Sair das dívidas

10 dicas simples para acabar com as dívidas e começar a acumular dinheiro

Mulher analisando vários papéis de conta e pensando como acabar com as dívidas
Victor Leitão
Escrito por Victor Leitão

10 dicas simples para acabar com as dívidas e começar a acumular dinheiro

Banner convidando para o site do Mobills

Vários brasileiros ainda enfrentam problemas para cuidar do próprio dinheiro. Alguns criam dívidas inacabáveis, outros não conseguem poupar dinheiro suficiente para realizar os sonhos pessoais (como compra da casa própria, reforma da casa mais antiga, troca de carro, viagem para o exterior, etc.) e muitas dessas pessoas nunca aprenderam a elaborar um planejamento eficiente das suas finanças pessoais.

Resultado: o salário chega e não sobra nada! Essa é a realidade de muitos brasileiros.

Sendo assim, é necessário aprender a administrar o próprio dinheiro e também a consumir conscientemente. No entanto, grande parte das pessoas não entende absolutamente nada quando escuta alguns consultores financeiros falando sobre o assunto, já que costumam utilizar um vocabulário muito técnico, dificultando a compreensão por parte daqueles que não são familiarizados com a área financeira.

Para tentar ajudar as pessoas que têm problemas com as finanças pessoais, listamos alguns passos em linguagem fácil para que vocês comecem a colocar suas vidas financeiras em ordem e possam acabar com as dívidas. Veja quais são:

10 dicas simples para acabar com as dívidas

1. Comece a controlar imediatamente seu orçamento financeiro!

Não sabe o que é isso? De modo simples, você deve analisar quais são as possíveis entradas (receitas) e todas as saídas (despesas) do seu dinheiro, ou seja, você deverá calcular tudo aquilo que você ganha menos tudo o que você gasta (alimentação, energia, educação, TV a cabo, internet e telefone, financiamentos, empréstimos, entre outros).

Vale ressaltar que você deve manter sempre um mesmo padrão de gastos, de acordo com a sua capacidade financeira, e evitar ao máximo gastar dinheiro com despesas desnecessárias e com novos financiamentos ou empréstimos.

Fique de olho, ainda, em algumas despesas que costumam passar despercebidas, mas que têm grande impacto no seu orçamento como pagamento de tarifas bancárias em excesso, anuidades de cartões de crédito, juros por pagamento de contas em atraso e despesas diárias com lanches na rua.

2. Priorize algumas dívidas essenciais e não produza nenhuma outra

Cheque especial, cartões de crédito e financiamentos. Procure terminar todas estas dívidas antes de iniciar qualquer outra!

Lembre-se: esse tipo de dívida tem que estar lá no controle de seu orçamento como as despesas que você não pode deixar de cumprir. Não caia na tentação de criar novas despesas! Seja rigoroso com você!

3. Estabeleça objetivos futuros para seu dinheiro

Os planos podem ser os mais variados! Comprar uma casa, fazer aquela viagem maravilhosa, comprar computador/notebook, trocar de carro. O sonho é seu! O importante é fazer um planejamento adequado e tentar realizá-lo pagando à vista ou com a maior entrada possível.

Esqueça a ideia de realizar seus sonhos por meio de prestações. Nada mais confortável que pagar por aquilo que quer de forma tranquila e não ter que pensar nas prestações após a compra.

4. Seja rigoroso no seu planejamento financeiro e tenha força de vontade

Não desanime jamais nem perca o foco na hora de cuidar das suas finanças pessoais. Você está querendo enganar quem, cedendo aos seus próprios caprichos? Entenda: se você não passar a controlar efetivamente seus gastos, nunca terá grandes patrimônios e sempre vai conviver com o “inferno das dívidas”.

Seja obstinado, esforçado e, acima de tudo, feliz! Não encare esse “colocar a situação financeira em ordem” com infelicidade. Veja sempre o lado positivo de tudo! Isso vai te ajudar bastante.

