Saiba o que significa CDI e como ele pode influenciar seus investimentos

Quem investe ou pensa em investir em renda fixa, se depara constantemente com uma sigla bastante comum: CDI.

Ao investir em títulos como CDB, LCI, LCALetras de Câmbio e Fundos DI a rentabilidade normalmente está atrelada a um percentual da taxa CDI.

A flutuação do CDI impacta diretamente a rentabilidade desses produtos, por isso, é importante entender o funcionamento desse indexador financeiro e todas as suas peculiaridades.

Ficou curioso para entender melhor o CDI? Vamos começar!

O que é CDI?

CDI é a sigla para Certificado de Depósito Interbancário. Na prática, são títulos emitidos por instituições financeiras a partir da transferência de numerários entre elas.

Geralmente essas transferências são de curtíssimo prazo (diárias), apenas para garantir o saldo positivo do caixa das instituições que captam recursos por meio do CDI.

Ou seja, é como se fosse um empréstimo entre instituições financeiras.


Empréstimo online: 5 pontos cruciais para fazer o seu de modo fácil e seguro


Taxa CDI

Quando os bancos realizam a operação de empréstimo interbancário há uma taxa de juros, que é a chamada Taxa CDI ou DI.

Assim, essa taxa reflete quanto os bancos ganham de juros nesse tipo de transação.

A taxa CDI é calculada diariamente pela Cetip (Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos Privados) e com esses valores são calculadas as médias mensais e anuais.

Essas últimas são as responsáveis pelos rendimentos dos títulos atrelados à taxa CDI.

CDB x CDI

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) e o CDI são bem semelhantes, pois ambos funcionam como captadores de recursos para bancos e instituições financeiras.

Entretanto, no caso do CDI, esses títulos podem ser negociados apenas no mercado interbancário, entre instituições financeiras.

Em contrapartida, o CDB pode ser negociado com outros investidores.


CDB e RDB: existe um melhor? Como escolher em qual aplicar?


Investimento em CDI

Como já mencionado, os CDIs só podem ser negociados no mercado interbancário.

Desse modo, pessoas físicas não podem investir diretamente em CDI, apenas nos títulos indexado à taxa CDI, que são: CDB, LCI, LCA, LC e Fundos DI.

Vamos entendê-los melhor?!

CDB

É um título de renda fixa emitido por bancos com o intuito de angariar recursos para financiar suas atividades.

Em outras palavras: é como se você emprestasse dinheiro ao banco e, ao final do prazo combinado, o valor retornasse a você acrescido de juros.

Algo interessante é que esse tipo de investimento pode ser usado como garantia na Bolsa de Valores.

Possibilitando a compra de ações com esse capital e receber ambos os rendimentos.


Como investir em ações e quais erros você não pode cometer!


LCI

Esta sigla significa Letra de Crédito Imobiliário, um tipo de título de Renda Fixa geralmente emitido por bancos.

O grande diferencial deste investimento é que ele só pode ser destinado para financiar as atividades do setor imobiliário.

Por isso, é comum se ouvir que a LCI é lastreada em créditos imobiliários.

Uma vantagem que chama atenção é a isenção de IR.

LCA

A Letra de Crédito Agronegócio também é um investimento de renda fixa, mas a captação é direcionada para financiar as atividades do setor de agronegócio.

Assim como para a LCI, a taxa de rentabilidade e a data de vencimento são definidas no momento da compra.

É igualmente livre de IR.

LC

O funcionamento das Letras de Câmbio é bem parecido com o do Certificado de Depósito Bancário (CDB).

Só que, em vez de emprestar dinheiro para um banco, você estaria emprestando para uma financeira.

São chamadas de financeiras as sociedades de crédito, investimento e financiamento.

Quer exemplos do que são consideradas financeiras? Empresas como Fininvest e Crefisa.

Fundos DI

São fundos compostos por no mínimo 95% de títulos públicos federais do Tesouro Direto (atrelados ao CDI ou Selic) ou títulos privados de baixo risco.

Os outros 5% possivelmente serão alocados em títulos que seguem as regras dos Fundos de Curto Prazo.

É raro encontrar um desses fundos que renda 100% do CDI, principalmente, por causa das taxas de administração dos mesmos.

Outra desvantagem em relação aos quatro outros citados é que o Fundo Garantidor de Crédito não cobre esse tipo de investimento.


Entenda o que é e aprenda como investir no Tesouro Direto em 5 passos


Rendimento do CDI

Você deve estar se perguntando: “Tudo bem, já entendi o que é taxa CDI, mas como calcular um rendimento baseado em CDI?”

Para entender melhor, vamos exemplificar com casos práticos.

A taxa CDI atualmente está cotada em 6,4% ao ano.

Agora, imagine que existem dois produtos disponíveis no mercado: o produto financeiro “A”, que rende 95% do CDI, e o “B”, que rende 110% do CDI.

Assim, para achar os rendimentos dos produtos segundo a taxa DI, basta multiplicar o percentual do rendimento (95% e 110%) pela cotação (6,4%).

