar, por meio de gráficos, quais os momentos mais adequados para comprar e vender os papéis.

A segunda é através da análise fundamentalista, onde você estuda os balanços das empresas e seus fundamentos econômicos.

No entanto, independentemente do tipo de análise que você prefira, é essencial saber quais são os 10 principais erros de quem investe em ações.

Por quê?

Simples, ao conhecer essas falhas antes de iniciar os investimentos, você reduzirá as chances de perder dinheiro.

E, em contrapartida, aumentará bastante suas possibilidades de ganho.

Sem mais delongas, confere aí os 10 maiores erros!

1. Não definir uma metodologia de investimentos

Sem uma metodologia de investimentos, o investidor opera de forma aleatória.

Ele se deixa influenciar por qualquer notícia, se baseia apenas em dicas de outros e normalmente, compra e vende sob pressão, o que costuma gerar prejuízos.

Sendo assim, antes de investir, é preciso ter um plano de operação e definir a estratégia para que você consiga atingir seus objetivos financeiros.


O passo a passo para construir seu plano de investimentos


2. Otimismo exagerado

Investir em ações exige conhecimento e prudência, você não pode se basear na crença de que “no fim, tudo dá certo”.

Operações com alto grau de risco podem corroer todo o patrimônio do investidor e ainda deixá-lo endividado.

Então, tenha muito cuidado com o otimismo exagerado.

3. Falta de disciplina

Estabelecer limites de perda e de ganho (conhecidos como ‘stop’) e obedecer a estes parâmetros é essencial para operar no mercado de ações.

Como já mencionei no tópico anterior, o investidor não pode se deixar contagiar pelo otimismo nem se desesperar com quedas eventuais.

Até porque, isso acontece com muita frequência nesse mercado.

Banner convidando para o Mobills

4. Pressa de ganhar dinheiro

É recomendável conhecer o mercado antes de investir e começar com pouco dinheiro.

A pressa de ganhar dinheiro faz com que a pessoa arrisque mais do que deve, o que pode resultar em grandes perdas.


Quer aprender como juntar dinheiro rápido, fácil e até mesmo ganhando pouco? Veja 15 dicas indispensáveis!


5. Vender na baixa

O desespero causado por se pensar que vai perder dinheiro demais leva os investidores iniciantes a vender o papel.

Porém, os investidores mais experientes preferem comprar as ações quando elas estão com preço mais baixo.

De todo modo, o ideal é que você sempre estabeleça o limite de perda ou de ganho, o qual deverá ser obedecido para evitar essa situação e a consequente perda de dinheiro.

6. Comprar na alta

Nesse caso, o investidor só tem segurança de comprar a ação após várias altas consecutivas.

Contudo, geralmente, essa é a hora em que os grandes investidores já começam a vender o papel para embolsar os lucros.

7. Excesso de informação

É fato que o investidor precisa buscar informações em todas as fontes disponíveis, mas deve tomar cuidado para não ficar confuso.

Notícias são para enriquecer a cultura e o conhecimento, mas as decisões de investimentos devem ser baseadas na análise dos papéis.


25 livros para ler se você quiser se tornar rico


8. Ganância em excesso

Sempre vale lembrar que quanto maior a possibilidade de ganho, maior o risco do investimento.

Nessa situação de ganância em excesso, o investidor compromete não apenas o seu patrimônio mas também se endivida para conseguir realizar a operação.

Isso pode levar o investidor a perder tudo e ainda ficar devendo.

9. Não ser objetivo ao analisar as tendências

Em alguns casos, o investidor inexperiente que está com uma ação com forte tendência de baixa tende a ignorar as notícias ruins e dar crédito apenas às boas, tentando justificar seu investimento.

O remédio contra isso é definir uma estratégia prévia.

Não se esqueça: no mundo de investimentos em ações, você tem que agir objetivamente, foco na razão.

10. Falta de humildade

Um bom exemplo disso é aquele investidor que leu dois livros de análise de ações, ganhou dinheiro com meia dúzia de operações e acha que já pode aplicar todo o capital na Bolsa.

Se esse é o seu caso, vale repensar seu ponto de vista, o mercado de ações exige estudo constante e cautela.

Conclusão

Se você leu o texto com atenção, deve ter percebido que entender como investir em ações não é algo tão complexo.

Basicamente, ao decidir comprar as ações você está confiando que uma empresa tem potencial de crescimento e que por isso quer se tornar sócio dela, para lucrar com a valorização.

Os pontos-chave para que o seu investimento em ações seja bem-sucedido são: o estudo do mercado, abordagem disciplinada e foco no longo prazo.

Esses 3 fatores são muito mais importantes do que a quantidade de dinheiro que você tem disponível para investir.

Contudo, o ideal é que você se organize financeiramente (o Mobills te ajuda com isso!), para que possa ter condições de separar um dinheiro mensalmente para investir e ficar mais próximo dos seus objetivos financeiros.

Ah, e vale destacar também que você tem que ficar muito atento para não incorrer nos 10 maiores erros de quem quer começar a investir em ações.

P.s.: Gostou do artigo Como investir em ações em 8 etapas simples? Compartilhe nas suas redes sociais e ajude a melhorar a educação financeira dos brasileiros.

P.s.2: A sua opinião é muito importante para nós! Então, sugira novos temas, deixe seu comentário.

View this post on Instagram

VOCÊ já deve ter lido, muitas vezes, no nosso perfil ou em outros de educação financeira, as referências de tempo que utilizamos, como curto e longo prazo. ⠀ Em economia, o curto prazo é o período no qual todos os fatores de produção que possuímos são fixos. Logo, no longo prazo poderemos modificar os nossos fatores como forma de maximizar e otimizar nossa produção. ⠀ Já no mundo dos investimentos, quando falamos de tempo, temos também como base os nossos objetivos, com o diferencial de que é o período em que esperamos cumprir determinadas metas financeiras. ⠀ Você pensa no curto prazo, quando seus objetivos financeiros possuem prazo de conclusão de até 2 anos. Nesse caso, investimentos como o Tesouro Selic, Fundos DI e CDB com baixo prazo de vencimento são mais recomendados para montar uma reserva de emergência, por exemplo. ⠀ Fundos de investimento de 2 a 5 anos podem ser considerados investimentos de médio prazo. No longo prazo, seus objetivos financeiros são trabalhados com uma projeção superior a 5 anos. Aqui, você pode investir em renda variável, como ações e debêntures, para aqueles que desejam diversificar sua carteira e estão cientes do risco envolvido nesses investimentos. ⠀ A sua liberdade financeira deve ser sua principal meta de investimento e o ideal é que você escolha seus investimentos de acordo com o período esperado para realizar seus objetivos. ⠀ Quais os seus OBJETIVOS FINANCEIROS? ⠀ Siga @mobillsedu e @mobillsapp ⠀ 👉Se inscreva na nossa lista VIP do nosso curso PLANEJAMENTO FINANCEIRO NA PRÁTICA e garanta 50% de desconto já na inscrição, entre outros benefícios. LINK NA BIO. 😎 Marque um amigo para ver esse post. ❤ Se gostou, deixe seu like e comentário, isso é muito importante para nós. ⠀ #mobillsedu #aprendizmb #educaçãofinanceira #dinheiro #prosperidadefinanceira #inteligenciafinanceira #financas #financaspessoais #dicasfinanceiras #controlefinceiro #rico #riqueza #economizar #investimentos #bolsadevalores

A post shared by Mobills Educação Financeira (@mobillsedu) on


LEIA TAMBÉM:

5 vantagens de investir em ações