Aprenda a investir na Bolsa de Valores em 7 passos

Banner convidando para o site do Mobills

No Brasil, a cultura de investimento em bolsa de valores ainda está engatinhando e um dos principais motivos para isso acontecer é o fato de que as pessoas não sabem como investir na bolsa de valores com pouco dinheiro.

Pensando nisso, elaboramos um guia com os principais pontos que farão com que você consiga investir na Bolsa de Valores e ganhar no mercado de ações mesmo que ainda não tenha muito dinheiro guardado.

7 passos para investir na Bolsa de Valores

1. Estabeleça um Objetivo

As primeiras perguntas que você deve se fazer são “o que quero fazer com o dinheiro investido” e “quanto tempo tenho para que ele renda”?

Crie um nome para o seu investimento: “minha aposentadoria”, “meu carro novo”, “meu apartamento”, “a viagem que sempre planejei”, “os estudos do meu filho”; escolha algo que seja realmente importante para você.

2. Tipos de investimento

2.1. Compra direta de Ações

Nessa modalidade, você escolhe as ações que deseja comprar e transmite a ordem para a corretora. Comprar ações significa ter “pedaços” de uma empresa e se tornar sócio dela.

Características:

– Você não divide os riscos do seu investimento, mas também não divide os ganhos;

– Gera dividendos (parcela do lucro da empresa distribuída entre os acionistas);

– Você pode comprar ou vender quantas e quais ações quiser, quando quiser.

2.2. Fundos de Índices – ETFs

São fundos que buscam obter o retorno de índices, que representam os desempenhos de determinados setores de mercado, com cotas que você compra na Bolsa.

Características:

– Investir em conjuntos de ações diversifica seu investimento, reduzindo os riscos;

– O investimento inicial pode ser pequeno (menos de R$ 200,00, em alguns ETFs);

– Dividendos são automaticamente reaplicados no próprio ETF, fazendo-o crescer;

– Você pode comprar ou vender suas cotas de ETF como se fossem ações.

2.3. Fundo de Investimento em Ações

O investidor de um fundo de investimento compra cotas de um fundo de ações, administrado por um Banco ou uma Corretora.

Características:

– É uma forma cômoda de investir, pois o cliente em si não faz qualquer negociação;

– O cliente não está adquirindo ações, mas sim cotas de um Fundo;

– Escolha: você deve pesquisar e comparar a rentabilidade e as taxas dos fundos;

– É possível investir em fundos por meio do seu Banco ou Corretora.

2.4. Clubes de Investimento

Clubes são grupos de pessoas que se unem para investir. Ganhos e perdas são divididos proporcionalmente entre os membros de acordo com o quanto investiram.

Características:

– Recursos somados e custos divididos deixam o investimento na Bolsa mais acessível;

– Todos os membros podem opinar e contribuir nas assembleias do Clube;

– Investidores podem reunir-se para diversificar ainda mais seus investimentos;

– Todos os Clubes de Investimento têm representantes e estatutos sociais.

3. Escolha a melhor Corretora de acordo com o seu perfil

A principal função das Corretoras é a intermediação dos investimentos, ou seja, é através delas que você realizará a compra e a venda dos títulos e valores mobiliários, isso significa que ela é a facilitadora que permitirá o seu acesso seguro e sempre amparado por um profissional no momento de realizar os seus investimentos.

Funções da corretora

– Define com você o seu perfil de investidor;

– Ajuda você a escolher as ações, de acordo com o seu objetivo financeiro;

– Dá o suporte necessário para entender o funcionamento da Bolsa;

– Fornece serviços facilitadores como o home broker (investimento via Internet), relatórios de recomendação de ações, informativos, etc.;

– Avisa sobre novos produtos no mercado, garantindo a diversificação dos seus investimentos;

– Assessoria constante de especialistas que estão sempre atentos ao mercado;

– Informa sobre o recebimento de dividendos e outros bônus que as empresas pagam aos acionistas.

Como escolher a melhor corretora

  1. Antes de tudo, comece um esboço do perfil que você criará junto com a Corretora:

– Decida qual é, para você, a melhor forma de interagir com a corretora (telefone, internet, etc.);

– Consulte seus gastos, custos e investimentos atuais e escolha o quanto você vai investir;

– Tendo em mente os fatores acima e o tempo disponível no seu dia a dia, decida com qual frequência você fará novos investimentos.

  1. Entre em contato com uma corretora. O site da BM&FBOVESPA traz uma lista com as principais corretoras do Brasil.
  2. Pergunte quais são os serviços que a corretora oferece. Cursos, vídeos, relatórios e outras facilidades são alguns exemplos.
  3. Consulte o valor da taxa de corretagem. Este valor varia entre corretoras, portanto cabe a você decidir qual o peso deste custo em comparação aos benefícios oferecidos.
  4. Pesquise e compare taxas, serviços e benefícios; investir um pouco de tempo nessa atividade o ajudará a encontrar a corretora ideal para você.

4. Abra sua conta

Para contratar a Corretora, você deverá fazer um cadastro (semelhante à abertura de uma conta em um banco) e entregar alguns documentos:

– Cópia do CPF, RG e Comprovante de Residência.

– Preencher a Ficha Cadastral.

– Assinar o Termo de Adesão e Contrato de intermediação.

5. Taxas

5.1. Taxa de custódia (serviço de guarda das ações)

É o valor mensal cobrado pela guarda das ações pela Bolsa e pelos serviços oferecidos pela Corretora. A taxa de custódia varia entre corretoras, podendo até ser gratuita.

5.2. Taxa de corretagem

Valor cobrado pelas corretoras pelo acesso ao mercado. Dependendo da corretora, pode ser uma porcentagem da operação realizada ou um valor fixo.