Produto “A”

Produto “B”

95% x 6,4% = 6,08% ao ano

110% x 6,4% = 7,04% ao ano

Dessa forma, quanto maior a taxa CDI, maior o rendimento do título atrelado a ela.

Porém, ao decidir por um investimento, deve-se analisar outros custos e condições, como:

  • Imposto de Renda;
  • Taxa de administração;
  • Cobertura pelo FGC;
  • Prazo para resgate.

Enfim, às vezes, o percentual de rendimento é menor, mas por isenção de alguns valores o rendimento líquido acaba sendo maior.


Veja onde investir 5 mil reais e ter uma boa rentabilidade


Quais investimentos pagam mais que o CDI?

Uma boa opção para quem não quer se prender apenas à taxa DI são os títulos do Tesouro Direto, que são emitidos pelo Governo Federal

Por esse motivo, são considerados um dos investimentos mais seguros do mercado.

A bolsa de valores é outra ótima opção, por possuir boas oportunidades de altos retornos.

Não é à toa que esse é o investimento que compõe a maior parte da carteira dos grandes investidores.

Mas calma, não precisa ter muito dinheiro para começar a investir na bolsa, você pode começar devagar, aprender e ir reinvestindo seus ganhos!


5 motivos para investir na Bolsa de Valores e melhorar seus rendimentos


Selic e Taxa CDI

A taxa CDI e a Selic andam sempre juntas.

A Selic é taxa básica de juros da economia. Dentre outras funções, ela é usada como base para o empréstimo de bancos e pessoas físicas ao Governo Federal (Títulos Públicos).

Assim, se a taxa CDI for muito menor que a Selic, os bancos irão preferir emprestar para o governo, gerando um desequilíbrio no sistema financeiro.

Em contrapartida, se a taxa CDI for muito maior que a Selic, a rentabilidade dos títulos que são indexados ao CDI subirá muito, o que também não é interessante para os bancos.

Como assim? Vamos dar um exemplo para facilitar a compreensão!

Se a Selic estivesse a 10% e a taxa CDI 9%, um banco tomaria dinheiro emprestado à taxa de 9% e investiria em títulos atreladas à Selic, ganhando 1% nessa operação.

Logo, se as taxas não forem próximas, haverá um movimento de maior interesse no investimento com a maior taxa, gerando liquidez apenas para os títulos públicos (Selic) ou para o CDI.

Quem regula os movimentos dessas taxas é o mercado interbancário, pela ação direta dos bancos, que ao verem uma oportunidade de ganho na diferença das taxas, realizam operações fazendo com que elas se reequilibrem.

Desse modo, se a taxa Selic está em alta, os bancos aumentam o valor do Depósito Interbancário, fazendo com que a taxa DI acompanhe o movimento e suba também.

Se a taxa Selic sofre uma queda, os bancos diminuem o valor cobrado pelo Depósito Interbancário. Assim, a taxa DI é pressionada para baixo e também cai.


Banco Inter: saiba tudo sobre um dos melhores bancos digitais do Brasil


Diferenças entre taxa DI e Selic

Mesmo tendo uma relação próxima, alguns motivos explicam o fato da taxa DI ser a escolhida para indexar alguns títulos de renda fixa ao invés da Selic, como:

  • O CDI está intimamente ligado à realidade do mercado, já que é um índice baseado em transações diárias no mercado interbancário
  • Enquanto a taxa DI tem atualização diária, a Selic é atualizada a cada 45 dias.
  • A taxa Selic é determinada por um comitê ligado ao Banco Central, já a taxa DI reflete operações de mercado.

Qual a importância do CDI?

Já vimos como esse indexador influencia vários investimentos, mas por quê?

Bem, pela regra de Basileia, os caixas de instituições financeiras precisam fechar com saldo positivo diariamente.

Isto é, se o banco abre o caixa com, por exemplo, R$ X, ele deve terminar o dia com pelo menos R$ X+1.

Dessa maneira, os agentes que receberam mais depósitos que transferências estão aptos a emprestar numerários aos que apresentaram a situação inversa.

Por ser uma operação praticamente “livre de risco”, a taxa da operação passou a ser usada como referência no mercado financeiro como um todo.

Por isso, ela deve ser considerada a rentabilidade mínima aceitável para uma negociação que envolva riscos.

A lógica é simples.

Já que é possível ganhar dinheiro com liquidez e segurança com risco quase zero, qual seria o motivo de investir em um produto com risco maior sem garantir no minimo a mesma rentabilidade?


Como ganhar dinheiro extra? Veja 27 maneiras comprovadas!


CDI hoje

Para saber qual é a taxa DI hoje, basta verificar os indexadores financeiros na página inicial do nosso blog (logo após os 5 artigos do topo) ou acessar o site da Cetip e conferir. 

Atualmente, a taxa CDI é de 6,4% ao ano.

CDI Mensal

É calculado pela média das taxas de CDI diário. 

Todos os empréstimos interbancários são computados pela Cetip diariamente, os quais geram uma média ponderada, cuja porcentagem é a referência diária do CDI.

