Como fazer controle financeiro em viagens? Entenda aqui!

Banner convidando para o site do Mobills

Viajar nas férias deve ser um momento de descanso e relaxamento, além de uma ótima maneira de preparar você para o retorno ao trabalho e à correria intensa da vida real. Mas para que isso realmente aconteça, é preciso um bom controle financeiro que não comprometa as suas economias no fim das férias e cause todo um estresse desnecessário.

Por isso, não deixe de fazer um planejamento bem elaborado antes de se aventurar pelo mundo afora. A seguir, daremos cinco dicas úteis que vão ajudá-lo a realizar o desejo de se tornar um viajante, sem que os gastos acabem pesando no seu orçamento pessoal.

Saiba como fazer controle financeiro em viagens

1. Planeje tudo com antecedência

As férias podem ser só daqui a um ano, mas, se você já decidiu que pretende aproveitá-las viajando, a hora de começar o planejamento é agora.

Essa, aliás, é a regra de ouro para quem quer se tornar um viajante e não falir na volta para casa: quanto antes começar o processo de decidir, organizar, comprar as passagens, reservar o hotel, definir os passeios e trocar a moeda, se for o caso, mais conseguirá economizar.

E os motivos para isso são muito simples. As promoções de passagens oferecidas pelas empresas aéreas, por exemplo, costumam envolver datas a longo prazo. Quanto mais cedo você decidir o local, mais descontos poderá receber e mais tempo para comparar preços entre concorrentes você terá. Se você viaja com frequência, já sabe: as passagens aéreas estão entre os maiores gastos de uma trip.

O mesmo acontece com os outros gastos fixos: é melhor optar por um hotel ou alugar um imóvel durante os dias de estadia? Andar de ônibus e táxi ou alugar um carro? Comer fora todos os dias ou comprar produtos no mercado e preparar as refeições do dia em casa?

Com antecedência, é possível avaliar com paciência e sem pressa cada um desses detalhes. Fique também de olho nas trocas de milhas, caso você seja usuário de cartões de crédito. A passagem aérea, a hospedagem e até o aluguel de um carro podem ser financiados com esse tipo de pagamento.

2. Escolha a melhor data

A data da viagem é um detalhe extremamente importante se a sua ideia envolve não fugir de economizar. A lição número 1: se for possível, procure agendar suas férias para os meses de baixa temporada (março a junho e agosto a novembro).

Viajar em um período bem distante das férias escolares pode se transformar em uma maneira e tanto de poupar. Em geral, os destinos mais procurados costumam elevar — e muito — o preço de tudo que envolve turismo durante os meses de maior procura. O contrário acontece com os períodos com menos turistas; é aí que tudo fica mais em conta.

Porém, não esqueça que a melhor época para viajar não é sempre a mesma: ela varia bastante e depende muito do destino que você escolheu. Se a viagem será para uma praia, por exemplo, pesquise a respeito dos períodos chuvosos.

Mas caso o seu objetivo seja uma viagem cultural, veja quando é a melhor época para conhecer determinada cidade, pois os eventos que acontecem por lá podem ser determinantes para você, caso esteja interessado em viver uma experiência mais erudita.

Leia mais:

Como se preparar para uma viagem de férias

5 dicas para viajar gastando pouco

Como economizar na viagem de férias

3. Saiba o momento de optar pelo melhor destino

O lugar para onde você decide viajar pode ou não ajudar a comprometer as suas finanças. E a regra para isso não é fixa: basta observar o momento econômico pelo qual o país está passando.

O dólar está alto e tudo está caro? É melhor escolher um destino mais em conta, dentro do Brasil, ou então algum país da América Latina que tenha a moeda desvalorizada em relação ao real. Mas se o dólar alcançou uma média boa, e há boas perspectivas dos especialistas e economistas para os próximos meses, talvez seja hora de começar a pensar no tão sonhado destino internacional.

É bom ficar atento a uma questão importante aqui: como o planejamento deve ser feito com antecedência, muitas vezes fica difícil prever como a valorização da moeda vai se comportar até a data efetiva da viagem. Então, a dica é ficar diariamente de olho nas cotações e comprar dólar (ou euro, dependendo do destino que você escolheu) aos poucos. Não deixe nunca para a última hora!

4. Faça as contas de quanto a viagem vai custar

Assim que você decidir viajar e escolher o destino, comece a fazer as contas de todos os gastos que terá: os fixos (passagens, hotel, alimentação e passeios obrigatórios, por exemplo) e os variáveis (as compras que fará lá, as lembrancinhas, os gastos que estão fora dos planos).

Se você não sabe por onde começar, a tecnologia pode ajudar nesse momento. Há aplicativos de finanças pessoais que ajudam a calcular as principais despesas e fazer o planejamento financeiro o mais detalhado possível — sem que você esqueça nada, nem comprometa o que não deve. É o caso do Mobills.

Ao ter uma ideia do valor mínimo que a viagem custará, decida o teto máximo que pretende levar e não fuja dessa decisão. Isso evitará os excessos e os descontroles na hora H e impedirá que você acabe abusando do cartão de crédito, ou faça saques em dinheiro além da conta.

Lembre-se que esse tipo de pagamento incide em cobranças de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), e você sairá perdendo. Portanto, opte sempre por levar dinheiro do Brasil (tanto em reais, para trocar lá, ou na moeda correspondente ao país de destino), pois a economia pode ser muito maior. Tudo é questão de planejamento e organização.

5. Comece a guardar dinheiro e evite mexer nele

Quanto mais antecipado for o planejamento da sua viagem, menos chance de ver suas contas caírem no vermelho. Isso porque há tempo suficiente para se organizar, buscar os melhores descontos e, principalmente, começar a guardar dinheiro para as férias sem interferir na totalidade da sua conta bancária atual.

Ao decidir o quanto pretende gastar, comece a guardar dinheiro para isso. Faça uma espécie de poupança da viagem e vá guardando o suficiente a cada mês, até a data do embarque. Dessa forma, você evitará que a totalidade das suas economias, que estão no banco ou na poupança, seja afetada e continuará contando com o mesmo valor quando retornar para casa.

Mesmo que a sua situação financeira não esteja das melhores, é sempre possível encontrar uma viagem que caiba no seu bolso. Basta um bom controle financeiro e um planejamento bem feito para que você consiga focar na realização desse sonho. Dessa forma, você poderá viajar tranquilo e sem surpresas desagradáveis no retorno para casa.

Curtiu nossas dicas sobre como fazer controle financeiro em viagens? Já planejou sua próxima viagem? Compartilhe conosco!

Banner convidando para o site do Mobills

Gostou do artigo Como fazer controle financeiro em viagens? Entenda aqui! A sua opinião é muito importante para nós! Sugira novos temas, deixe seu comentário.

Comentários