5. Evite comprar coisas supérfluas

Não compre aquilo que não esteja precisando, tenha um padrão de vida conforme os seus ganhos e pare de achar que você precisa de tudo que existe!

DVD’s, CD’s, roupas/sapatos mais do que aqueles que já tem, ingressos para shows, doces, chocolates, bebidas alcoólicas, eletrônicos, celulares de última geração, enfim, segure-se e tente não ceder a todos seus desejos.

Se ceder a todos seus desejos momentâneos, pode nunca conseguir realizar seus sonhos com tranquilidade.

6. Nunca deixe de fazer pesquisas de preço!

Se de fato precisar comprar um determinado produto, procure fazer pesquisas de preço em vários lugares. Não compre no primeiro lugar que lhe der apenas um pequeno desconto, você pode conseguir mais!

E não pesquise apenas em lugares que, em geral, costumam ser mais caros, como shoppings, por exemplo. Isso vale também para as compras de supermercado.

Com isso, suas despesas poderão diminuir e sobrar dinheiro para fazer uma poupança, pagar outras dívidas, entre outras coisas.

7. Crie e tente manter uma poupança.

O grande problema não é criar uma poupança, mas conseguir mantê-la. Para conseguir acumular dinheiro de maneira eficiente, estabeleça uma quantidade mensal que será depositada na sua poupança e simplesmente esqueça que existe esse dinheiro.

Seja firme! Utilize somente em casos de extrema necessidade (como doenças na família, por exemplo). Não use para pagar dívidas antigas ou novos débitos. Não se esqueça: os pagamentos essenciais já foram colocados no controle de seu orçamento!

8. Suspenda por um tempo as compras parceladas no cartão de crédito!

Só pague no cartão de crédito aquilo que você pode quitar no próximo mês de forma integral, sem prestações e sem comprometer a sua poupança.

Isso faz com que você aprenda a ter controle de seu orçamento e não gaste mais do que pode. Se não pode pagar integral porque irá comprometer o seu orçamento, não compre!

9. Opte pelo menos, menos é mais!

Prive-se do extravagante. Deixe de lado por um tempo os gastos ostensivos com luxo (roupas, perfume, tênis, viagens, etc), as festas caras, restaurantes com preços exorbitantes, comida e bebidas de preços dispendiosos.

Tudo bem que você gosta daquele vinho caríssimo, mas pode optar por um outro produto de boa qualidade de preço mais razoável. Isso serve para tudo. Ao invés de comprar aquele chocolate suíço caríssimo, adquira uma opção nacional mais barata. Deixe para ir aos restaurantes caros e chiques apenas em datas comemorativas (aniversário, namoro), por exemplo. Você pode continuar indo ao cinema, mas não precisa ser todo fim de semana!

Ninguém está dizendo para você não ter mais vida social, mas para optar por alternativas mais baratas financeiramente.

10. Recompense a si mesmo (às vezes)

Depois de tanto esforço e dedicação para controlar seu orçamento pessoal e de já ter suas dívidas em ordem, você poderá comprar algo que gosta e/ou queria muito, mas sempre seguindo as dicas acima. Tenha bom senso!

É necessário algum tempo para que você aprenda a gerenciar o próprio dinheiro. Não deixe de focar nos seus objetivos! Se recompensar é importante para que o controle financeiro não se torne maçante, mas isso não pode se tornar um hábito, a ponto de você esquecer as prioridades.

Leia mais:

Como sair das dívidas do cartão de crédito em 5 passos

Vale a pena pegar um empréstimo para pagar dívidas?

Está endividado? Veja 8 erros para NÃO cometer na hora de renegociar dívidas!

O que achou das 10 dicas simples para acabar com as dívidas? Já utiliza alguma delas, ou a maioria, e deu resultado? Compartilhe conosco!

Banner convidando para o site do Mobills

Gostou do artigo 10 dicas simples para acabar com as dívidas e começar a acumular dinheiro? A sua opinião é muito importante para nós! Sugira novos temas, deixe seu comentário.

Comentários

Deixe um comentário