Como vimos, a taxa DI é sempre expressa em termos anuais, mas é possível transformá-la em uma média do CDI Mensal ao dividir o valor da DI acumulada por 12 meses.

Vale lembrar que esse valor é estimado, já que a taxa CDI é variável mês a mês.

CDI Acumulado

A metodologia de cálculo do CDI é relativamente (para não dizer bastante) complexa.

Porém, se você tiver interesse, pode acessar aqui e ver os detalhes de como se chega ao valor da DI acumulada.

Histórico do CDI

Veja um breve histórico do CDI dos últimos 4 anos no quadro abaixo.

Taxa CDI hoje – mensal e anual (%)

Mês/ Ano

2019

20182017

2016

Janeiro 

0,540,581,04

1,05

Fevereiro 

0,490,460,86

1,00

Março 

0,470,531,00

1,16

Abril 

0,520,520,79

1,05

Maio 

0,540,520,88

1,11

Junho 

0,520,77

1,16

Julho 

0,540,76

1,11

Agosto 

0,570,77

1,21

Setembro 

0,470,64

1,11

Outubro 

0,540,64

1,05

Novembro 

0,490,57

1,04

Dezembro 

0,490,54

1,12

Acumulado

6,429,93

14,00

Para entender melhor o quadro, é importante ter em mente que há uma taxa chamada CDI Over que representa uma média das taxas diárias dos empréstimos interbancários.

Dessa forma, a taxa CDI ou DI usada pelo mercado financeiro para indexar a rentabilidade dos investimentos é obtida através da conversão do CDI Over diário em uma taxa anual.

Calculadora CDI

O Bacen oferece uma calculadora gratuita para simulação de correção de valores pelo CDI, entretanto, não é possível realizar projeções futuras, apenas simular datas até o dia atual.

A B3 também oferece uma ferramenta de cálculo, que pode ser usada de forma limitada, por existir a possibilidade de assinar para uso livre. Confira.

Há outras inúmeras calculadoras na internet com os mais variados índices. Trouxemos essas duas como exemplos.

Conclusão

Creio que agora você conseguiu entender melhor essa sigla que faz parte do dia a dia dos investidores e é tão comumente utilizada no mundo dos investimentos.

Depois desse passeio pelos vários aspectos do CDI, o que falta para começar a investir (principalmente, nos títulos atrelados a ele)? 

Se o problema for dinheiro, podemos te ajudar!

Ao organizar suas finanças com o Mobills, você conseguirá poupar muito mais e, se ainda não tem, em breve terá valores disponíveis no orçamento para iniciar seus investimentos!

Não perca mais tempo (que, na verdade, é dinheiro), comece o mais rápido possível a garantir sua liberdade financeira.

View this post on Instagram

JÁ OUVIU FALAR DOS INDEXADORES FINANCEIROS? ⠀ Para você consumidor, que investe ou que VAI COMEÇAR A INVESTIR, é muito importante conhecer os principais tipos de índices econômicos e as diferenças entre eles. ⠀ No Brasil, os indexadores mais comuns são o IPCA, a taxa Selic, o CDI e o IGP-M. ⠀ QUAL A DIFERENÇA? ⠀ – IPCA: O Índice de Preços ao Consumidor Amplo é o índice oficial da inflação no Brasil, capaz de avaliar perdas no poder de compra do consumidor. Títulos corrigidos pelo IPCA permitem ao investidor manter seu poder de compra ao longo do tempo, se protegendo da variação da inflação neste período; ⠀ – Taxa Selic: A Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) é a taxa básica de juros da economia, ou seja, ela regula todas as outras taxas de juros do país, e está ligada a investimentos do Tesouro Nacional. Além disso, é o principal instrumento utilizado pelo Banco Central para controlar a inflação; ⠀ – CDI: O Certificado de Depósito Interbancário trata-se de uma taxa cobrada nas operações interbancárias (entre bancos). O CDI é uma referência para as várias modalidades de investimento de renda fixa, que buscam superá-lo ou pelo menos ficarem iguais a ele. Por isso, pode-se dizer que é a "rentabilidade mínima" esperada de qualquer investimento; ⠀ – IGP-M : o Índice Geral de Preços do Mercado é similar ao IPCA, porém, se concentra no mercado imobiliário. ⠀ Entre outros, estes são os principais responsáveis por definir a rentabilidade dos seus investimentos. ⠀ Qual desses indexadores você já conhecia? ⠀ MARCA UM AMIGO, familiar ou o @ para aprender sobre investimentos aqui na nossa página. ⠀ 💙 Se gostou, deixe seu like e comentário, isso é muito importante para nós. ⠀ #mobillsedu #planejamentofinanceiro #controlefinanceiro #financaspessoais #educacaofinanceira #tesourodireto #cdi #ipca #rico #investir #inteligenciafinanceira #liberdadefinanceira #decisoesfinanceiras #dinheiro #financas #investimentos #investimento #cdi #selic

A post shared by Mobills Educação Financeira (@mobillsedu) on


LEIA TAMBÉM:

Liberdade financeira: saiba como trilhar essa jornada