5.3. Imposto de Renda

Como regra geral, o IR sobre ganhos com ações é de 15%. Caso o investidor venda menos que R$20.000,00 em ações num determinado mês, seus ganhos deste período serão isentos. Converse com sua corretora sobre os detalhes da taxação e declaração de seus investimentos.

Observação: Não existe um valor mínimo para investir em ações, cabe a você fazer as contas para saber se a taxa cobrada vai pesar no seu investimento. Por exemplo: se você investir 200 reais em ações e sua corretora cobra 10 reais de taxa de custódia e 8 reais pela taxa de corretagem, você vai precisar de um rendimento superior a 18 reais (taxa de custódia + taxa de corretagem), ou seja, um rendimento de mais de 9% num único mês, para o investimento compensar.

6. Escolhendo as ações

Como escolher quais ações comprar? Abaixo, listamos algumas maneiras para que você tome essa decisão com conhecimento e segurança:

6.1. Sempre converse com sua corretora

As corretoras contam com especialistas que acompanham e analisam as empresas e o momento de mercado.

Eles recomendarão quais ações comprar ou vender, em qual quantidade e em que momento. Não se esqueça, porém, que você é o responsável pelo desempenho de seus investimentos e tem total poder para seguir ou não qualquer orientação. Por isso, estude as empresas!

6.2. Aprenda o máximo sobre as empresas

Antes de investir em uma empresa, é importante conhecer suas perspectivas de crescimento, estratégias e comportamento do setor no qual ela atua.

No site da BM&FBOVESPA você pode encontrar vários documentos sobre as empresas listas na bolsa, inclusive o “Formulário de Referência”, no qual você vai saber mais sobre a saúde financeira da empresa.

6.3. Una seu lado consumidor ao investidor

Dê preferência para as ações das empresas das quais você consome produtos ou serviços.

Centenas de empresas de diversos setores estão listadas na Bolsa. Para saber se a empresa na qual você confia está listada, consulte a página “Empresas Listadas” no site da BM&FBOVESPA e faça sua busca.

6.4. Ainda indeciso? Comece com ETFs

Os ETFs – fundos de ações baseados em índices – têm seus desempenhos ligados a grupos de ações, escolhidas segundo características comuns ou setores de mercado.

Ao investir num ETF, você não precisará escolher um ou outro grupo de ações, pois estará adquirindo uma cota de um fundo com várias ações, diversificando seu investimento.

7. O que NÃO fazer com seus investimentos

Agora que você já sabe o que você deve fazer para iniciar seus investimentos na Bolsa, descubra o que você NÂO deve fazer após começar a investir:

NUNCA invista todo seu dinheiro em ações

Investir todos os seus recursos em ações, ou em qualquer outro tipo de investimento, nunca é uma boa ideia, principalmente se você estiver começando. Ao “colocar todos os ovos na mesma cesta” você está não somente aumentando o risco do seu investimento, mas também ficando totalmente desprotegido em caso de perdas.

Começar com passos muito grandes

Depois de avaliar seus objetivos e recursos disponíveis para investir em ações, é importante não ter pressa. Comece com pouco, mesmo que isso signifique custos no curto prazo; lembre-se que, no início, você deve buscar experiência e não grandes ganhos. Investimentos em ETFs ou por meio de Clubes de Investimento são ótimas opções para se acumular experiência investindo pouco dinheiro.

Comprar na alta e vender na baixa

O aviso parece óbvio, mas esse é o erro mais comum do mercado de ações. Muitos investidores compram ou vendem ações para tentar responder a oportunidades ou ameaças imediatas do mercado. Na maioria dos casos, é exatamente esse tipo de investidor que “abraça o prejuízo” do mercado e gera ganhos para quem manteve a calma e seguiu estratégias de longo prazo.

Comprar e vender ações por impulso

Ao entrar no mercado de ações, é fundamental entender que paciência e disciplina são fundamentais para quem quer ter sucesso nos investimentos. Quem só pensa no curto prazo, investe sem qualquer estudo ou age só respondendo a tendências imediatas certamente vai perder dinheiro mais cedo ou mais tarde.

Deixar-se levar pela emoção

É comum que investidores fiquem excessivamente ligados aos seus investimentos, resultando em ações precipitadas motivadas por medo, excesso de confiança ou mesmo ganância. Converse com sua corretora, crie um plano de longo prazo para seus investimentos, com objetivos e metas bem definidas, e mantenha-se nele, sem se preocupar com variações momentâneas e fazendo ajustes somente quando necessário.

Seguir dicas “infalíveis”

Ignore “atalhos” ou “segredos” para sempre obter sucesso no mercado de ações; tais promessas consumirão tempo e dinheiro, sem gerar qualquer retorno positivo para você. Ganhos e perdas com ações, embora variáveis, serão sempre proporcionais ao dinheiro aplicado, ao tempo que esse dinheiro fica investido e ao conhecimento do investidor, portanto a melhor dica é sempre estudar e manter a paciência.

Após esses 7 passos, vale ressaltar a questão dos riscos do mercado de ações. Lembre-se sempre que ações são investimento de Renda Variável, ou seja, seus ganhos não são sempre os mesmos e você pode até perder parte do que investiu. Entretanto, se você tiver paciência nos investimentos e seguir corretamente os passos citados, a tendência é que você obtenha bons rendimentos no mercado de ações. Como já citado em outros artigos aqui no blog, para que você tenha efetivo sucesso na bolsa, você deve pensar no longo prazo.

Já investe em alguma coisa? Vai começar a investir na Bolsa de Valores agora? Compartilhe conosco! 

Banner convidando para o site do Mobills

Gostou do artigo Aprenda a investir na Bolsa de Valores em 7 passosA sua opinião é muito importante para nós! Sugira novos temas, deixe seu comentário.

Comentários