Imposto de Renda: como declarar seus investimentos

Banner convidando para o site do Mobills

Anualmente, uma grande parcela da população deve enviar a declaração do Imposto de Renda à Receita Federal. Essa declaração é muito detalhada e necessita de diferentes tipos de informações. Por isso, muitas vezes aparecem dificuldades na hora de enviá-la.

Informações de diversas áreas da vida devem constar na declaração e seus investimentos não podem ficar de fora.

Os dois primeiros pontos que você deve se atentar é em relação ao ano que você está declarando seus rendimentos e ao prazo para enviar as informações. O Imposto de Renda 2018 é referente ao ano base 2017.

Ou seja, entre os dias 01 de março e 30 de abril de 2018, você irá declarar os rendimentos do ano de 2017. Quem enviar a declaração fora do prazo estará sujeito a uma multa que varia de R$ 165,74 até 20% do imposto devido.

O ideal é organizar todos os documentos e enviar sua declaração o quanto antes, deixar para a última hora pode não ser boa uma ideia.

Para te ajudar na tarefa de envio da declaração, veja abaixo de forma simples como declarar seus investimentos em renda fixa e também aqueles na Bolsa de Valores.

Como declarar seus investimentos no IR 2018

 

Declaração do IRPF para investimentos em renda fixa

Para investimentos em renda fixa, como Certificado de Depósito Bancário (CDB) e Tesouro Direto, o Imposto de Renda é descontado no momento do resgate pela corretora ou banco onde você investiu.

A regra de desconto é baseada na tabela regressiva do IRPF. Desse modo, quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado, menor será o desconto do imposto. Veja a relação de tempo versus percentual de desconto:

  • Alíquota do IR é de 22,5% para investimentos com duração de até 180 dias.
  • Alíquota de 20,0% para o prazo de 181 a 360 dias.
  • Alíquota de 17,5% para investimentos de 361 a 720 dias.
  • Alíquota de 15,0% para investimentos acima de 720 dias.

A instituição que possui a custódia do investimento deve fornecer um informe de rendimentos e é ele que você deverá ter em mãos na hora de fazer a declaração.

A aba em que os títulos devem ser declarados se chama “Bens e Direitos” e é dividida em duas seções: Rendimentos Isentos e Não Tributáveis e Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva / Definitiva.

Isso é necessário porque existem investimentos que são isentos de Imposto de Renda, como a poupança, LCI e LCA, mas que mesmo assim precisam constar em sua declaração.

A outra seção fica para os investimentos que são tributados, como CDB e Tesouro Direto, por exemplo.

Declaração de IRPF para investimentos na Bolsa de Valores

A declaração do Imposto de Renda na Bolsa de Valores é bem diferente do que você acabou de ver na renda fixa. Para esse tipo de investimento, é preciso que, além do envio anual da declaração, haja uma declaração mensal dos lucros obtidos na Bolsa.

Se você faz operações na Bolsa de Valores e obtém lucro no ajuste final do mês, será preciso pagar mensalmente a alíquota sobre o ganho, que é de 15% para operações normais e 20% para Day Trade. Parte do imposto já vem descontado na nota de corretagem e o restante deve ser pago separadamente.

Para isso, basta acessar o site da Receita Federal, gerar um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) e pagar a alíquota. O valor das taxas operacionais podem ser abatidos do lucro e, com isso, o valor do imposto a ser pago será menor.

Esse processo de declaração mensal é muito mais simples do que muita gente imagina. É só reunir as notas de corretagem ao final do mês para saber quanto ganhou. Assim, você pode identificar o lucro líquido e o valor a ser pago, caso não faça parte do grupo isento.

Importante lembrar: investidores com vendas de ações inferiores a R$20 mil estão isentos do imposto. Já em operações com contratos futuros e Day Trade, operações de qualquer valor são tributáveis.

Vale lembrar que o investidor que não fizer sua declaração mensal estará sujeito a juros e multa sobre o valor devido, por isso é preciso ficar muito atento às regras do imposto.

Para declaração anual, a corretora te enviará o informe com tudo que precisará ser declarado, como as ações que continuam em sua carteira e tudo o que já foi declarado durante o ano. Se você se organizar, não terá dificuldades de fazer o ajuste anual.

As operações mensais devem ser declaradas na aba Operações Comuns / Day Trade do sistema de declaração da Receita e as ações deverão ser informadas como bens do contribuinte.

COMO INVESTIR EM AÇÕES EM 8 ETAPAS SIMPLES

Fique de olho no prazo

Viu como declarar o Imposto de Renda dos seus investimentos não é nenhum mistério? Basta entender como é o funcionamento de cada tipo de investimento e, principalmente, procurar entender o processo antes do envio da declaração.

Atente-se para não perder o prazo, ele se encerra na segunda-feira, dia 30 de abril de 2018.  Antes de enviar sua declaração, sempre confira todos os dados com muita calma para evitar erros.

Caso apareça outra dúvida, você pode consultar o “Perguntão” da Receita Federal. Este é um documento que possui respostas às principais dificuldades do contribuintes a respeito do Imposto de Renda.

*****

LEIA TAMBÉM:

Tudo sobre como elaborar a declaração do Imposto de Renda 2018

Imposto de Renda 2018: Veja 8 motivos para não deixar a declaração para a última hora

10 maneiras de pagar menos Imposto de Renda ou aumentar a restituição

Imposto de Renda 2018: quais documentos e arquivos preciso guardar após o envio da declaração?

Como declarar carros no Imposto de Renda 2018

Banner convidando para o site do Mobills

Comentários